terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Alex Ferraz

De posse, possibilidades e boçalidades  
Vi na TV o ensaio da posse da presidente Dilma, para seu segundo mandato.

Confesso que fiquei chocado.

E não só porque ela vai receber a faixa, ou pelo menos será recebida, por Henrique Alves e Renan Calheiros.

O meu choque maior veio da pompa e circunstância, que nada tem a ver com a realidade cruel do País, seja nas hostes elitistas, com o escândalo monumental da Petrobras e empreiteiras, seja na miséria da foto publicada ontem o site de O Globo, mostrando uma família misturada a porcos, na lama, emoldurada pela notícia de que 50% dos municípios brasileiros não terão verbas para saneamento básico em 2015.

Fiquei com a perturbadora sensação de estar numa daquelas ditaduras africanas, onde reis desfilam em carros de luxo em meio à fome e à miséria absoluta.

Deveríamos ser um pouco mais modestos e evitar o fausto.

Assim manda o bom senso, principalmente quando se trata de uma presidente que já provou na carne a tortura exatamente por lutar pelos misereráveis.

Mas seja lá o que for...


Livres Dezenas de milhares de presos, em todo o País, foram libertados por conta do indulto de Natal, previsto no Código Penal.

Sabe-se que, em média, 10% deles não voltam para a cadeia.

E aí fica a pergunta: até que ponto é justa, para a sociedade, essa libertação em massa, quando se sabe que os que não retornam acabam voltando a cometer crimes, inclusive de morte? Dúvida cruel...


E por falar em abismo social (I) Notícia: “Oficialmente, ministros do governo Dilma recebem salários “comuns” de R$ 26,7 mil por ocuparem cargos na Esplanada.

Mas um terço dos 39 ministros ganham ‘jetons’, bônus salariais, por integrarem conselho de empresas estatais e outros órgãos do governo federal.

O Conselho de Administração da Petrobras, por exemplo, rende R$ 10 mil por mês.

‘Jetons’ são pagos nos Correios, Finep, BNDES, Itaipu, Sesc, BB etc.


E por falar em abismo social (II) Detalhes: “A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, tem recebido em torno de R$ 46,8 mil com salário mais jetons da Petrobras e da BR distribuidora.O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) vem logo atrás com R$ 42 mil incluindo o “honorário” de R$ 20.904,99 que recebe do BNDES.O jeton é uma remuneração por representar a União em Conselhos de Administração ou Fiscal de empresas controladas… pela União.” Sem comentários.


Carnificina nas estradas (I) Todo ano, nesta época, faço este comentário, inclusive repetindo título, pois trata-se mesmo de uma carnificina.

O noticiário tem mostrado, diariamente, acidentes na Bahia e no resto do Brasil envolvendo a morte de famílias inteiras.

São dezenas de acidentes POR DIA, que somam muito mais mortes do que aquelas verificadas, por exemplo, no acidente com o Airbus da Airasia, ocorrido há três dias.


Carnificina nas estradas (II) Diante disso, novamente nos reportamos ao fato de que nem só a Lei Seca reduziria acidentes no País.

Ela está aí, severíssima, acrescida de valores até 900% maiores em outras multas de estrada, mas os acidentes ocorrem, matando cada vez mais pessoas.

Já passou a hora de se pensar nas condições gerais das estradas brasileiras (fiscalização, sinalização, saturação etc.).

Não adianta tentar esconder o sol com a peneira da cerveja.

“-E agora, quem vai me indenizar?”



Outro dia, ouvi um companheiro de jornada terrena comentando sobre os cuidados que as casas espíritas devem ter ao permitir alguém palestrar sobre reencarnação.
Não sei os motivos do comentário, só sei que Kardec não fundou nenhuma religião, e isso é o suficiente para não se instalar dogmas nessa ciência espírita.
Talvez o termo “ciência espírita” não seja o correto devido a versatilidade dessa doutrina que ora pode ser realmente religião, ora filosofia de vida e ora ciência espírita.
Para os espiritualistas, a encarnação é uma coisa tão dinâmica e tão científica que não se justifica nenhuma postura dogmática sobre o tema.
Sei que mudar certos conceitos não é fácil e sei também do preço alto que o saudoso pesquisador Ernani Guimarães Andrade, pagou para levar ao Brasil e ao mundo as mais ricas informações científicas sobre a espiritualidade.
A reencarnação, com ou sem explicações dogmáticas sempre existiu entre espíritas, ateus e religiosos.
Se dez companheiros estiverem explicando o processo reencarnatório e todos os dez tiverem explicações diferentes e contraditórias, pode ter certeza de uma coisa, todos os dez estão certos.
A reencarnação não é uma fórmula química onde a subtração ou adição de algum elemento altere o resultado. A mesma teoria se aplica ao processo desencarne. Tudo depende do momento, da situação e da  sintonia mental do gerador do evento.
A reencarnação é uma lei natural e, mesmo assim, muitos companheiros continuam dogmatizando e acreditando que, além das amizades espirituais, amealhadas nos centros espíritas, eles ainda detém um passaporte que, após o seu desencarne, este lhe dará passagem livre para alguma cidade espiritual tipo “Nosso Lar”.
E se não for assim, quem vai lhe indenizar. Quem vai lhe mandar uma mensagem via “WhatSapp” dizendo: - me desculpe companheiro de jornada, eu exagerei por “mea culpa, mea máxima culpa”.
O mundo espiritual é benevolente, e no final dá tudo certo, mas não é preciso se descaracterizar o trabalho do pedagogo Rivail Denizard lhe instalando dogmas e paradígmas de religiosidade.
Assim como a religião é fundamental na vida das pessoas, a doutrinária espírita, que não é religião e nem contém dogmas, deveria ser matéria obrigatória no ensino básico de nossas escolas. Com certeza, nossa relação social seria diferente.
Religião é algo fundamental e necessário para uma convivência harmoniosa, pois ela é uma festa sagrada onde se exercita o respeito, a fé, a gratidão e, acima de tudo, a harmonia familiar.  
Todas as religiões trazem esse princípio em seu bojo. Algumas exageram em suas tradições dogmáticas, outras extrapolam a alegria de uma geração rebelde e muitas norteiam suas festas, na gratidão aos antepassados. Todas são caminhos que levam ao mesmo lugar.
Todos, um dia, vamos morrer e quase todos voltaremos a dividir espaço sobre a bola azul.
Todos se beneficiarão da Luz que alumia o mundo e que nossos antepassados adoravam como sagrada, mas agora, somos ensinados que isso era ignorância dos antigos, e que essa fonte de luz divina, não passa de um grande gerador de câncer de pele.
Conrado Dantas
conrado.cedraz@gmail.com

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Smartphones alteram a forma como o cérebro conversa com seus dedos

Quantas vezes por dia você pega o telefone, dá uma olhadinha no Facebook, no Twitter, nas mensagens, no tempo, na agenda, nas fotos, nas músicas…. ufa… E tudo isso de uma só vez!
Quando vai escrever e-mails, então, acaba passando uns bons minutos movimentando sem parar os polegares. Pois bem, esse movimento não era comum antigamente, e foi exatamente isso que levou neurocientistas da Universidade de Zurich a estudar a relação entre os dedos das mãos e o cérebro.
O estudo, publicado na revista científica Current Biology, aponta resultados curiosos sobre a plasticidade do órgão que controla o corpo humano, e revela que o tempo que você passa usando o smarphone afeta diretamente a forma como seu cérebro se adapta às necessidades diárias dos seus dedos.
texting
Imagem: Creative Commons / Kamyar Adl

Para chegar à conclusão, os pesquisadores analisaram os usos do smartphone associados ao monitoramento da atividade cerebral dos participantes. Segundo a equipe, não foi difícil obter os dados, já que os aparelhos de telefone utilizados automaticamente armazenam dados específicos sobre o uso dos aplicativos.
O estudo, liderado pelo pesquisador Arko Ghosh, da Universidade de Zurich, aponta que os dedos mais utilizados são o polegar, o indicador e o dedo do meio (sim, esse mesmo). E, quando comparado com pessoas que não usam smartphones, as ondas cerebrais dos usuários têm atividades significativamente mais altas na região do cérebro encarregada do uso desses dedos. Isso significa que os usuários apresentam maior destreza no uso dos dedos.
Os resultados podem parecer óbvios, mas têm implicações importantes sobre como as tecnologias modernas não só estão mudando nossas formas de interação com o espaço e o tempo, mas também podem reformatar o processamento cerebral sensorial humano. Em outras palavras, quanto mais complicada a tecnologia, mais o cérebro se vira pra dar conta da tarefa.
E você aí, achando que não ia conseguir acompanhar a evolução tecnológica…

Superinteressante

Vinho faz tão bem quanto exercícios físicos

wine
O ano de 2014 está quase no fim. E talvez você ainda não tenha cumprido aquela antiga promessa de fazer mais exercícios físicos. Deixa esse papo para janeiro. Por ora, você pode compensar esse sedentarismo de outro jeito: uma taça de vinho faz tão bem para o corpo quanto uma hora de atividades físicas.
Funcionou com ratos, pelo menos. Ao longo de quatro meses, pesquisadores incorporaram à dieta deles uma substância chamada resveratrol, encontrada em nozes, alguns tipos de frutas e vinho tinto. E os ratinhos se deram bem. Ganharam mais força nos músculos esqueléticos, e apresentaram melhora nas funções cardíacas e no metabolismo. Foi como se eles tivessem feito exercícios físicos arduamente. Enquanto, na verdade, só tiraram proveito da substância encontrada no vinho tinto.

Crédito da foto: flickr.com/rpeschetz/
Ciência maluca/Superinteressante

domingo, 28 de dezembro de 2014

Alex Ferraz

Muitas contradições a bordo do ferry  
No feriadão de Natal, estive a ouvir entrevistas a respeito do funcionamento do ferry boat, e, claro lendo e ouvindo também matérias sobre o suplício dos usuários.

Nas entrevistas oficiais, inclusive uma com o diretor da Agerba, as notícias eram muito boas.

Dizia-se que o tempo de espera tem sido bastante tolerável, coisa de meia hora ou menos, etc. e tal.

Todavia, quando se ouviam usuários, inclusive nas filas de Bom Despacho e de São Joaquim, a realidade era outra.

Por exemplo, um usuário disse que entrou na fila de retorno, ontem, em Bom despacho, por volta de 5h30 da manhã, se somente às 8h30 horas conseguiu embarcara.

Há algo errado aí.

Mesmo com todos (sic) os navios em operação, o gargalo continua e tudo indica que o Réveillon e o Carnaval serão mais uma tortura.


Direitos  
Ouvido em um bar, a propósito de corrupção, Petrobras, mensalão e do volume geral dessas falcatruas em reais (bilhões): “Diante do que vemos hoje, Fernando Collor de Mello, com sua corrupção barata de uma Elba e outras cositas más, deveria ir ao Procon, reclamar  por seus direitos.

Hehehe...


Ainda sobre o ferry (I)
 Há uma realidade irrefutável: por mais que se ponham navios novos, todos funcionando, o grande gargalo parece estar no embarque, tanto em São Joaquim como em Bom Despacho.

Não adianta terá dez navios ou mais, se as pontes de atracação continuam as mesmas.

Ainda sobre o ferry (II)
 E não adianta falar em ponte, pois, mesmo que o projeto seja executado, certamente demandarão anos, muitos anos, para ela ficar pronta (vide o tempo, quase 15 anos, que levou para o metrozinho entrar em operação).

Então, é preciso que se aja de forma emergencial para evitar essa tortura.

Ou não, como diria Caetano Veloso.


Um calor infernal
 Esta Tribuna voltou a lembrar, ontem, que teremos o Verão mais quente dos últimos 30 anos.

Mas parece que gerentes de bancos, lotéricas., supermercados, lan houses, repartições públicas etc.

não estão nem aí.

Reduzem (?) o ar condicionado e tornam a vida dos seus clientes, razão de ser deles, um inferno na terra.

Ufa!


Livres para matar e roubar
Em São Paulo, foram mais de 23 mil.

Em Minas Gerais, pelo menos oito mil.

Na Bahia, devem ser outros tantos.

São os presos liberados pelo bondoso indulto de Natal, sabendo, os juízes, que estatisticamente pelo menos 10% deles não retornam à cadeia.

Como este país é bonzinho, hein?


Na TV, momentos de reflexão  
Entrevistado, um cidadão fala sobre Papai Noel e diz: “Não quero presente, quero futuro”.

Beleza!

Agora, o patético: o locutor refere-se aos diversos modos de celebrar o Natal e diz que abordará “diversos assunto diferentes”.

Fico a pensar como seria falar sobre DIVERSOS assunto IGUAIS...

A ciência de 'aprender dormindo'

A ideia de aprender enquanto dormimos é tão atraente quanto controversa. Na literatura e no cinema, o mais comum é que ela tome a forma de uma mente inconsciente absorvendo novas informações a partir de uma gravação tocando ao fundo.
Hoje, se sabe que este tipo de aprendizado durante o sono é quase certamente impossível. Embora estudos iniciais tivessem sugerido que as pessoas sejam capazes de guardar alguns fatos durante o sono, a verdade é que os cientistas nunca puderam descartar que elas não tivessem simplesmente acordado levemente e ouvido a gravação.
Para testar essas suspeitas, Charles Simon e William Emmons conectaram eletrodos ao couro cabeludo de voluntários e se asseguraram de que suas 'cobaias' estavam dormindo no momento em que gravações fossem tocadas. As pesquisas, feitas nos anos 1950, confirmaram as suspeitas: as pessoas não aprenderam nada do que foi tocado para elas enquanto dormiam.
Apesar de ser impossível ensinar habilidades do zero a uma pessoa durante o sono, há muitas maneiras, básicas ou sofisticadas, de ajudá-la a consolidar conhecimento adquirido enquanto descansa.
Quando dormimos, nosso cérebro pode não enxergar ou escutar novas informações, mas está absorvendo as experiências do dia anterior, enviando memórias do hipocampo, onde os cientistas acreditam que elas se formam, para as várias áreas do córtex, onde são armazenadas a longo prazo.
"O sono ajuda a estabilizar as memórias e a integrá-las a uma rede de recordações mais antigas", diz Susanne Diekelmann, da Universidade de Tubingen, na Alemanha.
Dormir também possibilita a generalização daquilo que aprendemos, para podermos aplicar o conhecimento em novas situações. 

'Manipulando' sonhos
Assim, vários experimentos têm buscado estimular o cérebro durante o sono com a finalidade de ajudá-lo a consolidar fatos e habilidades aprendidos durante o dia.
Entre os métodos existentes para alcançar esse fim, o mais simples deriva de uma pesquisa realizada no século 19 pelo nobre francês Marquês d’Hervey de Saint-Denys.
Explorando maneiras de manipular seus sonhos, ele descobriu que podia evocar certas lembranças com odores, sabores e sons. E usava esses estímulos durante o sono para ter noites com sonhos mais prazerosos.
Essa mesma abordagem pode fazer o cérebro reproduzir, durante o sono, habilidades e fatos adquiridos, reforçando o aprendizado.
Diekelman fez uma experiência com voluntários na qual pediu para eles memorizarem uma sequência de objetos enquanto inalavam um aroma artificial e sutil. Quando os voluntários dormiam, a cientista borrifou o mesmo aroma nas narinas de alguns deles.
Uma tomografia mostrou que eles apresentavam uma comunicação maior entre o hipocampo e as áreas do córtex. No dia seguinte, esses voluntários lembraram de 84% dos objetos na sequência, enquanto o grupo que não foi submetido ao aroma durante o sono lembrou de apenas 61%.

Upgrade tecnológico
Em um futuro próximo, a tecnologia poderá oferecer novas maneiras de incentivar os ciclos do sono no cérebro. Cientistas acreditam que a consolidação da memória ocorre durante oscilações específicas e lentas da atividade elétrica cerebral. Por isso, estão tentando estimular esse tipo de onda no cérebro sem acordar o paciente.

Jan Born, da Universidade de Tubingen, é um dos pioneiros nesse tipo de experiência. Recentemente, Born testou uma espécie de touca de eletrodos que medem a atividade neural enquanto um fone de ouvidos toca sons em sincronia com as ondas cerebrais.
"O método aprofunda o sono de ondas lentas e o torna mais intenso. É uma maneira mais natural de fazer o sistema funcionar em um certo ritmo", explica.
Já Miriam Reiner, do Instituto de Tecnologia Technion, em Haifa, em Israel, está elaborando um tipo de "neurofeedback" que permite aos voluntários controlar sua atividade neural enquanto estão acordados. Um eletrodo ligado à cabeça dos voluntários envia sinais a um jogo no qual cada pessoa tem que dirigir um carro com o poder do pensamento.
Quando o eletrodo registra a frequência correta de ondas cerebrais, normalmente associada com a consolidação da memória durante o sono, elas aceleram. A mudança no estado mental é visível. "Me sinto mais relaxada, como se estivesse em um lugar sereno e bonito", diz Reiner.
A ideia é dar um impulso à consolidação da memória logo após o aprendizado, o que faz com que o cérebro funcione melhor durante o sono.

Pesquisas
Ainda são necessários testes mais abrangentes e com mais voluntários antes que essas técnicas sejam adotadas no dia-a-dia. Para Reiner, ainda precisamos nos perguntar se seria correto começar a manipular as memórias das pessoas, ainda que com boas intenções.
"O sono é um estado vulnerável", observa ela.
Mas a cientista ressalta que questões como essa não devem conter o interesse em aprender dormindo.
Em última instância, pesquisas sobre o assunto podem mudar a maneira como percebemos essa parte tão subestimada de nossas vidas.
Em uma cultura ocidental onde ser workaholic é aceitável, o sono às vezes tende a ser considerado uma perda de tempo que tentamos vencer com uma boa dose de cafeína.
Mas quem sabe um dia comecemos a valorizar o dormir como uma parte do dia rentável na qual não precisamos fazer nada, a não ser relaxar. (BBCBrasil)

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Alex Ferraz

TORTURA
O Verão chegou, o calor que deverá ser o maior dos
últimos 30 anos também, mas isso não parece ter tocado o coração nem os termômetros dos que gerenciam lojas de supermercados, agências bancárias, lotéricas etc. nesta cidade. Todos desligam ou economizam o ar condicionado, EXATAMENTE no Verão. É falta de inteligência ou crueldade? Zorra!

As autoridades de segurança e trânsito debocham do cidadão

Estão apenas fazendo cena?
Há cerca de 30 dias, abordei nesta coluna a ação exemplar da Transalvador no viaduto que liga a avenida Cardeal da Silva à rua Caetano Moura, na Federação. Impediram a contramão clássica do ponto e regularizaram o trânsito. Mas só ficaram dois dias. E sumiram.
Mais tempo atrás, abordei nesta coluna o altíssimo índice de violência na Lapinha, Soledade e Barbalho. Após muita insistência, colocaram duplas de PM no local e tudo ficou parecendo civilizado. Mas durou pouco. Retiraram o policiamento e a população voltou a ver navios.
O que se passa na cabeça das pessoas que comandam esses setores? Estão querendo enganar a quem? Ora, bolas, por que não mantêm as ações que dão bons resultados? Incrível!

Preparem os bolsos (I)
O preço da cerveja, claro, está começando a estourar neste início de Verão.
Uma garrafa simples, de marca simples, já está sendo vendida a R$ 6, inclusive em bares mais “simples”.
E, preparem-se, chegará a mais até o auge do Verão.

Preparem os bolsos (II)
E é bem lembrar que, apesar de toda a perseguição fundamentalista que o governo exerce sobre o uso de bebidas, este setor é um dos que proporcionam maior arrecadação ao sedento Estado brasileiro. Uma hipocrisia só.

Ganham muito e atendem mal
Nunca é demais assinalar que os bancos privados, neste País, jamais faturaram tanto.
Todavia,e vamos cobrar de novo, atendem pessimamente ao cidadão comum.
Basta ver a falta de segurança e de ar condicionado no atendimento automático, em todas as agências, nos finais de semana. Um deboche.

Corrupção anunciada (I)
Da coluna do Cláudio Humberto: “Os ministros já anunciados por Dilma para o seu segundo governo podem até escapar da Operação Lava Jato e do Petrolão, mas a maioria está longe de ser considerada ‘ficha limpa’. Os ministros Eliseu Padilha (Aviação Civil), Helder Barbalho (Pesca), Edinho Araújo (Portos), Kátia Abreu (Agricultura), Gilberto Kassab (Cidades) e Eduardo Braga (Minas e Energia) respondem a processos na Justiça.
Eliseu Padilha é alvo de processos por corrupção passiva e peculato, no Supremo. E responde a processo até por quebra de sigilo funcional. ardo Braga e Kátia Abreu também respondem a processos no STF; Braga teria cometido crime eleitoral e Abreu, falsificação de selo oficial. Gilberto Kassab é alvo de várias ações por improbidade administrativa, incluindo o caso do patrocínio ao UFC e da construção do Itaquerão. Futuro ministro da Pesca, Helder Barbalho responde a dois cabeludos processos na Justiça Federal por improbidade administrativa.”

Corrupção anunciada (II)
Como se vê, a Lei da Ficha Limpa foi de vez para o lixo.
Paulo Maluf, recém-perdoado e diplomado como deputado, que o diga! Aí, ai...

Psiquiatra alerta para perigos do excesso de álcool nas festas de fim de ano

Época de emoções e também de excessos, principalmente de álcool, as festas de final de ano acendem um alerta vermelho que deve ser  levado em conta pelos cidadãos, recomendou o presidente da Associação Brasileira de Alcoolismo e Outras Drogas (Abrad), psiquiatra Jorge Jaber Filho.

Em entrevista hoje (26) à Agência Brasil, Jaber informou que, do ponto de vista fisiológico, o ser humano tem necessidade de algumas substâncias químicas no cérebro, que são os neurotransmissores, que se assemelham às moléculas das drogas, como o álcool, o tabaco, a cocaína, a maconha.
“Há uma tendência na vida das pessoas, que se radicaliza nesse momento de datas festivas, de haver falta dessa substância no cérebro. Aí, a pessoa  toma alguma substância, como o álcool, que é um estimulante em pequenas doses, mas que, se tomado em excesso, acaba produzindo o efeito inverso. Em vez de um estímulo ao sistema nervoso central, ela passa a ter uma inibição desse sistema, fazendo com que aumente ainda mais a depressão, decorrente muitas vezes da lembrança de pessoas queridas que não estão mais presentes”, disse o psiquiatra.
Segundo Jaber, há uma inversão de valores nas festas de fim de ano, com crescimento do aspecto mais materialista da data, e não dos valores espirituais. “Assim, as pessoas acabam abusando dessas substâncias, que adicionam no organismo, como adicionam comidas”. Ele explicou que, a partir daí, há um abuso que pode ser o fator determinante de doenças como alcoolismo e dependência química.
O psiquiatra salientou que, nessa época, costuma aumentar o número de internações tanto em hospitais de pronto-socorro como em clínicas psiquiátricas. “A situação da saúde pública ainda não conseguiu resolver a questão de leitos hospitalares e, em relação à saúde mental, vigora a política da redução do dano. Ou seja, a pessoa pode usar [álcool, no caso], desde que não cometa atos que piorem a sua vida”. Segundo ele, o Brasil está experimentando esse tipo de política, mas, aparentemente, não tem tido o sucesso esperado. Isso é constatado pela existência de cracolândias, áreas onde se reúnem centenas de pessoas drogadas, principalmente nas grandes metrópoles.
Jaber lembrou que quase todas as pessoas que usam álcool começaram usando tabaco e daí passaram para a maconha. “Quase todos os que usam maconha começaram com tabaco ou álcool. Essas três drogas são fundamentais para levar ao uso da cocaína.”
De acordo com o Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), feito pelo Instituto Nacional de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas da Universidade Federal de São Paulo, a proporção de bebedores frequentes (que bebem uma vez por semana ou mais) subiu 20% no país entre 2006 e 2012, passando de 45% para 54%. A expansão entre as mulheres (34,5%) foi maior do que entre os homens (14,2%), no período pesquisado.
Em termos de concentração do consumo de álcool, o levantamento mostra que 20% dos adultos brasileiros que mais bebem ingerem 56% de todo o álcool consumido. A pesquisa revela ainda que quase dois de cada dez bebedores apresentaram critérios para abuso ou dependência de álcool e que 32% dos adultos que bebem relataram não terem sido capazes de parar depois que começaram a beber.
O levantamento constatou também a relação entre abuso de álcool e depressão. Dos 5% de brasileiros que tentaram tirar a própria vida entre 2006 e 2012, em mais de dois de cada dez casos, o que equivale a 24%, a tentativa estava relacionada ao consumo de bebidas alcoólicas.
Para o presidente da Abrad,  a tendência é aumentar o uso de álcool no Brasil. “O que nós temos visto é um aumento do custo na saúde pública da liberação do álcool para menores de 18 anos. E isso leva a um abuso cada vez mais cedo nos jovens, gerando alterações físicas e mentais muito importantes”. Jaber criticou a falta de fiscalização na venda de bebidas para crianças e adolescentes, principalmente em postos de gasolina, onde os jovens compram suco ou refrigerante e tomam misturado a álcool. “Todos veem isso acontecer e não há um efetivo combate  a essa prática.”
O psiquiatra ressaltou que não há distinção de classe social ou de nível socioeconômico entre os bebedores de álcool no país. “Os mais abastados costumam misturar vodca com bebidas energéticas ou cafeínicos, enquanto os menos abastados procuram tomar cerveja com cachaça  ou fazer essas misturas chamadas batidas, que misturam cachaça com refrescos ou refrigerantes”. Ele destacou ainda que, nas comunidades carentes, a situação econômica favorece a venda de substâncias ilícitas, como o álcool, entre menores de idade. (Alana Gandra - Agencia Brasil)

Uso intenso de smartphones provoca alteração no cérebro

A utilização intensa de certos tipos de telefones celulares está provocando uma alteração no cérebro de usuários pela adaptação à nova atividade motora. A conclusão faz parte de um estudo feito pelo Instituto de Neuroinformática da Universidade de Zurique, que analisou as reações de um grupo de 37 voluntários.
Segundo os pesquisadores, os cérebros dos usuários dos chamados smartphones estão sendo alterados pela operação repetida das telas de toque.
Para medir a atividade cerebral do grupo, os cientistas utilizaram a técnica conhecida como eletroencefalografia ou EEG na sigla em inglês. Eles perceberam diferenças marcantes entre os usuários de smartphones e aqueles que utilizavam celulares "convencionais".
Analisando os resultados do EEG, os cientistas concluíram que os usuários de smartphones demonstravam maior destreza no uso dos dedos.
Dos 37 voluntários, 26 eram usuários de smartphones com telas de toque e 11 se mantinham fieis aos modelos mais antiquados de celulares.

EEG
O teste de EEG monitorou os impulsos elétricos trocados entre o cérebro e as mãos dos indivíduos através dos nervos.
A atividade foi monitorada por diversos eletrodos colocados no couro cabeludo de cada voluntário, capazes de captar esta troca de mensagens na forma sensorial.
A partir dessas informações, os pesquisadores puderam criar um "mapa" que indica a porção do tecido cerebral dedicada à operação de uma determinada parte do corpo.
Os resultados revelaram diferenças distintas entre os usuários de smartphones com telas de toque e os que usam telefones celulares convencionais.
Os usuários de smartphones apresentaram maior atividade cerebral em resposta aos toques dados na tela dos aparelhos pelos dedos médio, polegar e indicador.
E, aparentemente, isto está ligado à frequência com que se usa o smartphone - quanto mais frequente é o uso, maior é a resposta registrada pelo EEG.
Segundo os cientistas, o resultado - publicado na revista científica Current Biology - faz sentido, uma vez que o cérebro é maleável e, portanto, pode ser moldado pela utilização prática repetidamente.
Eles citam como exemplo os violinistas, que têm a área do cérebro dedicada ao controle dos dedos usados para tocar o instrumento maior do que a mesma área do cérebro de alguém que não toca violino.
Os pesquisadores acreditam que o mesmo está acontecendo com os usuários de smartphone - eles estariam tendo seus cérebros "esculpidos" pelo uso repetido pelos toques nas telas dos aparelhos.
Arko Ghosh, que liderou o grupo de pesquisadores da Universidade de Zurique, disse que ficou surpreso pela "escala das mudanças introduzidas (no cérebro) pelo uso de smartphones".
Ele acrescentou que o estudo reforça a ideia de que a onipresença dos smartphones está tendo um grande efeito na nossa vida cotidiana. (BBCBrasil)

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Alex Ferraz

Um assalto protegido por lei
Esta Tribuna destacou ontem na sua capa o absurdo patamar a que chegaram os juros do cheque especial no País.
Nada menos que 191,6% ao ano.
Certamente o maior do mundo.
Eis uma nova modalidade de assalto, protegida por lei, que atinge os bolsos daqueles que ousam, por ingenuidade ou descuido, utiliza esse tipo de cheque.
E qual a contrapartida que os bancos nos dão ao obter lucros fantásticos deste tipo? Se não formos clientes especiais, vips, enfrentamos enormes filas - ou mesmo espera de até uma hora, ainda que sentados, à mercê de senhas, e não temos QUALQUER segurança quando utilizamos caixas eletrônicos, nas próprias agências, à noite ou no fim de semana.
É isso aí...

Coincidência!
Exatamente quando começa o grande pico de trânsito nas estradas, o pedágio da BR-324 é reajustado.
Mas vá lá que seja, estava previsto em contrato etc,etc.
No entanto, é urgente que seja resolvido o problema desta rodovia, que desde que passou a ser pedagiada vive engarrafada e duplicou, literalmente, o tempo de viagem entre Salvador e Feira.
E cadê a duplicação da BR-116? Está lenta demais...

E já estamos em campanha
Mal saímos das eleições de outubro último, e já estamos de novo em campanha.
Já se fala abertamente em candidatos a prefeito, por exemplo.
A sucessão municipal está no ar, deverá dominar o ano de 2015, e em 2016, ano da votação, será o tema absoluto.
Ufa! Isso atrapalha tanto a vida do país!
Sem luz nofim do túnel
Há meses que denuncio nesta coluna a péssima iluminação do túnel Américo Simas.
Menos da metade das lâmpadas está acesa, e assim mesmo emitindo uma luz fraca.
É intrigante que até agora a prefeitura não tenha instalado uma nova iluminação, inclusive à base de led.
Incrível!

Isso é que vida,minha gente
Eles tiveram férias no meio do ano, por conta da Copa do Mundo.
Normalmente, trabalham de terça a quinta.
Na semana passada, ganharam um gordo aumento e recebem, só de salário, quase 30 mil reais.
Com outras mordomias e verbas, dobram ou triplicam isso.
E desde ontem - embora devesse ser hoje - estão de novo em recesso, até fevereiro.
Que vidão, esse do Congresso, hein? E nós pagamos tudo!

O mínimo de todosos mínimos (I)
A notícia: "A Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) aprovou na noite desta segunda-feira (22) o relatório final do Orçamento de 2015 que prevê o valor do salário mínimo de R$ 790 a partir de 1º de janeiro.
O texto, contudo, será votado somente em fevereiro, com a retomada dos trabalhos do Senado e da Câmara."

O mínimo de todosos mínimos (II)
A disparidade entre o salário mínimo e a realidade dos preços no País é chocante, acintosa, debochada.
Peço o leitor que pegue uma calculadora e vá listando as necessidades básicas de uma só pessoa (nem falo de um casal ou família...), sem incluir lazer, e veja quantos DIAS duram esses R$ 790.

Concerto de Arthur Moreira Lima leva cinco mil pessoas a Matriz



 "Essa eu conheço". "Essa eu já ouvi". Na noite desta terça-feira, 23, milhares de pessoas tiveram um contato mais íntimo com a música erudita e perceberam que algumas destas canções  fazem mais parte da memória musical do que imaginavam. O concerto do renomado pianista Arthur Moreira Lima contagiou o público de mais de cinco mil pessoas na Praça Monsenhor Renato Galvão (Praça da Matriz), na última noite do Natal Encantado 2014.
 Diante do clima natalino, o repertório foi aberto com a cantata 147 "Jesus, alegria dos homens", de Johann Sebastian Bach. Em seguida, a interpretação da canção "Polonaise", de Frédéric Chopin, arrancou aplausos entusiasmados do público. A principal proposta de Moreira Lima, democratizar a música erudita e valorizar, em sua devida dimensão, a música popular brasileira, ficou clara em sua participação no Natal Encantado.
 
Após apresentar ao público grandes clássicos de Mozart, Liszt, Nazareth, Chopin, Piazzolla, e Bach, o pianista deu vez a música nacional. "O trenzinho caipira", de Villa-Lobos, fez muita gente relembrar a infância, com um arranjo de elevadíssima qualidade para a tradicional canção de ciranda de roda. 
 
O público não conteve o entusiasmo nos primeiros acordes de "Asa Branca", clássico de Luiz Gonzaga, considerado um dos hinos do nordeste. O compositor Pixiguinha também foi homenageado no repertório de Moreira Lima. O show foi encerrado ao som do hino nacional, acompanhado de pé pela plateia.
 
Moreira Lima destacou a satisfação diante da receptividade do povo feirense e do nível de organização do Natal Encantado. "Este festival já está entre os grandes eventos culturais do Brasil. Espero voltar em breve. O povo responde bem a qualquer manifestação cultural. E pude constatar isso hoje", salientou.         

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

ACINTE
Congresso praticamente perdoa dívidas milionárias de clubes de futebol para com o Estado, visto que protelou em mais 20 anos o prazo para a quitação. Além disso,reduziu multas em 70%. Merecido. Os pobres clubes de futebol vivem na penúria, comprando e vendendo jogadores por dezenas de milhões de reais e pagam salários altíssimos a jogadores e técnicos. Tadinhos...

"O povo quer mais. O povo quer continuar sonhando" (Lula)

Enfim, teremos ética e democracia
A notícia:"O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) divulgou um vídeo na sua página no Facebook, nesse domingo (21), no qual afirma que uma das lições das eleições deste ano é que 'o povo quer mais ética'. Lula aconselha a presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) a assimilar o recado das urnas e 'continuar' o combate à corrupção se quiser fazer um segundo mandato 'histórico'. 'A lição que ficou foi a seguinte: o povo quer mais democracia, mais participação, mais esperança, mais ética. O povo quer ser mais ouvido e continuar sonhando. Essa é a mensagem que a presidenta Dilma deve assimilar do resultado eleitoral e fazer do seu mandato um mandato histórico. Ou seja, o povo está mais exigente, o povo quer mais', diz o ex-presidente. Ele afirma que Dilma deve 'continuar' a política de combate à corrupção e dar transparência às ações do governo para investigar e punir os responsáveis por desvios. 'Nós devemos conversar sempre com o povo no sentido de fazer com que nada seja escondido. Continuar a política forte de combate à corrupção onde toda e qualquer coisa deve ser dita e tem que ser dita porque um governo não pode esconder nada', completou.
O comentário: nenhum. Minha cara de pau não chega a tanto.

Aliás, vou e volto...
Merece comentar a parte em que o ex-presidente Lua diz que "o povo quer continuar sonhando".
É isto mesmo. Sonhando, sonhando...E tendo pesadelos.

Mais uma imensa pizza
Ninguém é punido por quebra de decoro sobre fato ocorrido em legislaturas anteriores. Essa regra, não oficializada mas seguida à risca, deixaria livres de processo toda a Câmara e um terço do Senado, que em fevereiro tomam posse de mandatos obtidos nas últimas eleições.
E assim a bancada denunciada no Petrolão seguirá incólume.

Natal não é só de paz
Nas festas de fim de ano as palavras de ordem são harmonia e união, mas na prática elas nem sempre são seguidas. De acordo com dados da Emergência Ortopédica do Hospital da Bahia, a noite natalina é o período onde são realizados mais atendimentos emergenciais. E, no mínimo curioso: a maioria decorrente de brigas entre amigos e familiares.
Em 2012, dos 218 atendimentos 55% foram na noite de Natal e 45% no Réveillon.

Experiências pardalinas (I)
Nunca é demais lembrar: há cerca de um mês, a Transalvador fez uma experiência muito bem sucedida ao colocar cones e agentes no viaduto que liga a Cardeal da Silva à Caetano Moura, em frente à entrada pera a TV Itapoan, impedindo uma perigosa contramão e disciplinando o trânsito.
A experiência durou apenas dois dias. Sumiram de lá. Que mistério!

Experiências pardalinas (II)

A mesa coisa ocorreu no largo das Sete Portas: puseram lá um  ou dois agentes e depois retiraram.
Quando lá estavam, algo melhorou no trânsito. Então, por que não foram mantidos. Olha, esse trânsito está um desgoverno só.

Concerto de Arthur Moreira Lima encerra a programação do Natal Encantado


Um dos mais aclamados pianistas do mundo na atualidade, respeitado pela crítica internacional, com temporadas em diversos países, concertos nos principais roteiros teatrais da Europa, Arthur Moreira Lima vai se apresentar no encerramento do Natal Encantado, nesta terça-feira, 23, a partir das  19 horas, na Praça da Matriz. 
Os seus concertos, além da vibração, tem sempre a participação do público, pois mescla clássicos universais com músicas populares, como chorinhos de Ernesto Nazarethm músicas de Pinxinguinha e tangos do argentino Astor Piazzolla, além do brasileiríssimo Heitor Villa-Lobos.
 
BIOGRAFIA
Arthur Moreira Lima projetou-se internacionalmente no Concurso Chopin de Varsóvia. Laureou-se também nos Concursos de Leeds (Inglaterra) e Tchaikovsky (Moscou). Desde então, Moreira Lima tem feito turnês em todos os continentes, lotando as principais salas de concertos do mundo. 
Entre as orquestras e os regentes famosos com quem já se apresentou, estão as Filarmônicas de Leningrado, Moscou, Varsóvia, Sinfônicas de Berlim, Viena, Praga, BBC de Londres, National da França, sob a direção de Kurt Sanderling, KiriIl Kondrashin, Mariss Jansons, Serge Baudo, Jesus Lopez-Cobos, Sir Charles Groves, Vladimir Fedosseyev, Rudolf Barshai... 
A crítica mundial o considera extraordinário intérprete do grande repertório romântico e não tem poupado elogios à beleza da sua sonoridade e ao seu grande virtuosismo. A revista LA SUISSE chamou Moreira Lima "O Pelé do Piano", a crítica americana elegeu sua gravação dos Noturnos de Chopin "o mais importante registro pianístico do ano", e o famoso crítico londrino Dominic Gill do FINANCIAL TIMES escreveu "Moreira Lima sabe tudo sobre o piano romântico, fazendo seu instrumento falar". 
 Nascido no Rio de Janeiro, Arthur Moreira Lima começou a estudar piano aos seis anos, e já aos nove tocava um concerto de Mozart com a Orquestra Sinfônica Brasileira. Seus mestres foram Lúcia Branco (Rio de Janeiro), Marguerite Long (Paris) e Rudolf Kehrer (Conservatório Tchaikovsky de Moscou). 
Em seu trabalho de resgate e difusão das raízes culturais brasileiras, Arthur Moreira Lima foi solista da primeira audição do Concerto n. 1 de Villa-Lobos no Japão, Rússia, Áustria e Alemanha. Foi também o pianista que fez reviver a obra de Ernesto Nazareth. Por seu trabalho discográfico no Brasil, recebeu por duas vezes consecutivas o Prêmio Sharp (1989 e 1990). Nos Estados Unidos, seu CD da obra de Ernesto Nazareth foi incluído na lista das melhores gravações do ano da Stereo Review Magazine. Um CD de Chopin Favourites lançado no Japão pela Nippon Columbia continua como um dos best-sellers da companhia.