quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Governo Municipal celebra convênios com entidades que atuam no setor filantrópico

A Prefeitura de Feira de Santana, em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente celebrou, na manhã desta quarta-feira, 30, a assinatura de convênios beneficiando dez entidades que desenvolvem projetos de assistência social neste setor, em solenidade, na Secretaria de Administração, que contou com as presenças do prefeito José Ronaldo de Carvalho e dos secretários Ildes Ferreira, do Desenvolvimento Social, e Paulo Aquino, de Governo.

Os recursos são oriundos do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente. Agindo em áreas específicas do campo filantrópico, cada entidade terá recursos da ordem de R$ 25 mil para serem aplicados rigorosamente de acordo com os projetos apresentados no edital. O CMDCA fiscaliza a aplicação desses recursos.

Falando em nome dos demais representantes das entidades presentes, o presidente da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Marcos Oliveira enalteceu o prefeito José Ronaldo “que tem demonstrado sensibilidade para acolher os nossos pleitos”.

  Por seu turno, Ronaldo parabenizou as entidades pelos serviços prestados à comunidade, e enfatizou a necessidade de os recursos serem aplicados sob a observância da Lei de Responsabilidade Fiscal, responsável pela fiscalização da prestação de contas nas várias instâncias da administração pública. (Secom)

terça-feira, 29 de setembro de 2015

HUMILHAÇÃO


Na TV, longa e detalhada reportagem mostra um “fenômeno” da “crise”: pessoas muito bem formadas, às vezes poliglotas, estão aceitando salários MUITO menores do que aqueles que recebiam antes do caos. “Ganham”, hoje, algo em torno de R$ 1 mil ou um pouquinho mais, e trabalham mais. Exercem funções que nada têm a ver com suas formação. Pois é, são essas pessoas que estão pagando o buracos dos marajás.


No inferno, os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise. (Dante Alighieri)

Um deboche com a sociedade brasileira
Já falei sobre isso,  de forma pontual, esporádica, mas vamos agora generalizar, embora tomando como ponto de partida um fato específico: as bilionárias viagens em jatinhos do governo, por parte de parlamentares e/ou governantes, SOMENTE este ano. Foram mais de duas mil, sendo que cada uma custou, no mínimo, R$ 100 mil.
Como é que pessoas envolvidas nisso, incluindo aí ministros, presidentes da Câmara e do Senado, têm a cara de pau de aparecer na mídia exigindo redução de custos do governo?
Esta situação se torna tanto mais escandalosa quando vemos tais pessoas barganharem, de forma explícita e cínica, cargos no governo, para que possam “apoiar” Dilma. Que país é esse, Renato Russo e Francelino Pereira?

Afinal, de onde eles vêm? (I)
Temos assistido n o Rio de Janeiro a síntese de um dantesco espetáculo de apartheid monumental neste país. Crianças e adolescentes pobres, sem dinheiro e, claro, negros ou mulatos, têm sido barrados dentro de ônibus a caminho da praia, sob o pretexto de evitar arrastões.
Entre outras coisas, isso mostra que, na real, os menores já estão sendo penalizados no país, independentemente da redução legal da maioridade penal.

Afinal, de onde eles vêm? (II)
E antes que alguma idiota venha me acusar de estar “defendendo  menores infratores”, devo relembrar o que já disse aqui inúmeras vezes: sou totalmente a favor da redução da maioridade penal, até para que não se cometam injustiças e generalizações com as que vêm acontecendo no Rio, abertamente, e , de forma subliminar, em todo o País.

Afinal, de onde eles vêm? (III)
Cabe perguntar: quem, hoje, neste país, se preocupa em saber de onde vêm esses meninos, meninas e adolescentes em geral?
Por que eles vão às ruas sem dinheiro e sem documentos? Será que todos são cooptados pelo famigerado crime organizado?
A realidade é que temos uma desgraça social neste Brasil que nenhuma demagogia populista, nenhum discurso neoliberal conseguiu combater.
E ponto final.

E por falar em caça a menores...
No último fim de semana houve uma “coincidência”. No Rio de Janeiro, onde o tráfico e o crime organizado (desculpem a redundância) deitam e rolam na cara das autoridades, cerca de 30 menores foram apreendidos em ônibus. Do outro lado do País, em Recife, também cerca de 30 foram “apreendidos”.
Nada contra a ação legal contra ilegalidades. Mas onde estão,  agora, os que condenam radicalmente a redução da maioridade penal? Preferem esse caos a uma coisa legal? Olhe, me deixem, viu?

Governo Municipal encaminha projeto do Orçamento à Câmara de Vereadores


O Governo Municipal encaminhou o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2016 para apreciação da Câmara Municipal de Feira de Santana, na manhã desta terça-feira, 29. A previsão orçamentária foi entregue pelo secretário municipal de Planejamento, Carlos Brito, ao presidente da Casa da Cidadania, Reinaldo Miranda.
A LOA para 2016 prevê orçamento municipal no montante de R$ 1.102.339.512,00. A predominância é para as áreas de Saúde, com orçamento de R$ 329.668.214,00; Educação, com orçamento de R$ 243.293.754,00; Administração, com R$ 169.684.608,00; e Desenvolvimento Urbano, com R$ 105.615.547,00.
Ao entregar a LOA para apreciação do Legislativo, o secretario Carlos Brito, que esteve acompanhado do assessor de orçamento, Luiz Ivan dos Santos Silva, destacou as características do Orçamento para 2016. “O Orçamento de 2016 foi mantido em cima da realidade econômica do país, em função da queda da receita dos estados e municípios. O Orçamento conservador está mantido em cima da realidade que estamos vivendo. Por isso não houve maior modificação com relação ao ano anterior”, frisou o secretário.


Questão 'Quem você salvaria: mãe ou namorada?' em exame causa polêmica

Se fosse forçado a escolher, quem você salvaria de um prédio em chamas: sua mãe ou sua namorada?
Esta é um dilema bastante usado em discussões na China e, neste ano, foi uma questão-chave do exame nacional aplicado a futuros advogados e juízes do país.
O teste seria um equivalente ao exame da Ordem dos Advogados do Brasil, e só quem é aprovado nele pode advogar na China.
O ministro de Justiça chinês divulgou pela internet a resposta correta: salvar sua mãe.

Crime
Segundo ele, seria um "crime" escolher a pessoa com quem você está envolvido romanticamente.
Mas a resposta não é tão óbvia para usuários de internet na China, onde a questão gerou um debate acalorado em fóruns e redes sociais.
"É ridículo dizer que a obrigação de sustentar seus pais é igual à obrigação de salvá-los em uma situação de emergência", disse um deles.
"Segundo a lei, um filho deve salvar sua mãe", explicou outro. "Mas a lei não diz se isso deve ser feito quando há outras pessoas em perigo."

'Tenho só uma mãe'
Outros ainda perguntaram o que fariam em uma situação assim. Na maioria das vezes, o amor por sua mãe venceu.
"Garotas estão por todas as partes, mas eu tenho uma mãe apenas", disse um rapaz.
"Certamente, salvaria minha mãe primeiro", comentou outro.
"Sem levar em conta os motivos legais, minha mãe me criou. Além disso, minha namorada é mais jovem do que minha mãe, o que significa que ela teria mais chances de escapar de um incêndio por conta própria."
Curiosamente, ninguém pareceu notar o aspecto sexista da questão, já que não indaga o que uma mulher deveria fazer: salvar seu pai ou seu namorado?

Isso talvez fique para o próximo exame aplicado a futuros juízes e advogados da China. (BBCBrasil)

Usina no rio Tapajós repetirá 'caos' de Belo Monte, diz Greenpeace

Uma análise encomendada pelo Greenpeace denuncia a existência de "problemas graves" no estudo e relatório de impacto ambiental (EIA/Rima) da usina hidrelétrica de São Luiz do Tapajós, em planejamento pelo governo federal no oeste do Pará.
O material, assinado por cientistas do Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), do Museu Paraense Emílio Goeldi e da Universidade Federal de Pernambuco, conclui que o estudo falha em seu principal objetivo: prever o impacto da obra sobre uma das regiões de floresta mais preservadas do Brasil.
A Eletrobras, que coordena o grupo que bancou o estudo, informou que não iria se manifestar sobre a análise do Greenpeace por não ter tido acesso ao material.
Um dos últimos grandes rios amazônicos sem barragens, o Tapajós é a nova fronteira dos megaprojetos do governo federal de usinas na Amazônia, que incluem ao menos 40 grandes hidrelétricas (com mais de 30 MW de capacidade instalada) em construção ou planejamento na bacia.

Prioridade do Planalto, São Luiz do Tapajós é a maior dessas usinas, com 4.000 MW de potência média prevista (quase o mesmo valor da gigantesca Belo Monte). O projeto está em fase de licenciamento ambiental – a Eletrobras entregou o EIA/Rima ao Ibama (órgão ambiental federal) em agosto de 2014, em busca da primeira autorização para a obra.
Leia matéria completa no BBCBrasil

Teatro, circo, dança e oficinas marcam abertura do 8º Fenatifs

O Centro de Cultura Amélio Amorim, em Feira de Santana, recebe no dia 01, às 19 horas, a abertura do 8º Festival Nacional de Teatro Infantil de Feira de Santana. A programação do festival, que segue até o dia 12, conta com a apresentação de 32 espetáculos infantis e juvenis de 13 estados brasileiros, com mais de 50 apresentações artísticas, além de oficinas, debates e workshops.
As atividades se iniciam às 14 horas com uma oficina de Construção de Móbiles para bebês, realizada pela arte educadora Neide Kocca (BA) e por oficinas de circo (malabares, perna de pau, saltos e acrobacia), com a Cia Cuca de Teatro (BA) e de Palhaçaria para crianças com a Cia Arte e Riso (RN). As oficinas são gratuitas e direcionadas para crianças com idade igual ou superior a oito anos, e adultos. Os interessados podem se inscrever pelo e-mail: fenatifs.ciacucadeteatro@gmail.com.
Artistas baianos de circo, teatro, música e dança sobem ao palco às 19 horas.  O momento será marcado por um espetáculo inédito, com participação especial da Banda Radioativos, das cantoras Simone Sampaio e Carol Pereyr, do balé da academia Prelúdio, de artistas de Circo de Feira de Santana e Salvador, de atores mirins e dos palhaços da Cia Cuca de Teatro. O momento promete surpreender e entreter o público com a performance, que terá a trilha sonora regada pela mistura de música eletrônica com percussão e violino da banda comandada pelos músicos Negro Japa e Filipe Evans.
Em seguida, na área externa do teatro, às 20 horas, acontece o show cênico musical “Pumm- Por um mundo Melhor”. A apresentação é conduzida por instrumentistas e cantores, que mesclam Rock, MPB e Samba, em uma apresentação marcada por brincadeira, teatro, poesia e um repertório recheado de músicas autorais e cantigas de domínio público. O show busca, através da música e da ludicidade, fomentar ações e ideias em prol da sustentabilidade, cidadania e valorização da cultura brasileira.
Os ingressos para a noite de estreia podem ser trocados por 01 kg de alimento não perecível. Com o compromisso de movimentar, valorizar, debater e desenvolver o teatro para a infância e juventude na Bahia, os ingressos da programação, que custam R$ 24,00 (inteira), serão oferecidos à todos, a preços populares no valor de R$ 12,00 (meia promocional), e o valor de R$ 6,00 para aqueles que possuem a carteira de sócio do Domingo Tem Teatro de 2015.  
A lista completa da programação pode ser conferida em http://www.ciacucadeteatro.com.br


Uefs altera data e reduz os dias de aplicação das provas do vestibular

A Comissão do Processo Seletivo para Acesso ao Ensino Superior (Copaes), da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), deliberou pelo adiamento do vestibular 2016.1 (ProSel) para os dias 20 e 21 de março (domingo e segunda-feira). A decisão visa reduzir o tempo de espera dos candidatos entre o resultado do processo e a convocação para matrícula dos aprovados.
Em consequência, foi reduzido, de três para dois, os dias de aplicação das provas. Mas, o candidato teve ampliado, de quatro para cinco horas por dia, o tempo para responder as provas.
Agora, o processo seletivo terá a seguinte formatação: no domingo serão aplicadas as provas de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Geografia, História e Redação; na segunda-feira, Matemática, Física, Química e Biologia.
Inscrição
 Não haverá alterações quanto à natureza e ao formato das questões tradicionalmente aplicadas no Processo Seletivo. Cada prova constará de 15 questões objetivas de múltipla escolha e com cinco alternativas.
A inscrição para vestibular deverá ser feita de 20 de novembro a 20 de dezembro de 2015. Candidatos egressos da rede pública podem solicitar a isenção da taxa de inscrição no período de 5 a 19 de outubro, conforme procedimentos divulgados no portal www.uefs.br.
Acesse a nota de Copaes sobre as mudanças
Link:

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Curso de jovens empreendedores beneficiará mais de mil alunos da rede municipal

Conceitos de empreendedorismo vão ser ensinados para mais de mil estudantes da Rede Municipal de Ensino a partir de 2016. As escolas Maria Antonia da Costa, situada no bairro Santa Mônica, e Eli Queiroz de Oliveira, da Gabriela, vão ser inseridas no curso Jovens Empreendedores Primeiros Passos – JEPP, iniciativa do Sebrae, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, destinado aos alunos do 1º ao 9º ano do ensino fundamental. Na manhã desta segunda-feira, 28, a Secretaria de Educação firmou convênio com o Sebrae visando a implementação do curso.

O prefeito José Ronaldo e os secretários municipais Jayana Ribeiro, de Educação, e Antônio Carlos Borges Júnior, de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, acompanharam o ato de celebração de convênio.

O JEPP visa incentivar o protagonismo dos jovens e iniciativas futuras na busca de inserção no mercado de trabalho, por meio de ideias empreendedoras ou na criação de novos negócios. A proposta do curso é abordar os temas de forma transversal, nos diversos conteúdos da escola, aliando o estímulo ao empreendedorismo com diferentes temáticas.

  A primeira etapa da formação começará ainda em 2015, envolvendo os professores das escolas escolhidas. Os educadores vão participar de uma capacitação específica que lhes dará orientações para inserir o empreendedorismo nas aulas. A partir de 2016, o novo conteúdo será abordado com os estudantes. (Secom)

Cientistas descobrem ‘calendário químico’ do corpo para marcar o tempo

A forma usada pelo corpo para rastrear a passagem das estações do ano, uma espécie de "calendário químico", foi descoberta por cientistas.
A equipe relatou, em artigo na revista científica Current Biology, ter encontrado um grupo de milhares de células que podem existir tanto em "estado verão" como em "estado inverno".
Em dias mais longos, as células mudariam para o “modo verão” e fariam o oposto quando passa a anoitecer mais cedo.
Segundo os pesquisadores, esse relógio anual determinaria quando animais procriam e hibernam e, em humanos, poderia alterar o relógio biológico.

Calendário
Para chegar às conclusões, uma equipe das universidades de Manchester e Edimburgo, no Reino Unido, analisou os cérebros de ovelhas em diferentes épocas do ano.
Os cientistas encontraram um grupo de 17 mil "células-calendário" na glândula pituitária, que fica na base do cérebro e libera hormônios que controlam processos em todo o corpo.
Segundo a equipe de pesquisadores, as células tem um "sistema binário", assim como um computador, e podem existir em um dos dois estados ─ elas podem produzir substâncias químicas de "inverno" ou de "verão".
A proporção de "células-calendário" em cada estado muda o ano todo, para marcar a passagem do tempo.
"Aparentemente, há um curto período do ano, no meio do inverno e no meio do verão, em que elas estão todas, juntas, em um estado ou em outro", afirmou à BBC Andrew Loudon, professor da Universidade de Manchester.
Entretanto, ainda não está claro como o corpo sabe quando é primavera ou outono nos momentos em que as "células-calendário" estão divididas ─ algumas no "modo verão" e outras no "modo inverno".
Esse relógio anual, conhecido como 'ritmo circanual', é uma espécie de primo de longo prazo do ritmo circadiano (diário), que nos mantém acordados na hora certa.
O padrão anual é usado para marcar o início dos períodos de migração, hibernação e acasalamento, além de explicar por que os cordeiros nascem na primavera.
Leia mais no BBCBrasil

GROSSERIA


O problema atinge às três esferas da máquina pública: federal, estadual e municipal. São funcionários, dos mais diversos órgãos, que insistem em atender com grosseria, desdém ou mortal indiferença àqueles que precisam dos serviços oficiais. Passa do tempo de fazer uma reciclagem e incutir na cabeça dessa gente – salvo as honrosas exceções de sempre – que eles são EMPREGADOS da sociedade, pois somos nós que pagamos seus salários. E ponto final.


Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te.  (Nietzsche)

Quando o gato sai, eles resolvem passear...
Sempre se disse que distanciar fisicamente dos problemas jamais foi solução. A distância geográfica pode até dar uma sensação, e não mais que isso, de que os “pepinos” ficaram para trás. Ledo e Ivo engano, como diz um amigo.
É o caso desta viagem de Dilma para os Estados Unidos. Lá, enquanto ela falava, muito preocupada, sobre os destinos da ONU, aqui se urdiam mais e mais esquemas para deixá-la a sós diante da crise, que é avassaladora.
O programa político do PMDB, por exemplo, foi praticamente explícito, pregando nas entrelinhas que o PT seja defenestrado e colocando-se com “salvador” da pátria.
Em São Paulo, Eduardo (argh!) Cunha reuniu-se com empresários na sede da Fiesp, em lauto e político almoço.
Bem, citei apenas dois fatos. Imaginem quantas águas sujas mais rolaram e estão rolando por aí.

Ainda sobre Dilma e PMDB (I)
Já simpatizei com Dilma, mas hoje não tenho mais nenhuma admiração por ela.
Sempre critiquei a engabelação do populismo que se instalou no País nos últimos 12 anos.
Todavia, o que me causa arrepios é ver que aqueles que combatem a presidente e pregam sua saída agem de forma tão traiçoeira e oportunista.
Ainda sobre Dilma e PMDB (II)
Imaginem o que um Cunha, um Renan ou um Temer podem fazer tomando o governo. O Aécio me causa arrepios de medo, pois, como já disse aqui, vejo nele uma tremenda semelhança de perfil psicológico com Collor.
Mas, meus caros, o que fazer? Afinal, a hipocrisia é a mola mestra da política...

Constrangedora coincidência
Em Nova Iorque, enquanto a presidente Dilma discursava na ONU, o Ministério Público brasileiro recebia importantíssima homenagem, ganhando o prêmio anual da Global Investigations Review (GIR), na categoria "órgão de persecução criminal ou membro do Ministério Público do ano", em Nova York. O trabalho do MP ficou à frente de entidades americanas, norueguesas e britânicas. Êita!

A foto do feto ferido
Dentre todas as chocantes imagens geradas pela guerra civil na Síria, a mais recente, que mostra um feto ferido na barriga da mãe (desculpem a redundância) é aterrorizante.
Ou seja, humanos estão sendo atacados pelos seus semelhantes antes mesmo de virem ao mundo. Como ufanar-se do século XXI, evolução tecnológica e outras baboseiras? Nós, animais ditos racionais, continuamos os mesmos e assim será até essa raça extinguir-se. Ah, me batam um abacate!

Um momento de humor
Em um episódio de Two and a Half Men (Dois Homens e Meio), genial série que teve seu auge, claro, com Charlie Sheen, o personagem do dito cujo, que também se chama Charlie, envereda-se, às noite, por terríveis ruas da periferia e Los Angeles, guiado por sua empregada doméstica. A certa altura, cheio de sobressaltos com o tamanho dos problemas nos quais se arrisca, ele sente forte pancada sob o carro e grita:
-Meu Deus, atropelei um cachorro!
E a empregada:
-Não foi nada. Foi um rato. E nem precisa olhar para trás. Ele já se levantou...

'Também disseram que chegar à Lua era impossível', diz brasileira candidata a morar em Marte

O dia de Sandra Silva parece ter mais horas do que o normal. A professora de 51 anos, que vive em Porto Velho (RO), ensina administração e sistemas de informação em uma universidade, atende em um escritório como advogada, faz design de aquários e escreve uma saga de ficção científica "à la Dan Brown" nas horas vagas. Em meio a todas estas atividades, ainda se prepara para ir à Marte – sem data para voltar.
A brasileira é uma das cem finalistas no processo seletivo do polêmico projeto Mars One, da ONG holandesa homônima, que pretende começar uma colônia terráquea no planeta vermelho a partir de 2025.
O projeto ganha nova dimensão ante o anúncio da Nasa (agência espacial americana), nesta segunda-feira, de que foram encontrados indícios concretos da presença de água no planeta vermelho - o que gera especulações sobre a possível existência de vida por ali.
A descoberta também tem implicações para os planos de enviar astronautas a Marte, já que a identificação de córregos perto da superfície poderia facilitar o estabelecimento de colônias.
A empreitada de Sandra envolve cientistas especializados em projetos de exploração espacial de 13 países e tem como um de seus maiores embaixadores o físico teórico Gerard 't Hooft, Nobel de Física em 1999.
No entanto, o plano para levar o grupo de 24 pessoas até Marte tem sido criticado por instituições como o MIT (Massachussets Institute of Technology). Recentemente, engenheiros do instituto sugeriram mudanças no projeto, afirmando que os colonos poderiam começar a morrer após três meses no novo habitat.
Sandra, no entanto, não demonstra receio. Fã do clássico de ficção científica Duna (saga ambientada em colônias humanas instaladas em outros planetas após o abandono da Terra), ela diz que sua paixão pela ciência pode levá-la até onde nenhum homem jamais foi. Até o início do ano, ela também ensinava ciências a alunos do ensino médio na rede pública.
"Eu sou apaixonada pelo negócio mesmo (pelo espaço), não tem jeito. Eu pensei muito, já tenho 51 anos. Sonhei minha vida toda em fazer isso, desde pequenininha. E se você se depara com a possibilidade de realizar seu sonho e não vai, isso é covardia pura", disse à BBC Brasil.

Confira os principais trechos da entrevista, realizada em fevereiro deste ano no BBCBrassil

Tradição: mais de 400 vaqueiros participam de Missa em Jaguara


Mais de 400 vaqueiros – encourados ou não - e amazonas estilizadas de toda a região e de todas as idades literalmente invadiram o distrito de Jaguara para participar da Missa do Vaqueiro, celebrada na manhã deste domingo pelo diácono Gilberto. A parte litúrgica é considerada uma das mais importantes da Festa de Vaqueiro do distrito, que completou 30 anos. Foi a maior participação das últimas edições.

A multidão que se concentrou em frente da igreja local, ouviu aboiadores e violeiros cantarem a grandiosidade dos vaqueiros e o que eles representam para a cultura sertaneja. A brisa amenizou os efeitos dos raios do sol. E o cheiro forte dos cavalos suados funcionou como uma moldura para o acontecimento.

O diácono Gilberto enfatizou que o vaqueiro tradicional está sendo uma figura cada vez mais distante do campo. A luta entre os touros e os vaqueiros, que é uma das razões da existência destes profissionais está se rareando. “Não existem mais os grandes rebanhos para serem tocados e os bois estão mais mansos nos pastos”, disse. “Que todos nós mantenhamos esta cultura viva”.

  O prefeito José Ronaldo de Carvalho comentou que tradição da festa de Jaguara deve ser mantida, bem como a profissão de vaqueiro, que foi reconhecida há alguns anos, não pode perecer. “Ela deve ser renovada, com a iniciação de novos vaqueiros, porque esta figura é um dos traços mais importantes da nossa cultura”. Lembro que a Festa de Jaguara é a mais antiga de Feira de Santana. “E neste ano deu uma grande demonstração de que vai longe. Cada vez mais longe”.

Feira do Livro se consolida como agente difusor da cultura

A importância da realização de um evento público, gratuito e num espaço aberto foi citado por visitantes de todas as idades e segmentos sociais presentes na praça João  Barbosa de Carvalho, a Praça do Fórum, local de realização da 8ª Feira do Livro – Festival Literário e Cultura de Feira de Santana, de terça-feira até este domingo (22 a 27 de setembro). O evento, conforme citou o professor de ensino médio Rosevaldo Assis Pereira, supera a condição de local de comercialização de livros e se coloca como incentivador da convivência, da leitura e da difusão da cultura.
Mais de 70 mil pessoas visitaram os estandes da 8ª Feira do Livro, superando a expectativa dos organizadores. O professor Márcio Campos, pró-reitor de Extensão da Universidade Estadual de Feira de Santana, entidade parceira na organização do evento, afirmou que as dificuldades de recursos para a realização da Feira foram vencidas pelo empenho de todos os envolvidos, como funcionários da Universidade e do Serviço Social do Comércio (Sesc).
A relevância da distribuição de mais de R$ 270 mil em vales-livros para professores e estudantes secundaristas, cedidos pelo Governo do Estado da Bahia e Prefeitura de Feira de Santana, foi citada pela professora Anna Cristina Gonçalves, coordenadora de Extensão da Uefs e da Feira do Livro. Conforme disse, professores dos ensinos fundamental e médio têm relatado retorno por parte dos alunos, que são incentivados à leitura em sala de aula, inclusive com atividades que envolvem obras adquiridas na Feira através dos vales.

Cordel
E a literatura de cordel foi um dos destaques da 8ª Feira do Livro, que reuniu escritores de diversos municípios. Professor licenciado em Letras e mestrando em Estudos Literários pela Uefs, Luciano Ferreira expôs obras de autoria própria, o que despertou o interesse dos visitantes.
A literatura de cordel, conforme afirmou Ferreira, tem se afirmado porque possui a característica de acompanhar as transformações sociais, utilizado como temas a informática, o uso de equipamentos eletrônicos, a política e muito mais. “Os cordelistas abordam os diversos assuntos numa linguagem divertida e atraente, despertando a atenção do público de todas as idades”, salientou Luciano Ferreira, que é do município de Coração de Maria.
O escritor e jornalista Franklin Maxado citou que professores têm dado significativo impulso ao cordel, na medida em que levam o estilo para o debate em sala de aula. No sábado, Maxado proferiu palestra no espaço ‘Conversando com o poeta’, sobre a resistência do cordel, seus desafios e transformações na atualidade, o que atraiu a atenção dos presentes no palco central, local utilizado para declamações durante toda a Feira.
A Feira do Livro é realizada desde 2008, sucedendo as primeiras experiências realizadas pelo Sesc/Feira. Naquele ano, as atividades foram desenvolvidas na Praça da Matriz, mas o sucesso da Feira obrigou a mudança para um espaço maior. Hoje, os participantes afirmam que a Praça do Fórum já não comporta o número de entidades e o público, o que será discutido até a realização da próxima Feira do Livro, no próximo ano.
O evento é uma realização conjunta da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Sesc, Secretaria de Educação do Estado da Bahia, Secretaria de Educação de Feira de Santana, Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Feira de Santana e Arquidiocese.
A programação incluiu exibição de filmes, contação de histórias, palestras, recitais, oficinas, apresentações teatrais, lançamento de livros e diversos shows musicais de artistas renomados.


domingo, 27 de setembro de 2015

Mais um golpe

         
Certa vez o governo criou uma lei que obrigava os condutores de veículos a ter consigo um “kit de primeiros socorros”. Era obrigatório e dava multa para quem fosse flagrado sem o tal kit que continha, basicamente, esparadrapo, mercúrio cromo, gaze, tesourinha, e sei lá mais o que. Nada que pudesse realmente ajudar, em caso de acidente automobilístico. Logo se percebeu a inutilidade do kit e a lei foi revogada. Mas isso depois que fabricantes e comerciantes faturaram alto com a venda dos tais kits. Deu-se o mesmo com os novos extintores, que, inclusive, não apagam fogo algum. Depois que todo mundo substituiu os velhos extintores pelos novos, o uso do equipamento, que era obrigatório, passou a ser “opcional”. E ainda tem gente que acredita que não tem político mancomunado com fabricante para aprovar leis deste tipo. É por isso que digo: Hay gobierno? Soy contra!

É triste
         Ouvi uma mensagem para reflexão matinal no programa Acorda Cidade sobre dois vizinhos. Um homem e uma mulher. Quando o dia amanhecia ensolarado, enquanto o homem agradecia a Deus pelo lindo dia, a vizinha reclamava do calor; Se chovia, o homem agradecia a Deus pela chuva que alegrava a natureza e fazia brotar e crescer plantas, flores e frutos. A mulher, temia por chuva em excesso que poderia pôr a perder a safra. Convivi e convivo com muita gente assim. Otimistas e pessimistas. Aprendi a ser otimista, a nunca enfaixar a cabeça antes que ela se quebre. Problemas existem para serem resolvidos. Tento ensinar isso às pessoas pessimistas, mas elas não só não me ouvem como ainda me repudiam, quando não me maltratam. Guardadas as devidas proporções, é como aconteceu com jesus Cristo. Tentou ensinar a humanidade como seria feliz se vivessem em acordo com os preceitos do amor do Pai. Puseram-no numa cruz. Pior. Foram os próprios ditos guardiões das leis divinas que o condenaram. A hipocrisia e maldade humanas parece não ter limites. É triste. Muito triste.

Despolitizados, mas não muito
         Com a convicção de quem sabia o que estava dizendo, Jarbas Passarinho, homem forte da ditadura militar, afirmou que 30 anos de se passariam até que os jovens do Brasil voltassem a se politizar. Ele errou, pois já se passaram mais de 40 anos e os jovens brasileiros não demonstram ter sequer a mínima noção do que seja “Política”. Estes gatos pingados, por exemplo, que estão acampados no canteiro de obras do BRT do cruzamento das avenidas Maria Quitéria e Getúlio Vargas, estão mais perdidos que o cachorro que caiu do caminhão da mudança. Acreditam que estão exercendo a cidadania ao protestar contra o corte de algumas árvores e que podem interromper a implantação do sistema BRT e mudar o seu traçado já definido. Coitados. A maioria é formada por inocentes úteis. Pobres coitados, ignorantes e mal informados, que nem percebem que estão sendo manipulados; outra parte age por sectarismo político; E há ainda os desocupados e baderneiros. Mas alguns são politizados sim, mas, praticam a política da ditadura, onde a minoria prevalece sobre a maioria. Estes sabem muito bem o que querem. E com certeza não é a democracia, a ordem ou o progresso da cidade. Para estes, quanto pior, melhor.

FIFA
         Romário anda rindo à toa. Tudo que ele sempre falou sobre a corrupção e roubalheira no futebol tem se confirmado e culmina agora com a acusação formal ao presidente da FIFA, Joseph Blatter. Há muito que eu também afirmo que o futebol hoje é um jogo de cartas marcadas, como o boxe nos Estados Unidos e a fórmula 1. Já se sabe quem vai ganhar antes da competição começar. Até a escolha de países para sediar a Copa do Mundo envolve corrupção e muito dinheiro. A roubalheira não é privilégio mais do Brasil nem dos demais países da América do Sul. Lembrem-se de que o presidente do todo poderoso Barcelona renunciou após denúncias de fraude na cada vez mais suspeitíssima compra de Neymar ao Santos.

Sucessão
         Por falar em fraude, roubo e corrupção, o PMDB sentiu o cheirinho do poder e seus membros já falam como sucessores do PT ante uma iminente queda de Dilma Rousseff. Ou seja, vamos sair do fogo para a frigideira. Nessa ordem.

*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*

Por hoje é só que agora eu vou ali assistir aos jogos do campeonato de palitinho

HUMOR


Mais um aumento da conta de luz, inflação real que desafia os índices oficiais, tudo, tudo cada vez mais caro. O brasileiro vive hoje um inferno, pois ainda temos o desemprego e, claro, a falência do sistema de saúde pública e da segurança. Mas resta espaço para humor: o sujeito chega para o amigo e diz que “a crise tem seu lado bom. Agora, por exemplo, eu só frequento lugares caros: posto de gasolina, supermercados, feiras etc.” Isso aí...


A Transalvador é surreal: impede carga e descarga onde não deveria e libera para o resto da cidade.


Deboche com os feirantes de São Joaquim

De um lado, a eterna reforma da feira de São Joaquim, com atraso de quatro ou cinco anos. A cada dia, uma mudança, uma novidade, mas nada de serem concluídas as obras.
De outro, para completar o sofrimento dos comerciantes da feira mais tradicional de Salvador, a Transalvador impedindo que as entregas sejam feitas, pois não admite caminhões de carga e descarga...Na feira!
Ou seja, em toda a cidade, da Avenida Sete, ao Comércio, passando pelo Largo Dois de Julho, Brotas e Pituba, caminhões estacionam para carregar e descarregar A QUALQUER hora, em QUALQUER dia, mas na feira, não pode! Isso já virou caso de polícia, zorra!

Ainda sobre carga e descarga (I)
Esta coluna já denunciou inúmeras vezes: na padaria e mercado Panilha, em Brotas, próximo à entrada do Engenho Velho, em plena avenida principal, caminhões (três ou quatro, TODOS os dias) estacionam durante horas para descarregar. Muitas vezes os motoristas colocam cones na rua, tomando toda uma pista, como se fossem autoridades de trânsito. Mas nada é feito!

Ainda sobre carga e descarga (II)
No resto da cidade, a baderna é a mesma. Por que será que a Transalvador, que virou puramente um instrumento de arrecadação para o sistema chupa-cabra da prefeitura, tolera essas infrações?
Cabe ao prefeito investigar para ver se não há algum “esquema” a fim de permitir tais infrações.
Afinal, existe uma LEI municipal, que não foi revogada, disciplinando horários e locais para carga e descarga. Ou estou enganado?

Um desastre em São Paulo (I)
Desastrosa, caótica, completamente incompetente a gestão do prefeito Fernando “Radar” em São Paulo.
A saúde pública municipal está um caos, como postos e hospitais superlotados, gente sendo maltratada por segurança truculentos, algo nazista.
E tudo isso na metrópole mais rica do País e terceira maior cidade do mundo. Pode?

Um desastre em São Paulo (II)
No seu programa, Luiz Datena, na Band TV, denuncia que, por causa das reportagens que mostra sobre o assunto, está sendo ameaçado por representantes da prefeitura paulistana, que, inclusive, teriam procurado ea direção da TV pedindo a cabeça dele.
Anteontem, Datena apresentou uma série de reportagens irrefutáveis, mostrando que os segurança truculentos são se dedicam a impedir que sejam documentadas, inclusive por cidadãos comuns, as cenas chocantes do péssimo atendimento.

Um desastre em São Paulo (III)
Aliás, e agora abrangendo todo o País, por que equipes de TV e jornais são impedidas de entrar em certos locais PÚBLICOS? Afinal, quem não deve, não teme, como diz o dito popular.
E quando se proíbe que investiguemos, que sejam feitas filmagens ou fotos, isso só faz corroborar a tese de que tentam colocar o IMENSO lixo do atendimento público deste país recordista em impostos sob o tapete. Haja saco!

Eclipse lunar e superlua serão vistos ao mesmo tempo hoje à noite no Brasil

Os brasileiros vão poder assistir neste domingo (27) à ocorrência de dois fenômenos simultâneos: o eclipse lunar total e a superlua. A coincidência ocorre uma vez a cada 30 anos.
A astrônoma Patricia Spinelli, do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), do Rio de Janeiro, Patricia explica como ocorre coincidência. A superlua acontece porque a órbita da lua, isto é, o caminho que a lua faz ao redor da Terra, não é circular. A órbita é achatada, ou seja, uma elipse.
“E se o caminho é elíptico, isso significa que em algum momento, a lua vai chegar um pouquinho mais perto da Terra”. Ao chegar mais perto, ela permite que se visualize o seu tamanho  maior no céu. A superlua ocorre uma vez por ano, como informa Patrícia.
Já os eclipses, segundo a astrônoma, têm uma periodicidade de duas vezes por ano. Neste domingo, o eclipse coincidirá com a proximidade da lua em relação à Terra, devido a um fator geométrico. A superlua pode ser vista à noite em qualquer lugar do planeta, quando o satélite da Terra estiver na fase cheia: “Vamos ver a lua maior, por ela estar mais próxima da Terra”.
O eclipse só acontece quando a lua entra na sombra da Terra: “Mas, para que esse fenômeno seja observado, é preciso que seja à noite. Se for dia, o observador só conseguirá ver o sol e não o eclipse”.
O eclipse lunar total será visto no Brasil porque, quando a lua estiver entrando na sombra da Terra, será noite no país. Patricia Spinelli disse que a ocultação da lua ocorrerá por volta das 23h30 e “esse é o ápice”. O processo completo, porém, começará por volta das 22h, quando a lua passará a entrar na sombra da Terra.
“Ela começa a ficar mais obscurecida, com uma cor mais avermelhada. De repente, vai desaparecer completamente, por volta das 23h30 ou 23h40 e, depois, começa a aparecer de novo”. A lua só volta a ter o tamanho normal em torno de 1h30 da manhã da segunda-feira (28), diz Patrícia Spinelli.

Segundo Patricia, para que os dois fenômenos possam ser vistos simultaneamente, é preciso que o tempo esteja bom, pois tempo nublado não permite a visualização. Tanto o eclipse como a superlua serão visíveis a olho nu, sem a necessidade de nenhum equipamento ou proteção especial.  “Com tempo bom e céu limpo, as pessoas podem acompanhar o fenômeno”, garante a astrônoma do Mast. (Agência Brasil)

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

SURREAL

A notícia: “O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), receberá um prêmio da Câmara dos Deputados pelo seu trabalho à frente da Sabesp e da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos.” O comentário: é o clímax do cinismo, da hipocrisia. Ele governa um estado que, apesar de ser o mais rico do país, vem passando pela maior crise HÍDRICA da sua história. Só no Brasil!

Os parlamentares continuam cada vez mais afastados do Brasil de verdade.

De Brasília ao sertão, o bilhão vira tostão.
Lá, na ilha da fantasia chamada Brasília, encastelados na Câmara e no Senado, cercados de segurança, pronto atendimento médico e apoiados por salários monumentais, os parlamentares brasileiros seguem isolando-se cada vez mais da realidade brasileira.
Chantageiam o governo em busca de milhões para emendas, dinheiro este do qual apenas uma migalha chega a ser aplicada realmente para o bem da sociedade, se é que chega alguma coisa!
Lá, ignoram a carnificina da guerra civil brasileira, os índices cada vez mais baixos de desenvolvimento na educação pública, o péssimo transporte público, e ignoram mesmo que se passa debaixo dos seus narizes, com a violência e a crise da saúde pública em Brasília e cidades vizinhas.
De lá só saem para pedir (ou comprar) votos nos seus redutos. Esta é a realidade. E quem tem esse tipo de comportamento não vai mudar coisa nenhuma.

O caos das transversais (I)
Dezenas, quiçá centenas, de ruas de pouco destaque em Salvador têm se tornando um inferno a mais para os já estressados motoristas da capital.
São transversais, na maioria das vezes, mas também ruas mais longas, onde é permitido o estacionamento em ambos os lados e a mão dupla de tráfego.
A situação acaba por gerar constantes conflitos, muitos dos quais acabam em violência.

O caos das transversais (II)
Posso citar algumas: ladeira Dom Bosco (que liga a Djalma Dutra a Nazaré), Rua Castro Neves e outras próximas, em Brotas, e algumas vias do Imbuí.
Mas há muito mais. Ocorre que nesses lugares quando motoristas se encontram em direções opostas, não há espaço para dois carros, e aí começam os conflitos, alimentados pela proverbial grosseria e péssima educação dos motoristas de Salvador.

O caos das transversais (III)
Fica a sugestão – que a priori considero inútil, pois eles fazem ouvidos de mercador – para a Transalvador: utilizar alguns dos seus técnicos para levantar essas situações e adotar providências imediatas a fim de civilizar o trânsito nos locais.
Mas, como disse, duvido que isso seja feito, pois à Transalvador só interessa perseguir quem denuncia suas infrações, cobrar cada vez mais multas escondendo radares (sob o viaduto da Luis Eduardo Magalhães há um super-enrustido) e caçar quem bebe um chope. Educar e fazer engenharia de trânsito de verdade, necas!

Vivendo perigosamente (I)
Esta Tribuna mostrou ontem a situação de enorme perigo de quem mora quase parede com parede com instalações altamente inflamáveis da Petrobras, em Madre de Deus.
As cenas do incêndio mostradas na TV chocavam, não necessariamente pelas chamas, mas por exibirem claramente a grande quantidade de casas e prédios vizinhos à região potencialmente explosiva.

Vivendo perigosamente (II)
Mas, convenhamos, isso não é privilégio nosso, nem do Brasil.
Há milhões de pessoas vivendo sobre a fenda de San Andreas, que corta a Califórnia ao meio, mesmo sabendo que aquele estado (o mais rico dos EUA, por sinal) certamente passará por um gigantesco desastre sísmico, que já tem até nome: The Big One.
E há igualmente milhões no sopé de vulcões ativos, com em Nápoles, na Itália. A humanidade gosta mesmo de viver perigosamente...

Cientistas descobrem pista genética sobre reincidência de câncer de mama

Cientistas dizem ter descoberto uma nova pista genética sobre a reincidência de alguns cânceres de mama, o que pode levar a maior eficiência do tratamento.
Uma equipe de cientistas do Instituto Wellcome Trust Sanger de Cambridge, na Inglaterra, descobriu que os cânceres que reaparecem têm maior probabilidade de conter certos genes ou combinação de genes.
Segundo eles, a chave para o sucesso do tratamento está em atacar esses genes o mais cedo possível. As conclusões do estudo estão sendo apresentadas no Congresso de Câncer Europeu em Viena, na Áustria. Uma em cada cinco pessoas com câncer de mama voltam a ter a doença ─ ou no mesmo local do tumor original ou em outra parte do corpo.
No Brasil, o câncer de mama é o que mais mata mulheres. São cerca de 50 mil novos casos por ano e 10 mil mortes.
Lucy Yates, oncologista do Instituto Sanger de Cambridge, e sua equipe analisaram dados de tumores de 1 mil pacientes com câncer incluindo 161 pessoas cuja doença voltou ou se espalhou (metástase).

Quando compararam os tumores primários e secundários, eles constataram que diferenças genéticas e outras mutações presentes em cânceres secundários são relativamente pouco comuns em tumores diagnosticados pela primeira vez. (Leia mais no BBCBrasil)

Por que eclipses como o do próximo domingo preocupam a Nasa

Ao longo da noite deste domingo e da madrugada de segunda-feira, grande parte do mundo, incluindo o continente americano, terá a oportunidade de desfrutar do espetáculo raro de um eclipse total da Lua junto e do evento da superlua. O eclipse total deve deixar a Lua completamente nas sombras, pois a Terra fica entre ela e o Sol. Já a superlua acontece quando a Lua cheia ou nova se encontra em seu ponto mais próximo da Terra.
Para os entusiastas de astronomia esses eventos serão belos. Mas, para a agência espacial americana, a Nasa, será motivo de preocupação. Os cientistas temem que a falta de luz solar devido ao eclipse deixe sem energia uma de suas naves mais importantes, a Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), cuja missão é explorar e monitorar o satélite natural da Terra.
"Duas coisas acontecem durante um eclipse: fica muito frio e não há luz para carregar as baterias (da nave). Com o eclipse, a nave vai ficar sem luz direta do Sol por cerca de três horas", disse à BBC o cientista da Nasa Noah Petro.
Apesar do temor da Nasa, a agência espacial americana já passou, com êxito, por outros três eclipses lunares nos últimos 17 meses. "Sempre é estressante quando o eclipse está se aproximando, mas seguimos os mesmos procedimentos e não tivemos nenhum problema", afirmou Dawn Myers, do centro de voos espaciais Goddard, que faz parte da Nasa.

Lua vermelha
O eclipse total deve durar mais de uma hora. A Lua também ficará com uma cor avermelhada pois sua superfície estará iluminada por raios tênues que refletem da atmosfera terrestre.
O que gera a preocupação na Nasa é que tecnologias semelhantes às da LRO enfrentaram dificuldades durante eclipses passados. No entanto, a LRO foi projetada especificamente com esses problemas em mente.
"Normalmente a LRO recarrega as baterias com a luz do sol, então quando temos um eclipse, ficamos muito cautelosos em relação à nave", disse Noah Petro.
Mas o cientista lembra que a Nasa tem experiência em eventos como este e, desta vez, vai tomar algumas precauções.

  Matéria completa no BBCBrasil 

Anchieta Nery homenageado na Feira do Livro


Poeta, dramaturgo e jornalista, o ex-secretário de Comunicação Social da Prefeitura de Feira de Santana, Anchieta Nery, recebe homenagem póstuma dando nome ao principal palco da 8ª Feira do Livro, evento promovido pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) em parceria com a Prefeitura Municipal.
Licenciado em Letras pela UEFS, onde teve passagens marcantes nas funções de assessor de comunicação social, fundando a TV Universitária (TVU) e integrando o quadro docente como professor de Literatura Brasileira, Anchieta Nery também brilhou no jornalismo.
Nascido em Rodelas, em l954, Anchieta aportou em Feira de Santana em l974. Atuou como repórter e editor-chefe dos jornais Feira Hoje e Diário, onde o seu talento não demoraria a ser reconhecido, não só pela qualidade dos textos que tão brilhantemente nascia da sua verve, como principalmente pelos valores éticos e humanitários que naturalmente transmitia ao conteúdo dos seus escritos.
No comando do mais importante diário do interior baiano, o Feira Hoje, transformou este influente jornal numa verdadeira escola de jornalismo. Numa época que a cidade não contava com escolas de comunicação em nível superior, Anchieta Nery, ao lado do também saudoso Egberto Costa, abriu a redação do Feira Hoje a uma leva de jovens jornalistas, muitos deles ainda continuam em plena atividade no mercado.
Em meados da década de 1980, época em que Feira de Santana viveu uma efervescência cultural bastante pulsante em todos os setores, Anchieta Nery brilhou na cena teatral, atuando como ator e autor, a exemplo da peça “Acauã”, um auto de natal da sua autoria que fez sucesso nos festivais de teatro promovidos pelo circuito universitário.

COMUNICAÇÂO NA VEIA
            Mas a paixão de Anchieta Nery, a que mais intensamente absorveu seu talento e a sua dedicação, foi mesmo o jornalismo. Assumiu o cargo de secretário municipal de Comunicação Social em l994, no governo José Raimundo de Azevedo. Anchieta comandou a Secom durante os dois primeiros governos do prefeito José Ronaldo, onde também deixou a sua marca na consolidação da conformação estrutural desta pasta.


A história do teatro em Feira

Os momentos mais importantes das artes cênicas desde a década de 1960 deixam o palco para ingressar na história. “O maior espetáculo da Feira”, é o que está sendo preparado para acontecer com o lançamento do livro “O teatro em Feira de Santana”, assinado pelo jornalista Geraldo Lima o que acontecerá hoje, às 20 horas, no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca). Com capa assinada pelo premiado artista plástico feirense Washington Falcão, o livro contém abordagens, entrevistas e registros dos principais protagonistas do movimento que deu uma nova dimensão à cena cultural de Feira de Santana, apesar das dificuldades e desafios causados pelo golpe militar de 1964, estabelecendo a censura ao livre pensamento.
Além de entrevistas com nomes que se destacaram no período, como Antônio Miranda, Deolindo Checcucci, Raymundo Pinto, Gildarte Ramos, Luciano Ribeiro, Antônia Velloso, Luluda Barreto, Neide Sampaio, Cezar Ubaldo, Dimas Oliveira, Leda Helena e outros da nova geração, como Celly Rodrigues, Araylton Públio, Elizete Destefanni e Suzana Vega. Eles contam suas experiências e as dificuldades que enfrentaram, encarando problemas e produzindo espetáculos que marcaram época.
Vários atores se preparam para fazer performances, abrilhantando o evento. Da mesma forma, segundo Geraldo Lima, “o maior espetáculo da Feira” contará com a participação especial de cantores, compositores e poetas do porte de Cescé Amorim, Franklin Maxado, Sandro Penelú, Timbaúba, Jurivaldo Alves, Zé Trindade, Ibernon Dantas, Márcia Porto, Celiah Zaiin, Djalma Ferreira, Carlos Mello, Goreti Figueredo, Zé Araújo, Caboquinho e João Ramos, Redivaldo Ribeiro, entre outros, sob a direção musical de Dionorina.
“ Uma noite diferente com ambientação lembrando a extinta feira livre, tendo como cenário a beleza da arquitetura que envolve o teatro de arena do Cuca”, planeja o jornalista e produtor cultural. No final, acontece show de Os Trogloditas, um dos primeiros grupos de rock de Feira de Santana, que relança em CD o primeiro disco gravado em vinil. O ingresso é um quilo de alimento não perecível a ser repassado ao Abrigo Casa de Passagem. O evento conta com o apoio da Prefeitura de Feira de Santana, projeto Pró-Cultura/Esporte e patrocínio do Hospital Emec, Clínica Radiológica, Imobiliária de Antônio Alencar, Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) e Digê Produção de Eventos e Assessoria.


Feira Coletivo apresenta Afronoise com OQuadro, Africania e Roça Sound

Seguem a mil os preparativos para a edição 2015 do Feira Noise, festival de artes integradas que é um dos mais conceituados do interior da Bahia. O Feira Coletivo está organizando uma série de eventos de aquecimento, como é o caso do Afronoise, no próximo dia 4 de outubro, a partir das 17 horas, no Antiquário Pub. Os shows ficarão por conta da banda OQuadro (Ilhéus), além das feirenses Africania e Roça Sound.
O Afronoise é um evento inédito, apesar de ter algumas afinidades com a Sexta Black. Seu diferencial é o leque maior de ritmos africanos, englobando do rap ao afrobeat, do hip hop ao blues, do reggae ao jazz.
Quando a Africania se define como fruto de um “nomadismo artístico em várias regiões do Brasil”, ou OQuadro diz tocar “música preta em constante movimento”, não estão exagerando. As atrações do Afronoise são daquelas que evitam se rotular demais, apreciadas por um público que também não está à procura de rótulos fáceis.
OQuadro é um grupo de rap que abre diálogo com outros estilos musicais e movimentos culturais. A originalidade é uma marca do primeiro disco, lançado em 2012 e repercutido por veículos de comunicação como o jornal O Globo, a revista Rolling Stone brasileira e o jornal inglês The Guardian. Das experiências internacionais, as mais recentes são os shows no festival dinamarquês Roskilde e no Club Aventura, em Hamburgo, na Alemanha.
A Africania, banda criada em 2006, participou dos festivais Ressonar e Paralello, ambos na Bahia. Gravou seis discos com influências jazzísticas, de ritmos caribenhos e do psytrance, e hoje é formada por Bel da Bonita (percussão e voz), Pedro Lucas (teclado), Luís Henrique (bateria e voz), Gibran Souza (percussão e voz), Ravel Carvalho (percussões e voz) e Moysés Martins (baixo). Nessa mescla de membros antigos com integrantes novos, todos se aventuram pelo experimentalismo.
O Roça Sound sempre se apresentava na Sexta Black e não poderia faltar no Afronoise. Através do grupo, que explora as sonoridades possíveis entre o reggae e o rap, a cultura sound system está muito bem representada em Feira de Santana, do mesmo modo que a música negra em geral.   

SERVIÇO 
O que: Feira Coletivo apresenta Afronoise
Quem: OQuadro, Africania e Roça Sound
Onde: Antiquário Pub, Rua General Mendes Pereira 202, Ponto Central, Feira de Santana
Quando: Domingo, dia 4 de outubro, a partir das 17 horas
Quanto: Ingressos antecipados R$ 15,00



quinta-feira, 24 de setembro de 2015

ESCORCHA

Na maioria das lan houses de Salvador o preço cobrado por uma hora de acesso à internet gira em torno de R$ 6,00, no máximo. No entanto, no “Cyber Café”, no Shopping Barra, a hora custa nada menos que R$ 20! Em tempos de crise, é melhor esquecer a net e voltar para a velha carta. Vá explorar assim mais adiante. Não é à toa que o local está sempre vazio.

O preço dos estacionamentos são um assalto à mão desarmada

Escorcha contra os donos de automóveis
Foi-se o tempo em que só quem tinha carro era gente rica.Hoje, esses veículos se popularizaram de tal forma que o resultado, nas ruas, é praticamente a imobilidade.
Mas não é disso que vou tratar aqui. Quero comentar a escorcha que é praticada diariamente contra quem tem um carro, e pode ser um carrinho simples, mil cilindradas, usado para trabalho. Multas “graciosas” se multiplicam, junto com as armadilhas criadas para arrecadar cada vez mais para a prefeitura (ou alugém aí acredita que as autoridades estão mesmo preocupadas com a segurança de alguém?). Para completar, NUNCA os preços dos estacionamentos estiveram tão caros em Salvador. Há casos, como o do Bahia Park, em alguns locais, onde se cobra, sem cerimônia, cerca de R$ 20 por uma hora.
Salvo raríssimas exceções, todos resolveram meter a mão no bolso dos donos de veículos e não estão nem aí para a crise.
Além disso, ignoram solenemente a lei que determina a cobrança fracionada e seguem cobrando a hora cheia. Contam com a vista grossa da prefeitura.

Shoppings na berlinda
Por falarem preço de estacionamento, os shopping centers já sentiram, pesado, a consequência da desastrosa cobrança de estacionamento exatamente quando explodiu a crise.
Alguns, como o Shopping Piedade, praticam preços escorchantes.
Mas agora a direção dos shoppings está tentando negociar a redução do preço. Tem que ser, pois se continuar assim, adeus clientes!

Os abutres da crise
E o PMDB não nega sua clássica avidez por poder.
Enquanto finge “defender” a sociedade de mais impostos, taxas etc., na verdade chantageia com a presidente Dilma em busca de cargos e verbas.
Na verdade, quando se trata de cargos, são explícitos: podem extinguir ministérios, mas, na farinha pouca, meu pirão primeiro. É isso aí, eleitores.

E por falar em ministérios...
Está cada vez mais claro que o “corte” de despesas que o governo anuncia nada mais é do que um teatro.
Fusão de ministérios, por exemplo, significará manter toda a estrutura e, claro, os mesmos gastos.
Quem vai “chimbar” mesmo, como sempre, é a sociedade, da qual, pelo visto, políticos e governantes não fazem parte. Acham estar muito mais acima. E devem estar, mesmo.

Brasília custa muito!
Centenas de bilhões de reais por ano. É o nesse patamar que se situa o custo Brasília.
Essa ilha da fantasia sorve grande parte do imposto trilionário que pagamos, em troca de nada, absolutamente em termos de saúde, segurança e educação públicas.
Eis uma situação que precisa urgentemente ser revista, de forma séria. Mas com essa gente que compõe nosso parlamento e esferas governistas, fica difícil. Pode até haver um ou outro que tem essa consciência, mas é voto vencido, na certa. Até quando?

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

E daí?

         Sempre fui fã dele. Desde os idos anos 70, quando ele assinava uma coluna no extinto Jornal da Bahia como J. U. Ribeiro. Estou falando, é claro, do jornalista e escritor baiano, João Ubaldo Ribeiro. Igualmente sou fã de um amigo de infância dele, que se tornou personagem frequente nas suas crônicas e artigos, o Luiz Cuiuba. Sujeito simples, nativo da ilha de Itaparica, colega de Ribeiro desde os tempos do primário, e que ele prezava muito.

         Umas das estórias mais deliciosas que Ribeiro contava sobre Cuiuba, foi quando ele o apresentou a um sociólogo, político, filósofo, e sei lá mais o que, como sendo um homem de grande conhecimento. A conversa entre os dois não rendeu muito, pois quando o sujeito começou a botar erudição pra cima de Cuiuba, acerca das aflições e dramas do cotidiano humano, Cuiuba só respondia: E daí? Após uns quatro ou cinco “e daí”, o sujeito não aguentou mais e sentenciou: “Poxa, Cuiuba. Assim não dá pra argumentar com você”! Ao que Cuiuba retrucou: “E daí”? Quer dizer. Luiz Cuiuba arrasou como o cara apenas com alguns “e daí”.
         Quando vi esta semana as imagens de um médico que surtou com um bombeiro que lhe deu voz de prisão porque se recusava a atender a um paciente, diga-se de passagem, porque nem o hospital, nem os funcionários e nem ele, o médico, tinham mais absoluta condição de atender a quem quer que fosse, eu me lembrei de Luiz Cuiuba. “Meu caro Dr. – eu teria dito ao médico – Pergunte ao bombeiro: E Daí? Sim. E daí? Me leve preso, mas antes, atende você mesmo ao seu paciente, se for capaz. Ora zorra! Vê lá se eu vou passar os melhores anos da minha vida alisando banco de universidade para me forma em médico, para receber voz de prisão de um bombeiro que não tem a menor noção do que está fazendo. Comigo não, violão!
         Certo dia o diretor de um hospital recebeu uma ordem judicial para internar um paciente. Ele explicou aos familiares do dito cujo, de que não havia vaga. Sabendo disso, o promotor que emitiu a ordem, foi pessoalmente ao hospital, acompanhada de dois policiais, para prender o diretor que desobedecera a uma ordem judicial. Em lá chegando, o diretor se defendeu: “Não desobedeci, meritíssimo, apenas queria que o senhor viesse aqui para me dizer quem eu devo tirar do hospital e deixar morrer, para poder internar o seu paciente. É só o senhor mandar que eu obedeço na hora”. Dá pra imaginar a cara de tacho do promotor?
         Pois é. Estamos vivenciando no Brasil mais uma situação surrealista, entre tantas outras já existentes. Sim. Porque como alguém já disse, aqui galinha cisca pra frente, puta goza e cafetão é ciumento. Imaginemos a situação do médico lá de Brasília (êpa!). Apenas ele e um colega num plantão onde deveriam estar quatro médicos. Poucos assistentes, faltando medicamentos e insumos para simples curativos, muito menos cirurgias. Cansado, estressado, tirando leite de pedra. Aparece um bombeiro para lhe dizer que se ele não internasse um paciente que ele, o bombeiro, levara para o hospital, seria preso. Dá ou não dá uma vontade danada de dizer: E daí?
         Observe-se que houve uma mudança na questão de internamentos em hospitais. Antigamente, combateu-se muito políticos que nomeavam diretores de hospitais e clínicas públicas, e internava seus pacientes (eleitores) enviando bilhetinhos, furando a fila em detrimento dos pacientes mais graves que não tinham votado neles. Isso agora mudou. Os políticos já não mandam bilhetinhos, não querem se expor. Mas, mandam seus funcionários nomeados para o judiciário fazer o trabalho sujo por eles. Isso significa dizer que morre quem não tem juiz, promotor ou advogado que lhe conceda um mandado judicial para ser internado.
         Essa situação poderia mudar se a Associação Brasileira de Medicina, se movesse para fazer algo mais pelos médicos do que cobrar mensalidades e distribuir honrarias a torto e a direito, como soe acontecer nas nossas antigas e hoje em dia nada nobres, instituições representativas.
         Já me estressei muito com estas situações. Denunciei, me expus, gritei. Ninguém me ouviu?

         E daí?

PT SAUDAÇÕES

Quando da primeira condenação de José Dirceu – junto com outros próceres do PT -, em função do mensalão, houve quase uma mobilização nacional de solidariedade ao ex-ministro, que foi classificado como “preso político”. Hoje, Dirceu e Vaccari (este, ex-tesoureiro do partido) amarga condenação severa, na cadeia, e não se esboça um gesto sequer de solidariedade. Será que os “cumpanheiros” se esqueceram deles?Hum...

De onde vêm tantas armas, senhores?

Tiros, balas por toda parte. Rotina.
Em nosso país, o cidadão honesto não pode mais ter uma arma. Ou seja, se você, caro leitor, por exemplo, mora no 12º andar de um prédio e de repente ladrões forçam sua porta, a única saída é fugir pela janela, usando uma “Tereza”(aquela corda feita com panos pelos presidiários para a fuga) ou começar a rezar o Pai Nosso.
No entanto, basta uma espiadela, um dia só, no fartíssimo noticiário policial de todas as emissoras de TV e jornais impressos para constatar que NUNCA se matou tanto com arma de fogo como hoje, no Brasil.
Revólveres, pistolas, fuzis e mesmo metralhadoras estão em toda parte. Desde uma outrora pacata e respeitável sala de aula até – e principalmente – nos assaltos mais ousados, que grassam no interior, passando pelos crimes passionais.
Ficam no ar duas perguntinhas socráticas: 1. De que adiantaram as demagógicas – e suspeitas! – campanhas de desarmamento promovidas pelo governos FHC, Lula e Dilma? 2. De onde vem tanta arma ilegal? Pois é...

Ainda sobre desarmamento (I)
É balela essa história de que se o cidadão honesto puder ter uma arma em casa, devidamente registrada, aumentariam os crimes no País.
Primeiro, porque aumentar mais até parece difícil, diante do nível de genocídio a que chegamos.
Segundo, porque são raros, muito raros, os casos de acidentes domésticos com armas de fogo.
Por exemplo, fui criado em fazendas, em Vitória da Conquista, onde meus avós e tios tinham verdadeiros arsenais em seus armários, devidamente rançados. E NUNCA houve qualquer acidente...

Ainda sobre desarmamento (II)
Vejamos o que publica o site Pela Legítima Defesa: “Um extenso estudo do professor John R. Lott Jr., publicado em 1999 e baseado em fatos concretos, o qual não deixa dúvidas de que quanto mais armas nas mãos de cidadãos honestos, menos crimes, mais uma vez é confirmado, e agora por uma por uma pesquisa feita pelo governo americano e pelo Instituto Pew Research. Segundo a pesquisa realizada no período de 1993 a 2010, a queda no número de crimes contra a propriedade foi de 61% e a queda de homicídios cometidos com o uso de armas de fogo foi de 49%.”

Ainda sobre desarmamento (III)
E tem mais :”Enquanto isso, no país onde o governo desarma o cidadão de bem deixando-o à mercê da bandidagem, o número de homicídios aumentou 72%.
Alguns poderiam perguntar: ‘Mas será que o governo brasileiro não enxerga essa realidade?’  Sim, ele enxerga, mas o verdadeiro objetivo do desarmamento civil é o controle social para implantar aqui um estado totalitário.” Vade retro!

Velocidade mínima (I)
Implantar velocidade máxima de 50 quilômetros por hora na Avenida Paralela é um absurdo!
Trata-se, aliás, do limite indicado até hoje pelas placas localizadas na Avenida Joana Angélica, onde, ironicamente, ninguém consegue passar de 10 ou 15km/h.

Velocidade mínima (II)
É de se perguntar: até onde irá a sanha arrecadadora da prefeitura que, através da Transalvador (que só serve para multar, e ponto final), decidiu engordar seus cofres multando a torto e a direito?
Nesse particular, nossa prefeitura se alinha perfeitamente com a de São Paulo, comandada pelo Fernando”Radar”.