sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Alex Ferraz

TÚNEIS
Eles são poucos, em Salvador, mas mesmo assim carecem de boa sinalização e, principalmente, iluminação suficiente para evitar o choque de escuridão quando o motorista entra, saindo da luz do dia. Refiro-me aos túneis de Salvador. Seria de bom tom corrigir logo essas falhas.

Frase: "É preciso mudar, para que tudo fique como está" (príncipe Salinas, personagem de O Leopardo, célebre livro da Lampedusa)

Entrou por um ouvido, saiu pelo outro.
O plenário da Câmara absolveu o deputado Natan Donadon do processo de cassação de mandato. Ele foi condenado a 13 anos de prisão pelo STF pelo desvio de R$ 8,4 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia à época em que era diretor financeiro da Casa. Ou seja: ladrão pode ser parlamentar (novidade!).
O presidente do Senado, Renan Calheiros, comprou casa de R$ 2 milhões em Brasília, cujo valor, na verdade, pode ser R$ 3 milhões, um bem incompatível com a renda que ele declara ter.
A agenda positiva do senado estancou, depois de aprovar uma cesta de bugigangas legais como meia-entrada em shows para estudantes e mero anúncio de verbas para transporte público (eu disse: anúncio!).
A ministra Ideli Salvatti usou jatinho da FAB para fazer uma visita à sua terra natal, mesmo depois dos escândalos envolvendo Renan, Henrique Alves e Garibaldi Alves, também ministros da República.
E grupos treinados e armados (e a soldo sabe-se lá de quem), sempre encapuzados, barbarizaram e reduziram a pó as perspectivas de um movimento popular nacional que tentava lutar contra o desrespeito do Estado brasileiro para com  os cidadãos.
Eis, senhores, um resumo do que nos sobrou de desesperança após as belas, pacíficas e significativas manifestações realmente populares da segunda quinzena de junho.
E assim segue o barco, com os poderosos de sempre e de outrora certos da sua impunidade, confiantes na proverbial amnésia brasileira.

Corporativismo
radical (I)

Deu na coluna de Cláudio Humberto: "A ousadia de aceitar a relatoria da medida provisória 621, que institui o programa Mais Médicos, do Ministério da Saúde, rendeu ao deputado Rogério Carvalho (PT-SE) uma perseguição inesperada: o Conselho Regional de Medicina paulista (Cremesp), onde trabalha como Médico Fiscal, 'interrompeu' sua licença sem vencimentos, que solicitara para exercer o mandato, e por telegrama o intimou a reassumir em 30 dias."

Corporativismo
radical (II)

Olha, continuo achando altamente suspeita a forma de pagamento aos milhares de médicos cubanos que virão para o Brasil, com milhões de reais repassados diretamente à ditadura cubana.
No entato, convenhamos, a reação à vinda dos médicos estrangeiros por parte das entidades que congragam doutores brasileiros tem sido, no mínimo, muito radical.
Por que não agem assim contra erros médicos (cada vez mais frequentes e escandalosos) ou em relação aos colegas que batem ponto sem trabalhar? Hum...

Desrespeito
à pátria

Deviam acabar de uma vez por todas com esse negócio de cantar o Hino Nacional em qualquer partida de futebol.
Dou duas razões: primeira, a torcida segue berrando selvagemente enquanto se executa o hino; segunda, a maioria dos jogadores finge que está cantando e alguns sequer abrem a boca, como deu para ver nitidamente na partida entre Bahia e Portuguesa, anteontem.

Efeito
tsunami

Concorrência entre postos de combustíveis em Salvador? Nunca! A variação de preços, para baixo, que temos visto nos últimos dias, na gasolina, delineia, isto sim, um efeito semelhante ao tsunami: antes de chegar a onda gigantesca, o mar "encolhe" bastante. Preparem os bolsos, não sejam Alices!

Então, são
supérfluas?

Fala-se em extinção de secretarias no governo baiano, para enfrentar a dita crise financeira do Estado (hum!).
Perguntinha socrática: se podem ser extintas sem prejuízo da administração, então eram absolutamente desnecessárias. Ou não?
AUDIÊNCIA - Discutir a importância da descentralização e financiamento das ações de vigilância sanitária e saúde ambiental no Estado. Esse é o objetivo da audiência prevista para acontecer no dia 25 de setembro, no auditório da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).
OBESIDADE - O diretor-médico e executivo do Hospital da Bahia (HBA), Marcelo Zollinger, participa até amanhã do XVIII Congresso Mundial da Federação Internacional para a Cirurgia da Obesidade e Doençais Metabólicas (IFSO), em Istambul, na Turquia.
TRAINEE - Termina amanhã o prazo de inscrição do Programa Trainee Red Bull 2014. Nos últimos três anos, foram mais de 21 mil inscritos e 15 profissionais selecionados. As inscrições são via redbull.com.br.
ESCRITORES - Nos dias 10 e 11 de outubro, quinta e sexta-feira respectivamente estará acontecendo em Salvador, o III ENEBI - Encontro de Escritores Baianos Independentes, na Biblioteca Pública Thales de Azevedo (Rua Adelaide Fernandes da Costa, s/n – Costa Azul).

Eles chegaram. E daí?



Como sempre, o governo brasileiro fez o que quis mesmo contra a vontade da sociedade organizada. Já estão no Brasil os mili..., digo, guerri..., digo, curan..., digo médicos cubanos que irão levar saúde aos rincões mais profundos do gigante adormecido deitado em berço esplêndido. Eles vão levar também o discurso socialista da ditatura em que vivem para cooptar as mentes de uma gente fragilizada pela falta de educação, conhecimento, informação, abandonada pelos sucessivos desgovernos brasileiros.
E entre uma doutrinação e outra eles vão ministrando chás e unguentos oriundos da avançadíssima medicina cubana. Devem estar instruídos e não vão perder a oportunidade de aprender alguma coisa sobre saúde aqui no Brasil, onde se pratica uma excelente medicina, porém, não poderão aplica-la em toda plenitude no seu país, porque o governo de lá sofre embargo internacional e não pode receber equipamentos necessários para a prática da medicina de ponta.
Eu tenho declarado, sem pedir reservas, que as instituições brasileiras estão falidas moralmente e não farão nada para mudar o rumo que o país está tomando.  E os políticos já sabem disso e já não temem sequer a revolta popular. Isso faz com que, por exemplo, o presidente do senado, flagrado em roubo, declare em frente às câmaras de TV, com um riso irônico, que não vai devolver o que roubou. E fica por isso mesmo. Nem OAB, nem Maçonaria, nem Igreja, nem ninguém emitiu uma nota sequer sobre o assunto.
O Brasil está tão desmoralizado no cenário internacional que simples cidadãos, de qualquer país rico, entra e sai a hora que quer, levando e trazendo o que quer, sem ser incomodado. Enquanto isso, cidadãos brasileiros são tratados como marginais ou terroristas em países até do terceiro mundo, sem que o governo brasileiro mova uma palha para defende-los.
Eu nem vou levar em conta o caso dos corintianos presos na Bolívia, porque para mim está mais do que provado que não passam de marginais, verdadeiros “cururus de gaiola”, haja vista o ocorrido no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Mas, o governo boliviano deita e rola em cima do Brasil, e nossas autoridades só faltam pedir desculpas. Por muito menos do que Evo Morales fez ao Brasil, um país que se dá ao respeito já teria cortado relações diplomáticas.
Os médicos cubanos chegaram para ficar, e agora não adianta mais chiar. Muito menos dizer idiotices como a cidadã que comparou as médicas cubanas com “empregadas domésticas”, como se estas profissionais não tivessem importância social.  Uma clara demonstração de preconceito. Mas vejam. Teoricamente será pago um salário de R$ 10 mil a cada médico cubano. Na verdade o governo brasileiro paga ao governo cubano que diz que pagará aos médicos. O governo cubano dará roupas, alimentos, remédios, às famílias deste médicos para que continuem a trabalhar e a produzir. Dinheiro na mão, não. Porque lá o cidadão é propriedade do governo. É o mesmo que vai acontecer com os brasileiros.
Quem viver, chorará!

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Alex Ferraz

DE NOVO!
EUA, França e Inglaterra se preparam para invadir a Síria. Detestável o ditador de lá, sem dúvida. Mas repete-se a história da arma química não comprovada e a morte, já, de dezenas de milhares de inocentes, inclusive crianças. Um novo Iraque? Bem, o que interessa é petróleo, o "resto" não importa.
FRASE: "A despedida é tudo o que conhecemos do céu e tudo o que precisamos do inferno."  (Emily Dickinson, 1830-1856, poeta norte americana)

O céu e o inferno de cada um
Contestando declaração de um dos diplomatas brasileiros envolvidos na fuga do senador boliviano Roger Pinto Molina de La Paz para o Brasil, que comparou a situação do político asilado na embaixada brasileira à daqueles presos políticos que estiveram no DOI-CODI, na ditadura militar, a presidente Dilma Rousseff foi taxativa: "Eu conheci o DOI-CODI e a diferença entre o que aconteceu em nossa embaixada e o DOI-CODI é como a diferença entre o céu e o inferno". A presidente sabe o que fala, porque realmente sofreu muito nas mãos da famigerada ditadura militar brasileira.
Mas eu gostaria de aproveitar a metáfora presidencial e estendê-la a outras situações contrastantes, para dizer o mínimo. Por exemplo, ser atendido no Hospital Sírio Libanês e em um hospital público, no Brasil, é uma diferença entre o céu e o inferno; passear a pé, tranquilo, em cidades como Santiago, capital do Chile, ou Buenos Aires, na Argentina, e fazer o mesmo no Rio, São Paulo ou Salvador, é uma diferença entre o céu e o inferno; ser desempregado em Barcelona, Madri ou Londres, e estar na mesma situação em qualquer cidade brasileira é, também, uma diferença entre o céu e o inferno. Viver, enfim, em países civilizados, onde o ser humano é alvo de um mínimo de respeito, e morar numa sociedade onde prevalece o mau caratismo, a indignade, a esperteza e a vontade de levar vantagem em tudo, é, sim, presidente, uma diferença entre o céu e o pior dos infernos.

A favor
dos cubanos (I)

Mudar de opinião nem sempre carateriza uma atitude vil, pelo contrário, pode significar honestidade de pensamento. Eu, por exemplo, acabo de mudar de opinião sobre a vinda dos médicos cubanos ou outros estrangeiros para o Brasil. Embora condene a negociata milionária com o governo cubano.
A mudança ocorreu anteontem, à noite, quando vi na TV denúncia sobre médicos do Hospital Municipal de Araruama (RJ), que estavam batendo ponto e saindo sem trabalhar, deixando centenas de pacientes no desespero da espera sem esperança.
A favor
dos cubanos (II)

A situação é escandalosa, com atitudes desprezíveis. E, pasmem, envolve até o próprio SECRETÁRIO DE SAÚDE do município, que chegava em carrão muito caro, batia o ponto e se mandava.
Em tempo: flagrados pelas câmeras, médicos se esconderam e FUGIRAM pelos fundos, DEITADOS no banco traseiro de seus carrões, dirigidos por amigos. Deprimente.
A favor
dos cubanos (III)

Para completar, foram alvo do deboche dos seguranças do hospital, que comentavam, às gargalhadas (rindo do quê, não sei!): "Que situação, cara!" ou "Veja, pegaram o dr. Leonardo". Que pais é esse, gente?! Com a palavra, o Conselho Federal de Medicina e os similares regionais...
A ficção está
findando

Deu nesta Tribuna, ontem: "Metade dos inadimplentes é da nova classe C".
São as vítimas da ficção governamental de tentar fazer o PIB crescer sem alicerces, com base no consumo irresponsável, para inventar essa "nova" classe C. Eu tinha cantado a pedra aqui, há muitos tempo...
Caos nas
lotéricas

Praticamente em todas as casas lotéricas de Salvador as filas são cada vez maiores e, claro, a espera é torturante.
É que, hoje, as casas lotéricas fazem tudo, inclusive realizam jogos.

PERFUME -  O jornalista Roberto Pires, especialista no assunto há mais de 20 anos, divide com o público no curso “Perfume: Histórias & Mitos”, que acontece dia 12 de setembro, das 9h às 12h, no auditório da Doc-Expõe, na Av. ACM, 4009.
MUNICÍPIOS - O Congresso Baiano de Direito Municipal, promovido pela Associação dos Auditores Fiscais Municipais e pela Associação dos Procuradores do Município do Salvador e Patrocinado pelo Sebrae e pelo Bradesco, acontece entre os dias 25 e 27 de setembro no Hotel Golden Tulip Rio Vermelho. Mais informações:  3243-0877
Site: www.direitomunicipalbaiano.com.br.
PAGAMENTOS - Começa no dia 4 de setembro, em São Paulo, a 9ª edição do Congresso C4, o maior evento da América Latina voltado para a indústria de meios de pagamento, cartões e créditos ao consumidor. Inscrições: (11) 4191-8463 e info.c4@fsacademy.com.br
PALESTRA - O especialista em finanças pessoais, Gustavo Cerbasi, autor dos livros de planejamento financeiro mais vendidos no Brasil, realiza palestra para os alunos da Estácio FIB hoje, às 19h, no auditório do campus Gilberto Gil, no Stiep.

Um dia toparemos fazer sexo com robôs?

É este o futuro da relação entre homens e robôs?

Conheça Roxxxy, o robô sexual. Dependendo de sua visão, "ela" está ou no limiar da interface humano-robô ou é um efeito moderno das dificuldades de alguns homens de se relacionar com parceiros na vida real.

Embora ajudas sexuais não sejam novas, o que torna Roxxxy diferente é o fato de que "pegamos a inteligência artificial" e "a combinamos a uma forma humana", diz o criador Douglar Hines.
Claro, robôs humanoides são objeto da ficção científica há décadas – desde o filme Metrópolis (1927), de Fritz Lang, ou das histórias Eu, Robô, de Isaac Asimov.
A realidade é um pouco mais estranha.
Robôs que andam têm pouco apelo comercial – eles são caros e sujeitos a quedas se postos em qualquer local que não uma superfície plana.
Um dos melhores do tipo é o robô fêmea japonês que dança e canta HRP-4C, do Instituto Nacional de Tecnologia e Ciência Industrial Avançada (INTCIA).
A principal desvantagem desse tipo de robô é que sua bateria dura pouco – apenas cerca de 20 minutos.
É o suficiente para uma performance de dança impressionante do HRP-4C, dizem seus criadores, mas pouco mais além disso.
"Uma aplicação prática para robôs humanoides bípedes é a indústria do entretenimento", diz o INTCIA, "desde que os robôs possam se mover bem realisticamente como humanos".

Amor pelo robô

Em 2007, o enxadrista britânico e especialista em inteligência artificial David Levy disse em seu livro "Amor e Sexo com Robôs" que passaríamos a fazer sexo com robôs em cinco anos e que seríamos capazes de amá-los em 40 anos.
Seu argumento se baseia em avanços na engenharia robótica e na programação de computadores – e nas receitas geradas anualmente pela indústria pornográfica.
Esses robôs seriam um "serviço esplêndido" para a humanidade, ele disse.
Quanto a Roxxxy, ela pesa 27 kg, mede 1,70 m e vem com uma variedade de cores de cabelo, membros que se movem e pele que parece real.
Ela é uma ideia original do engenheiro elétrico e cientista da computação Douglas Hines, o fundador da TC Systems and True Companion, que antes trabalhou no laboratório de inteligência artificial da AT&T Bell Laboratories.
A robô dançarina HRP-4C, à esquerda

Ele diz que o robô sexual surgiu da linha de robôs de especializados em saúde, projetados para cuidar de pacientes idosos ou fracos.
"Nosso conjunto de habilidades se baseia nas robóticas comercial e militar, e o que fizemos foi procurar uma oportunidade no mercado para aplicar essa tecnologia."
"Um mercado muito óbvio é o de cuidados em saúde – mas há um menos conhecido que está ganhando mais e mais importância, que é a indústria do sexo."
Hines diz que seu objetivo ao desenvolver o mecanismo de inteligência artificial do robô era ir além de uma ajuda sexual e prover companhia.
"A experiência com um parceiro vai além disso – e é disso que realmente fomos atrás."
No entanto, não importa o quão bem programado seja um robô, ainda se trata de uma máquina, e o pesquisador concorda que um humanoide de metal e plástico não é capaz de substituir a coisa real – ainda.
"Estamos chegando cada vez mais perto. A diferença entre o que é robótico e mecânico e o que é humano vai diminuir, então é um momento muito excitante."
Roxxxy custa até US$ 9 mil (R$ 21,2 mil) e tem uma versão masculina chamada Rocky. Ainda este ano a companhia planeja lançar um modelo mais avançado, que diz que será móvel e autônomo.
No cerne das nossas relações com essas máquinas está a questão do que significa ser humano e se relacionar com outros.
Embora nenhuma máquina, independentemente do quão bem projetada, possa sentir empatia – algo que nos define como humanos –, ela pode ser capaz de simulá-la bem o suficiente para que entremos no jogo e a tratemos como um ser sensível.
Mas haverá em algum momento mais do que um fetiche ou atração pela novidade na relação com esses robôs?
Numa pesquisa neste ano, uma em 11 pessoas – cerca de 9% - disse a uma pesquisa da YouGov para o site noticioso Huffington Post, dos EUA, que eles estariam preparados para fazer sexo com um robô.
Isso significa mais de 25 milhões de americanos – o que poderia se tradzir em muitas vendas de robôs.
Mas críticos alertam que não deveríamos aceitar robôs como Roxxxy com tanta rapidez.
“É hora de reconsiderar a premissa de que um robô é melhor que nada”, diz Sherry Turkle, psicóloga e professora no Massachusetts Institute of Technology.
“Porque, se você está tentando resolver o problema de cuidado e companhia com um robô, você não está tentando resolvê-lo com as pessoas com que você precisa resolver – amigos, família, comunidade.”
“Podemos pensar que só estamos fazendo robôs”, ela disse neste ano no encontro da Associação Americana para o Avanço da Ciência, “mas realmente estamos refazendo valores humanos e conexões.
E isso, diz ela, não é promissor “para adultos que tentam viver de forma autêntica e enfrentar problemas reais e humanos da vida”.

BBCBrasil

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Alex Ferraz

(IM) PACIENTES
Médicos cubanos, chineses, ucranianos, que venham todos! Mas, e as emergências dos hospitais particulares e os planos de saúde que quase nada cobrem e aumentam mensalidades a toda hora? Só para citar duas situações que certamente continuarão torturando milhões neste país...

Frase: Foi uma fuga de fazer inveja a Hollywood
Bem que Renan poderia hospedá-lo...

Uma fuga cinematográfica: diplomata brasileiro deixa embaixada em La Paz (Bolívia) levando senador bloiviano acusado e condenado em seu país por diversos crimes e que esteve abrigado na referida embaixada por mais de um ano. Dois carros pretos, dois militares de elite na escolta e 22 horas de viagem alucinante até o Brasil (Corumbá, MS). Manchetes, demissão de chanceler (Patriota, na verdade premiado agora com residência oficial em Nova York, para nos representar na ONU), muito bafafá. Mas uma coisa é indiscutível: o senador veio para o país certo. Afinal, o governo brasileiro finge moralismo e legalidade, "revoltado" coma fuga e a entrada clandestina do boliviano no país, é o MESMO governo que senta lado a lado com senadores e deputados acusados de inúmeros atos de corrupção, banidos do governo por impeachment, processados por diversas falcatruas. Não sei exatamente o que o tal senador boliviano fez lá na sua terra, mas tenho certeza de que temos similares aqui, se não piores.
Diante disso, sugiro que o o senador fugitivo da Bolívia seja hospedado com pompa e circunstância pelo presidente do nosso Senado, Renan Calheiros, na casa que este acaba de comprar em Brasília,segundo ele, por dois milhões de reais, mas que especialistas em mercado imobiliário avaliam em pelo menos três milhões. Pois é: Renan, candidatíssimo a anfitrião do colega boliviano, é o mesmo que reununciou alguns anos atrás à presidência do Senado, abatido pelo escândalo que revelou que ele recebia propina de empresários para sustentar amante e filho fora do casamento (nenhum moralismo nesta minha observação, faz favor). Estamos quites, Bolívia!

Os "black" são
fascistas? (I)

Vejam esta notícia: "A filósofa Marilena Chauí comparou as táticas dos black blocks ao fascismo, em palestra na Academia da Polícia Militar do Rio de Janeiro. O grupo, que afirma ter 'inspirações anarquistas', tem promovido a depredação do patrimônio público e privado durante protestos. Segundo Chauí, os indivíduos em questão têm como foco o ataque a indivíduos e não apresentam um plano de organização social futuro, em substituição à estrutura social vigente.

Os "black" são
fascistas? (II)

E conclui: “Temos três formas de se colocar. Coloco os 'blacks' na fascista. Não é anarquismo, embora se apresentem assim. Porque, no caso do anarquista, o outro [indivíduo] nunca é seu alvo. Com os 'blacks', as outras pessoas são o alvo, tanto quanto as coisas”, defendeu a filósofa, professora da USP e doutora honoris causa pela Universidade de Paris.

Os "black" são
fascistas? (III)

Já disse aqui e reitero: para mim, são pessoas contratadas para criar o terror nas manifestações pa´cificas e impedir, isto sim, um a verdadeira manifestação popular, como as primeiras a partir de 16 de junho, às quais compareciam centenas de milbhares e, não raro, avós, filhos e netos. Criado o terror, as pessoas de bem fugiram das ruas. Quer tática mais eficaz?

Os "black" são
fascistas? (IV)

A propósito, quero parabenizar o estado de Pernambuco, onde foi proibida a participação de pessoas mascaradas nas manifestações, sob pena de prisão imediata.
É isso aí. Já não proíbem no Carnaval? Pois é...

A marolinha
de Mantega

E o ministro Mantega, hein? Diz que estamos vivendo uma "minicrise".
Minicrise que já fez o País gastar 100 bilhões de dólares em um ano, ou seja, metade das nossas (lá deles!) reservas? Hum!

PLUVIÔMETROS -A Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia, na Federação, e o Museu de Arte Sacra, na Contorno, foram os primeiros locais a serem contemplados com a instalação dos pluviômetros automáticos na capital baiana.
HOMOFOBIA - “Sou Contra a Homofobia, Sou a Favor da Vida” é o tema de campanha lançada pela Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos e movimentos sociais, com o objetivo de sensibilizar a população sobre a importância de respeitar a diversidade e a orientação sexual do grupo LGBT.
CÂNCER - Membro titular da Sociedade Brasileira de Oncologia, Patrícia Borrione realiza a palestra "Prevenção do Câncer: é Possível?", no dia 11 de setembro, às 19h, na Livraria Saraiva – Salvador Shopping.
TEATRO - Contemplado em três modalidades no Prêmio Braskem de Teatro edição 2013 (Melhor Espetáculo, Melhor Ator e Melhor Texto), Entre Nós – Uma Comédia Sobre Diversidade estará em cartaz nos dias 31 de agosto (20h) e 1º de setembro (19h) no Teatro Cidade do Saber (TCS), em Camaçari

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Alex Ferraz

FREGUESIA
Mais um ataque à agência Bradesco da Barros Reis, que já foi assaltada dus vezes em cerca de um mês. Desta vez, explodiram os caixas eletrônicos. Está comprovado: o criminoso sempre volta ao local do crime, principalmente se reina a insegurança pública.

Frase: O Brasil vive um intenso conflito no campo, de Norte a Sul, de Leste a Oeste.

Guerra nas cidades, guerrilha no campo
Mato Grosso, Goiás, Bahia, Paraná, e, é claro, praticamente todo o Norte do País. Eis alguns pontos onde os conflitos por posse de terra têm se intensificado visivelmente, isto é, visivelmente para quem quer ver, porque Brasília faz vista grossa.
De pequenas rusgas localizadas, tais conflitos se expandem por áreas imensas, e com capangas armados, de um lado, e invasores dispostos a tudo, inclusive pilhagem, do outro, forma-se a verdadeira guerra que o Brasil vive hoje no campo, além, claro, da terrível guerra urbana.
No campo, o que me espanta é a pasmaceira do governo, tanto nos dois mandatos de Lula como agora, com Dilma, em relação à reforma agrária. Pelo visto, ou ninguém quer terras do governo e prefere mesmo invadir popriedades que há décadas vêm sendo cuidadas por pessoas que têm documentos legais de posse, ou o governo faz vista grossa para a reforma porque não tem a menor intenção de tornar supérflua sua principal milícia armada, que é o MST. Ou as duas coisas...
Mas a verdade é que proprietários rurais deste país que se diz capitalista estão em pânico, muitos deles tendo suas fazendas invadidas por grupos armados que se autodenominam indígenas (parte deles pode ser, mas...) e prepretam a brutalidade e não raro a crueldade, como tortura, e roubo de gado.
Isto mesmo: roubo de gado. No Mato Grosso, na semana passada, fazendeiros que tiveram suas terras invadidas perderam centenas, quiçá milhares de abeças de gado simplesmente roubadas por aqueles que dizem defender interesses históricos.
A bipolaridade
brasileira (I)

Em poucos lugares do mundo os bancos, símbolos máximos do capitalismo, obtêm tanto lucro como no Brasil. A cidade de São Paulo, que vem sendo mimada pelo governo federal, é uma das três maiores metrópoles capitalistas do planeta, com ivejável quantidade de fábricas e serviços que movimentam uma fortuna correspondente a quase 50% da riqueza nacional.
No entanto, no campo, a bipolaridade oportunista do governo federal quer ver uma "revolução socialista", incentivando a guerrilha rural. Estão doidos? Ou é só para enganar otários, mesmo?
A bipolaridade
brasileira (II)

Aliás, já disse e repito: somos um país bipolar, pois, de um lado, temos leis e comportamentos que fazer inveja às grandes nações capitalistas, e, de outro, insistimos em cuidar da distribuição de renda de forma paternalista, com esmolas humilhantes e promotoras do ócio, enquanto ignoramos a tensão no meio rural e deixamos as fronteiras da Amazônia abertas para a invasão clara e sistemática por estrangeiros.
Grosseria
afasta clientes (I)

Clientes do posto Alameda (onde os funcionários são sempre educados e muito prestativos) estão desistindo de abastecer ali porque alguns funcionários da loja de (in) conveniências Fast Market os tratam com acintosa e surpreendente grosseria.
Na úlitma sexta-feira, por exemplo, um dos passageiros de um carro que abastecia no local tentou usar o banheiro da loja, por volta das 21h, e foi tratado de forma extremamente grosseira por um mulher e outro funcionário.
Grosseria
afasta clientes (II
)
Alegou, a mulher altamente grosseira, que só quem compra na loja pode usar o banheiro, e disse, textualmente, que nem mesmo uma pessoa passando mal poderia usar o local sem comprar algo.
Parece que os donos e gerente dessa loja "se esquecem" que é o posto que lhes traz os clientes. Um absurdo!
Ainda sobre
a grosseria...

Aconselho à senhora que recebeu o cidadão com "pedradas" para qui vá gerenciar ou trabalhar no balcão de alguma biboca nos confundós do interior, com todo respeito por tais bibocas...
SAMBA - A União das Entidades de Samba da Bahia (Unesamba) realiza na próxima sexta-feira (30) o seminário “O samba no Carnaval de Salvador”. O evento – que conta com o apoio do Conselho Municipal do Carnaval (Comcar) – tem como objetivo discutir a importância e a visibilidade do samba no contexto social e econômico na maior festa popular do mundo.
AMBIENTE - Ainda estão abertas as inscrições para o curso de Política de Gestão Ambiental, a ser realizado amanhã pela União dos Municípios da Bahia (UPB), na sede da entidade, em Salvador. Mais informações e inscrições: www.upb.org.br.
FOTOS - Estarão abertas de 1º a 30 de setembro as inscrições para o VII Salão de Fotografia do Mar e o XI Salão Bahia-Marinhas, promovidos pelo Comando do 2º Distrito Naval, com os temas “A Amazônia Azul” e “O mar que nos pertence”, respectivamente. Os regulamentos e as fichas de inscrição estão disponíveis no site www.2dn.mar.mil.br.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Forró da Bahia em Nova York





A edição 2013 da Lavagem de Nova York, que será realizada no próximo dia 31, saindo da Times Square, rumo à Rua 46, terá uma programação bem variada. A começar pelo samba-reggae do grupo Olodum, que volta a Nova York, onde foi consagrado nos anos 90, com o histórico show ao lado de Paul Simon no Central Park. Maior referência da música baiana ligada à cena axé, no mundo, o Olodum por onde passa atrai multidões. Atualmente, a banda percussiva tem Lazzo, Matheus e Nadjane como cantores.
Adelmário Coelho, Del Feliz e Zelito Miranda
Outra novidade da lavagem neste ano é a participação de um trio formado pelos maiores nomes do forró da Bahia. Lá estarão Del Feliz, Adelmário Coelho e Zelito Miranda, que já estão na terra numa iniciativa dos empresários Wiliam Coelho, Telma Miranda e do forrozeiro Del, que já vai para sua terceira participação no evento.
Adelmário e Del Feliz prontos para gravar um clip em Nova York
Criada e dirigida pela baiana Silvana Magda, a Lavagem da Rua 46 também conta com uma semana para promover a cultura e negócios do Brasil nos EUA. De 27 a 30, a Lavagem Expo Brasil promoverá novas possibilidades de ação intercultural através de exposições, workshops e mesas-redondas. Baseado no tema Copa de 2014 Cidades, o evento irá explorar o turismo e o potencial dos estados que sediarão a Copa do Mundo de 2014.