terça-feira, 31 de maio de 2011



O MAIOR DOS DESAFIOS

 A Primeira Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento Humano, celebrada em Estocolmo, Suécia, em 1972, decidiu instituir o 5 junho, como o Dia Mundial do Meio Ambiente. A intenção é lembrar, todo ano, a urgência de se preservar e proteger o planeta.

NO PRIMEIRO livro da Bíblia Sagrada, após o relato da criação do céu e da terra, Deus encarrega o homem de cuidar de sua obra: “O Senhor colocou o homem no Jardim do Éden, para que o cultivasse e guardasse” (GN 2,15). A felicidade passaria pelo respeito à árvore do bem e do mal, tendo como conseqüência vida ou morte.

DURANTE séculos a humanidade não teve o menor respeito pela natureza, julgando que ela fosse inesgotável e a serviço dele mesmo, intitulando-se rei da criação. No final do século XIX, Darwin e Haeckel começaram a dar-se conta da interligação de todos os seres criados e das relações, amistosas ou não, na luta pela vida.

OS RESULTADOS práticos não apareceram e o homem continuou explorar a natureza sem critérios, consumindo em excesso e poluindo o meio ambiente. E num nível crescente foram aparecendo as denúncias: águas poluídas; espécies extintas, escassez de determinados produtos. Depois veio o aquecimento global, a desertificação de grandes áreas, a diminuição da camada de ozônio. Enfim, a Terra estava decadente, transformada em lata de lixo. Num mundo com mais de 6 bilhões de habitantes, meu esforço é insignificante, desculpam-se muitos.

CRESCERAM os aglomerados urbanos, o consumismo, a poluição e o homem dá-se agora conta que este é o maior de todos os desafios já enfrentados. E diminui o tempo útil para reverter o quadro. A Terra já superou em 30% sua capacidade de recuperação.

A TAREFA é urgente. A escola, os meios de comunicação, as Igrejas, os governantes, os empresários são convocados. Ninguém  pode ficar fora desta cruzada, porque afeta a todos. “Se um grão de areia cai no mar, a Europa fica menor” proclama John Danne. E conclui: “Não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”.

+Itamar Vian
Arcebispo Metropolitano
di.vianfs@ig.com.br

Tudo como dantes


Eu estou afastado da Maçonaria por opção minha. Mas no final da semana passada tive a oportunidade de encontrar com muitos irmãos maçons. Primeiro numa festa, depois num encontro informal. E eu, que me afastei da Maçonaria porque na avaliação que fiz do nosso trabalho não gostei do resultado, com tristeza percebi que tudo continua na mesma.

A questão é a seguinte: Nós nos reuníamos todas as quintas-feiras, a partir das 20 horas para aprimorar os nossos conhecimentos maçônicos, discutir assuntos de relevância para a sociedade, buscando apontar soluções, e planejar os nossos trabalhos sociais. Tais reuniões, na maioria das vezes, ultrapassavam à zero hora.

Nossas esposas, por sua vez, também se reuniam na Ala Feminina, e igualmente discutiam e planejavam ações sociais. Apesar das longas reuniões, se perdia muito tempo em discussões inócuas e falas repetitivas, o que comprometia a produtividade das reuniões. Além disso, a vaidade e a verborragia de alguns membros eram, no mínimo, irritantes. Passei então a me questionar sobre se estava valendo a pena tanto cansaço, tanto sacrifício e tanto gasto. Concluí que não. O que se produzia não era compatível com tanto esforço e irritação.

Então eu, que havia me afastado por conta de uma crise financeira que passei, decidi não mais voltar às reuniões, embora não me furte a participar de ações sociais sempre que sou convocado. Por motivos semelhantes, me afastei também dos movimentos da igreja Católica. Para conversar com Deus, orar, promover a caridade e avaliar meus procedimentos perante a lei divina, eu não preciso de ninguém para me dizer como fazer. Faço eu mesmo, ao meu modo, junto com a minha família, de forma prática e objetiva.

Outra coisa que me irritou na Maçonaria, foi constatar que a maioria dos iniciados ia avançando nos graus maçônicos, sem o devido aprendizado e preparo para tal. O sistema de avaliação, pelo menos do meu ponto de vista, é falho. E, por conta disso, pessoas são promovidas sem que tenham realmente aprendido e estejam praticando o que lhe foi ensinado. Decorar rituais não significa aprendizado, mas, apenas mostrar que tem boa memória.

E vi que tudo permanece na mesma ao encontrar um fanfarrão. Um dos ensinamentos básicos da Maçonaria é Deus nos deu dois olhos, dois ouvidos e apenas uma boca, para que observemos mais, ouçamos mais e falemos menos. Porque uma pessoa sábia fala porque tem algo a dizer, mas, um tolo fala porque tem que dizer alguma coisa. Há uma diferença sutil nisto, porém de grande profundidade.

E o fanfarrão que encontrei, embora já tenha atingido, oficialmente, a plenitude maçônica, demonstrou que não tem preparo sequer de aprendiz. Tudo continua como dantes. Então, por enquanto, eu tou fora.

domingo, 29 de maio de 2011

Fim de semana

Fim de semana é o nome de uma secção que eu pretendo implantar no site. É onde vou publicar aquelas notas curtas sobre os acontecimentos da sexta-feira e do sábado. Será publicada aos domingos, sim, porque é no domingo que se inicia a semana. Não por acaso, o segundo dia da semana é chamado de “segunda-feira”.
E pra quem nem pretendia sair de casa, meu fim de semana até que foi agitado. Já na quinta, comemorando a conclusão de um trabalho, fui com Maura ao Boteco do Vital “bater ponto” e de lá esticamos até o Bengu´s Bar. Só tinha gente boa. Carlinhos Falcão e o irmão José, Joãozinho Mascarenhas, Ivaldo Lustoza, Zequinha, Roberto com Lara e Jaci, e Maruchinha, como sempre, fazendo as honras da casa.
O violão de Jelivar dispensa comentários. Que noite!

Na sexta-feira fomos à Mansão 888, para a festa de Sebastião Soares, que recebera da Câmara Municipal o merecido título de Cidadão Feirense. Ao lado de Cinira ele recepcionou os amigos com uma bonita festa. Lá encontrei muitos amigos e amigas, principalmente da Maçonaria. Queridos irmãos que há muito não encontrava. Valeu!

Por conta destes agitos deixamos de ir no sábado ao Forró do Redentor, da nossa querida paróquia do Cristo Redentor. Mas eu soube que foi muito bom, com muita gente no “arrasta pé”.

Nas nossas andanças conversando com amigos, soube que uma assessora da deputada Graça Pimenta, postou no Twitter uma nota informando que Monsenhor Galvão Esteve presente à Sessão Solene da Câmara Municipal, onde Sebastião Soares recebeu o título de Cidadão Feirense. Crendeuspai. Se ainda fosse numa sessão espírita, vá lá que seja.

E nos esportes a melhor notícia, pelo menos para mim e mais um zilhão de pessoas, é que o vi (ce) tória tomou 3 a 1 do Icasa. As coisas estão voltando ao normal, graças a Deus.

Ah! E ainda teve o jogão de bola em que o Barcelona sagrou-se campeão europeu.

Agora, sorry, periferia, que eu vou curtir meu domingão que, com certeza é melhor que o do Faustão.


As fotos ao lado são da Festa de Sebastão Soares

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Meu mais novo conterrâneo, Sebastião Soares


Quem me conhece sabe que sou avesso a honrarias oriundas do poder público. Mas, às vezes, algumas delas são legítimas e meritórias. É o caso do título de Cidadão Feirense entregue nesta sexta-feira ao empresário Sebastião Soares, um mineiro que aportou por aqui há mais de 30 anos. Até hoje ele vive e trabalha em Feira e por Feira. Criou seus filhos e cresceu no seu trabalho graças á sua competência, apoio da família e dos amigos, e, sobretudo, da sua companheira, Cinira Soares, uma guerreira no sentido mais amplo da palavra.

Conheci Sebastião de uma forma curiosa. Eu iria ser iniciado na Maçonaria e estava, numa tarde de sábado, sob um sol quente, vestido em paletó e gravata, na porta do cemitério Piedade esperando alguém que eu não conhecia e que viria me buscar para me levar sabe-se lá pra onde. Após pouco tempo de espera um carro parou e o motorista (era ele) me fez uma pergunta. Era a senha. Eu deveria seguir com ele. E lá fui eu, rumo ao desconhecido, sendo levado por um desconhecido. E lá se vão 19 anos.

Hoje estou afastado dos trabalhos da Loja 16 de Junho, por opção minha, mas conservo no coração as boas amizades que fiz na Maçonaria. Sebastião Soares é uma delas. Como todo bom mineiro ele é tinhoso, esperto nos negócios, duro na negociação, mas nunca desonesto. Chegou a Feira de Santana como gerente da empresa de transportes São Geraldo. Quando saiu do emprego adquiriu dois ônibus que, sem garagem, dormiam no pátio da loja 16 de Junho.

Com trabalho, muita garra e competência, fundou a Transoares, esta empresa que hoje é referência em transportes em Feira de Santana, com uma grande frota de ônibus e vans que atuam no transporte escolar, empresarial e de turismo. Sebastião Junior, o seu primogênito, trabalha com ele na empresa, já Rosa Helena (esposa do delegado Madson Sampaio), é advogada, assim como o caçula, Gabriel. Cinira é a esposa, mulher, companheira, amiga, dona de casa, secretária, mãe dedicada e avó carinhosa. Ela está presente em tudo que Sebastião faz, e sempre atenta para defender a família em qualquer situação.

Eu ocupei muitos cargos na diretoria da Loja 16 de Junho, inclusive sob a presidência de Sebastião. E ali eu conheci o lado político dele. Inclusive, perdi uma eleição para ele. E no trabalho social da loja é que ele, assim como muitos outros irmãos, pelos quais tenho um carinho especial, se destacava. Como todo homem diferenciado e vencedor, ele não passou imune a maledicências e rancores oriundos da inveja. Mas, quem está livre dessas coisas? O importante é que ele segue firme no seu trabalho, gerando emprego para a população, e é o timoneiro de uma família bem estruturada e feliz.

Parabéns meu irmão, amigo, e agora conterrâneo, Sebastião Soares! Que Deus proteja sempre a você e à sua família. E que você seja sempre este coração bom que a sabe agradar sem fazer força.

Cristóvam Aguiar






 Fotos publicadas por Zé Simão no twitter.







 












G Barbosa
Acompanhei um amigo até o supermercado G Barbosa do conjunto Feira VII. O que vi na fila do caixa de idosos foi estarrecedor. Havia gente de todas as faixas etárias, inclusive crianças. Quando meu amigo protestou, a caixa demonstrou uma indiferença irritante e provocadora, e fazia passar na frente dos demais clientes quem bem ela queria, aparentemente, amigos dela. E não adiantava ninguém protestar. Parece que ela tem as costas largas com o gerente. Aliás, aquela unidade do G Barbosa nem parece um supermercado, tal a desorganização. Mais parece uma bodega ou a Casa da Mãe Joana.

Chifre heróico
O marido da amante do ator Arnold Schwarnzenegger declarou que se sentiu traído pelo seu herói. Pois é. Nem heróis se fazem mais como antigamente.

E ele pode vir morar no Brasil
“Arnold Schwarzenegger e sua mulher, Maria Shriver, estão se separando após 25 anos de casamento. Schwarzenegger terminou seu segundo mandato como governador em janeiro. Ele tem feito palestras e está trabalhando em vários projetos de entretenimentos. Como no Brasil passou a lei que permite união gay ele pode querer aportar pelas nossas costas, no bom sentido, claro! Isso pode significar que ele vai vir se “entreter” por aqui pela Amazônia dando continuidade ao Projeto Avatar na Casa Alheia. Com a ajuda prestimosa dos Ambientalistas Criados em Cativeiro ele pode querer fundar uma brigada anti Belo Monte chamada Caçador do Futuro Alheio. O “alheio” somos nós, claro! Grana não vai faltar. A fonte que alimenta essas expedições “ambientalistas” nas terras alienígenas é inesgotável. O Projeto Neo Colonialismo Ambiental é bancado pelas grandes potenciais. Tem grana a dar com pau mano veio”! (Jorge Laborda – www.cronicabipolar.blogspot.com .

Anônimos
Tenho recebido grande quantidade de comentários anônimos no Blog. Alguns até interessantes, outros de gente covarde que xinga mas não mostra a cara. Eu não publico comentários anônimos, a não ser quando se faz necessário preservar a imagem ou a segurança de alguém, mas ainda assim, eu tendo conhecimento da identidade de quem me enviou o comentário.

Primeira igreja
No próximo domingo (29), às 17 horas, o arcebispo metropolitano Dom Itamar Vian vai benzer a pedra fundamental onde será construída a primeira capela dedicada a Irmã Dulce dos Pobres, na Arquidiocese de Feira de Santana, localizada na rua Pitombeira, bairro Pitombeira, perto da Universidade Estadual de Feira de Santana. Os devotos de Irmã Dulce e católicos da paróquia São José Operário pretendem concluir a capela ainda neste ano.

Aeroporto
Ao que tudo indica os representantes de Feira de Santana não tem nenhuma moral com os governos Federal e Estadual. A Secretaria Nacional de Aviação Civil aprovou a primeira fase do Plano de Investimentos do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos de 2011, segundo portaria publicada ontem no Diário Oficial da União. Serão contemplados, com recursos totais de até R$ 102,3 milhões, apenas aeroportos de menor porte, que atendem à aviação regional. Na Bahia os aeroportos de Vitória da Conquista e Barreiras vão receber recursos para obras. Feira de Santana, mais uma vez, ficou de fora.

Ação
Tem gente pulando de alegria com a notícia de que a União está movendo Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito José Ronaldo de Carvalho a secretária municipal de Saúde Zênia Maria de Araújo Neves, e outras 13 pessoas. Esquecem, no entanto, que o processo está em fase de recursos e que há muitos trâmites a serem seguidos até que seja julgado o mérito pela Justiça Federal. E como a Justiça deste País é tão rápida quanto uma tartaruga, vão ter que esperar muito para comemorar ou chorar.

Esse time só me dá alegria
“Já que o Curintia treme tanto nas finais, o novo estádio vai se chamar...
Parkinson Jorge”! (anônimo).

Pára choque de caminhão
“Discurso deve ser igual a vestido, quanto mais curto melhor”. (coletado pela professora Lélia Vitor)

Philosopher I
“Lealdade: É quando a gente prefere morrer que trair a quem ama”. (Luiz Gonzaga Pinheiro in, “O Homem que Veio da Sombra”)

Philosopher II
A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado que foi triste. (John Ruskin). Eu sou muito feliz!

*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*
Por hoje é só que agora eu vou ali espairecer que tô meio sem saco pra escrever

Distribuição de sementes em Jaíba

             A Secretaria Municipal de Agricultura e Recursos Hídricos (Seagri) deu início à distribuição de 132 toneladas de sementes quinta-feira passada (26). Os primeiros 1.500 agricultores beneficiados com grãos de milho e feijão foram de Jaíba e, na sexta-feira (27), a entrega continuou no distrito de Governador João Durval Carneiro (antigo Ipuaçu), pela localidade Quilômetro Sete.
A distribuição prossegue no sábado (28), no distrito de Matinha, e na segunda-feira (30) será a vez de Bonfim de Feira. Os próximos agricultores favorecidos com as sementes são de Tiquaruçu, na terça-feira (31), e de Jaguara, na quarta-feira (1º de junho) e quinta-feira (2). Em Maria Quitéria as sementes serão distribuídas na sexta-feira (3) e sábado (4).
Segundo o secretário municipal de Agricultura, Ozeny Moraes, os pequenos agricultores de Humildes vão receber grãos de feijão e milho disponibilizados pelo Governo do Estado, através da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (Ebda). A entrega acontece nas associações de moradores de cada distrito.
“Das 100 toneladas de sementes de feijão e 32 de milho, cada homem do campo recebe 10 litros de feijão e mais três de milho. As sementes passaram por análise em laboratório para que fosse verificado o vigor, germinação e pureza, e estão dentro dos padrões”, assegura o secretário. Ao todo, 12.193 agricultores serão beneficiados.
Trabalho infantil


Apesar de todos os depoimentos de pessoas de todos os níveis sociais, concordando que trabalho não impede crianças de estudar, nem as deixa traumatizadas nem humilhadas, como afirmam os pregadores do “politicamente correto”, continua grassando pelo Brasil afora uma verdadeira campanha contra crianças trabalhando.

São inúmeros os depoimentos de pessoas que na infância trabalharam um turno e estudaram em outro. A vida seguiu o seu curso natural, e quem era apto ao estudo, se formou, virou doutor, e quem era mais voltado ao serviço técnico (mecânico, pedreiro, eletricista) também venceu na vida, embora levando uma vida mais humilde. Outros, com tino para o comércio, até enriqueceram.

E melhor de tudo é que a maioria continuou cultivando as amizades feitas na infância e na adolescência, e se respeitavam independente da condição social e financeira de cada um. A vergonha, o ostracismo, a marginalidade, ficou para quem não trabalhou nem estudou e sempre viveu de espertezas, roubando e até matando. Outros entraram para a política.

São muitas também as ocorrências de fatos nos dias atuais em que a proibição do trabalho infantil resultou em tragédia. Aqui mesmo em Feira de Santana, temos exemplos de crianças que foram proibidas de trabalhar, mesmo no auxílio aos pais, e acabaram se envolvendo com a vagabundagem, com as drogas, e acabaram mortas por quem deveria protegê-las.

O problema é que não se sabe separar trabalho de exploração e palmadas de tortura e mutilação. Uma criança que auxilia seus pais na lida diária, é diferente de uma criança que é explorada por pessoas inescrupulosas que as submetem a trabalho escravo e não condizente com a idade que têm. Os cortadores de cana, por exemplo. Uma criança que desobedece seus pais e pratica um ato ilícito, pode ser castigada com palmadas, chineladas ou até uma sova de cinto. Mas é diferente daquela que é torturada pelos seus pais ou parentes, muitas vezes apenas porque choram de fome ou dor. É preciso saber diferenciar estas coisas e não generalizar, como se qualquer trabalho ou castigo paterno se constituísse numa monstruosidade praticada contra crianças inocentes.

Mas há algo que vem me intrigando ultimamente. A toda hora ouço pessoas pregando contra o trabalho infantil com tal veemência que beira o rancor, a raiva. Algumas chegam a ter lágrimas nos olhos quando falam que uma criança está sendo “forçada” a trabalhar. Apelam até para os poderes constituídos para que impeçam e até prendam os pais.

Mas, vejam, eu não ouvi até o momento nenhum pronunciamento contra o trabalho infantil na televisão e no cinema brasileiro. Quer dizer então que filho de rico e famoso pode trabalhar, mas o do pobre não. E essas crianças do cinema e da TV trabalham até em programas proibidos para menores. E só pra lembrar, o ator mirim que fez o filme “Pixote”, provando da fama e depois abandonado à própria sorte, aproveitando a experiência adquirida no filme, se envolveu com a marginalidade e acabou morto pela Polícia.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A Festa do Agito


No próximo domingo (29) acontece a "A Festa do Agito", no espaço Hyago Festas, na rua Leolinda Bacelar, 74, Kalilândia. O evento, que é organizado pelo promoter Christy Helmayd, tem início previsto para as 12 horas e terá como atrações as Bandas Marizélia e seus Coisinhos, Simplicidade a Mais, Audácia Pura, Eletromix com Helder Brasil, Grupo de Bem com a Vida e ainda participação dos cantores Fernanda Noronha e Jair Luz, de Salvador (Hotel Pestana) Céliah Zaim, Janno, entre outros.

Está sendo solicitado traje esporte em tons claros ou floral. Para acesso a festa é necessário apresentação de convite com assinatura de Christy Helmayd, que podem ser adquiridos na Boutique RR Sobral, em frente a Praça de Alimentação, na avenida Getúlio Vargas; Boutique Voce + Fashion e Galeria de Arte Nadja Pitombo, no Arnold Silva Plaza; Anaport da Avenida Getúlio Vargas ou ainda no local do evento ou pelos telefones (75) 3491-3745 / 9132-1602 / 3221-0919. O convite custa R$ 40,00 e dá direito a comida e bebida.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Forró na França - Rede Bahia Revista - Participação de Del Feliz

"Forró da paixão pelo Redentor" 


No próximo sábado (28) vai acontecer o "Forró da paixão pelo Redentor", no ZILAS CERIMONIAL, no bairro Capuchinhos (onde funcionava o Guincho Uirapurú), a partir das 20 horas. Para animar o arrasta pé Raizes do Nordeste, Valdômio e Carlinhos e teclacados.

A realização é da Paróquia Cristo Redentor (Comissão da festa 2011). As camisas estão sendo vendidas ao preço de R$15,00, na Secretaria da Igreja Cristo Redentor - JOMAFA e no Salão Paixão.
Mais um poema de um feirense, como parte das mudanças que virão da transformação do Blog em Site.
Convescote

Nós dois, a sós, à beira deste lago.
Víveres, bebidas, deslumbrados.
Diante destes ermos sossegados...
De quando em quando, um deleitoso afago.

A natureza é um presépio mago.
Juntinhos. Nossos braços abraçados.
Distantes de invejosos e invejados.
Para os teus beijos, os meus beijos trago.

Esta paz nos faz recordar – vestidos
Adão e Eva, em tempos consumidos
Pela fatalidade milenar.

Amemo-nos bastante, doce amante,
Sob o céu estival, a farfalhante
Amendoeira a nos agasalhar.

Antônio Lopes, poeta feirense, in “Vozes Ocasionais” – 1986.
Onde foi parar a tal da mudança climática?


Para quem acompanha o assunto, 2011 vem sendo incomum, pouco se falou em mudanças climáticas. E isso, no rasto do encontro de Cancún - considerado um sucesso relativo, após o fracasso de Copenhague, mesmo tendo deixado em aberto questões essenciais. E até agora, não faltaram enchentes e eventos meteorológicos extremos ao redor do mundo que diferentemente dos anos anteriores, não levaram a discussão de volta às manchetes.

Tudo bem, no Brasil, o assunto do ano no meio ambiente - de mérito inquestionável - tem sido a reforma do Código Florestal. Mas onde estão os discursos de líderes mundiais prometendo mudanças para proteger o planeta das mudanças climáticas?

Alguns até disseram que iriam investir pesado em energias renováveis, entre eles a chanceler da Alemanha, Angela Merkel. O motivo? Bem, o desastre nuclear de Fukushima, no Japão, assustou países que dependem em grande parte da energia nuclear.
Recentemente, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deu uma longa entrevista à BBC. Quase meia hora sobre quase todos os assuntos. Quase, porque não disse sequer uma vez as palavras: "mudança climática" ou mesmo "aquecimento global".
Enquanto isso, os chamados "céticos" continuam a expressar as suas opiniões - raramente baseadas em ciência robusta, mas ocupando o espaço que a imprensa lhes dá. Apesar do barulho que fazem, pouca coisa mudou no consenso da comunidade científica em torno do assunto, como mostrou um estudo australiano nesta semana (uma das poucas vezes em que mudança climática foi manchete neste ano).
Por onde anda a opinião pública? Essa é a pergunta que me faço. Considerando que pesos-pesados da política, que costumam pagar pequenas fortunas para saber o que os seus eleitores pensam, não têm tocado no assunto - Obama falou no máximo em política energética -, seria errado supor que o assunto ficou impopular?
Na semana que vem, representantes dos países que participam da convenção da ONU sobre mudança climática (UNFCCC) voltam a se reunir em Bonn para diminuir as distâncias entre as posições dos 192 países. Afinal, em dezembro, um novo encontro sobre o clima, dessa vez na África do Sul, deveria alinhavar um acordo global.
Alguém ainda se importa?

(Eric Câmara - BBC Brasil)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Instituto Nobre assume Cardiologia do HDPA


Nesta segunda-feira (23) a Santa Casa de Misericórdia de Feira de Santana, representada pelo seu provedor, Dr. Outran Borges, assinou convênio com o Instituto Nobre, representado pelo seu diretor presidente, professor Jodilton Souza, que passará a administrar o setor de Cardiologia do Hospital Dom Pedro de Alcântara (HDPA), que até recentemente era administrado pelo Instituto de Cardiologia do Nordeste da Bahia (ICNB).

Com a desistência do ICNB há pouco mais de um mês, o Instituto Nobre apresentou uma proposta para assumir a Cardiologia do HDPA, proposta essa que foi aceita pela Mesa Diretiva da Instituição. O convênio tem duração de 10 anos. O setor deve entrar em funcionamento a partir da próxima semana.

A Santa Casa já mantinha um convênio com o Instituto Nobre para que alunos dos cursos da área de Saúde (Enfermagem, Psicologia, Fisioterapia, etc.) da Faculdade Nobre pudessem fazer estágio no HDPA. Com a chegada do curso de Medicina, o professor Jodilton disse que pretende transformar o HDPA, em hospital-escola.

A melhor notícia, entretanto, é que o centro cirúrgico da Cardiologia já está com suas instalações físicas prontas e o professor Jodilton Souza embarca esta semana para São Paulo onde vai participar de uma Feira Nacional de Equipamentos Médicos, para adquirir equipamentos de ponta para o seu funcionamento.

Credenciamento ao SUS
Outra boa notícia, segundo o provedor da Santa Casa, é que na próxima terça-feira (31) uma equipe da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) estará visitando o Centro Cirúrgico da Cardiologia do HDPA para fazer uma checagem das suas instalações físicas, conferindo se está em conformidade com as exigências do Ministério da Saúde, para poder dar encaminhamento ao projeto de credenciamento do setor de Cardiologia ao Sistema Único de Saúde (SUS).(Informações Assessoria da Santa Casa - Foto Reginaldo Pereira)
Que país é esse?


O editorial da revista Bahia Indústria, editada pela Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), que circulou no início deste ano, traz a seguinte pergunta: “o que a Indonésia, Tunísia, Costa Rica e Azerbaijão têm em comum”? A resposta é que todos eles superaram o Brasil no ranking da competitividade, elaborado anualmente pelo Fórum Econômico Mundial, organização que atua como observadora do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas. No 58º lugar o Brasil caiu duas posições em relação ao ano anterior.
No ranking o Brasil ainda aparece entre os países mais avançados em aspectos como sustentabilidade fiscal e competitividade dos setores privado e financeiro, O Brasil também está entre os países mais atrasados em aspectos como corrupção e desperdício de dinheiro público. Está entre os 16 piores em termos de corrupção. Além disso, a sua infra estrutura é considerada deficitária. Em termos de portos está em 122º, em rodovias é o 102º, O nível do ensino fundamental está entre os 12 piores e o ensino de ciências e matemática está no 126º lugar entre os 139 países analisados.
No dia 10 passado a professora Amanda Gurgel, do Rio Grande do Norte, sacudiu a opinião pública ao desafiar os deputados e a própria secretária de educação do seu estado, ao expor na cara deles toda angustia e sofrimento em que vivem os professores e alunos em todo o Brasil diante do descaso com que a educação é tratada neste país. A fala da professora virou assunto nacional e, de quebra, ela ainda convocou pela TV uma movimentação grevista nacional para tentar colocar a educação no caminho certo, devolvendo a dignidade e o respeito que merecem professores, alunos e funcionários da educação.
Há cerca de 60 anos vimos países como Japão, França, Alemanha e Inglaterra, saírem arrasados de uma guerra mundial. Mas, como eram países em que a educação era considerada prioridade pelos seus governos, logo se reergueram e hoje são potencias mundiais. Na década de 80 a Espanha saiu do domínio do generalíssimo franco e o novo governo investiu, prioritariamente, em educação.
Hoje, 30 anos depois, a Espanha é uma potencia mundial. Outros países, como a Coréia do Sul, também investiram em educação e estão se firmando como potencias mundiais.
Mas o Brasil, apesar dos números apontarem uma situação de atraso, de corrupção, de falta de infra estrutura e, principalmente, educação de qualidade, não coloca a educação entre as suas prioridades.
Mas, ainda assim, está investindo bilhões em Copa do Mundo e Olimpíadas, mesmo correndo o risco de pagar um mico mundial, expondo para o mundo inteiro a sua desorganização e o seu atraso.
É verdade que nós, mal educados que somos, estamos pouco ligando se vamos passar vergonha ou não. Aliás, nós não nos preocupamos com nada. Nem se passamos fome. Afinal, temos futebol e carnaval. Do que precisamos mais?

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Dia Mundial da Tartaruga


Hoje (23/05) é aniversário de Rubens Barrichello. O piloto da Williams completou 39 anos nesta segunda-feira, mas uma dessas ironias do destino o faz ter motivos para querer ter nascido em outro dia. Parece piada pronta, mas 23 de maio também é… o Dia Mundial da Tartaruga.

Em 2000, a American Tortoise Rescue, entidade americana de proteção aos animais, instituiu a data comemorativa. Desde então, Barrichello sofre com as piadinhas.

O programa Pânico na TV deu sua “contribuição” em 2006, quando entregou uma tartaruga de brinquedo a Michael Schumacher, que não segurou o riso em uma entrevista coletiva. O “mimo” ganhou até nome: Rubens. Barrichello aceitou a brincadeira e até autografou o objeto.

domingo, 22 de maio de 2011

Professora reclama da educação e silencia deputados!

Fim do mundo não acontece e frustra 
seguidores de previsões apocalípticas


O fim do mundo, como previsto pelo apóstolo apocalíptico Harold Camping, um engenheiro civil aposentado de 89 anos que construiu um empreendimento de milhões de dólares sem fins lucrativos com base em suas previsões apocalípticas, passou incólume pela Austrália. Em vários pontos do mundo, no entanto, muitos se recolheram para rezar por perdão enquanto esperavam pelo último dos dias. Outros, em lágrimas, reuniram-se aos filhos e preparavam-se para deixar suas casas e animais domésticos para trás enquanto aguardavam a viagem para o céu, naquele que seria o Dia do Arrebatamento. Seguidores de igrejas protestantes e neo fundamentalistas da Califórnia preconizavam este sábado como sendo o Dia do Julgamento previsto na Bíblia, no Alcorão e no Torá.

A mensagem do Dia do Julgamento foi disseminada para várias partes do globo por sites da internet e outros meios de divulgação por Harold Camping. Após meses em viagens pelo país para divulgação do Dia do Julgamento e distribuição de panfletos com trechos da Bíblia, Michael Garcia, um dos seguidores de Camping, pretendia passar a sexta-feira à noite com sua família em sua casa em Alameda, perto da sede do império midiático cristão de Oakland. Eles acreditam que o fim do mundo, provavelmente, vai começar às 18 horas nos diversos fusos horários do mundo.

– Nós sabemos que o fim vai começar na Nova Zelândia e seguirá o sol. É por isso que Deus criou toda a tecnologia e os satélites para que todos possam vê-lo acontecer ao mesmo tempo – disse Garcia,de 39 anos e pai de seis crianças. Ele não foi localizado depois que o sol nasceu, neste sábado, sem trazer qualquer novidade além de um novo dia, nos lugares que seriam destruídos em um cataclisma.

As reações na internet, na véspera, porém, eram intensas após as 18 horas na Nova Zelândia.

“A previsão de Harold Camping de que o dia 21 de maio era o Dia do Julgamento fracassou. Não há nenhum terremoto na Nova Zelândia”. Este era um dos comentários postados no Twitter.

“Se esse fato do fim do mundo ainda está rolando…já são mais de 18 horas na Nova Zelândia e o mundo não acabou”, escreveu uma outra pessoa no Twitter.

As estações de rádio, canais de TV, transmissões de satélite e o website de Camping são controlados de um prédio humilde construído na rua que leva para o Aeroporto Internacional de Oakland, localizado entre uma loja de carros e um centro de quiromancia. A mensagem da Rádio da Família é transmitida em 61 línguas. Camping está esperando o retorno de Jesus Cristo pela segunda vez. Ele disse que a sua previsão apocalíptica de 1994 deu errado por um erro matemático.

– Não estou constrangido por causa disso. É que a ocasião foi prematura – disse.

Mas desta vez, afirmou, “não há nenhuma chance de que não vá acontecer”.

Como o fim do mundo não ocorreu, os céticos realizaram festas temáticas para celebrar o que os anfitriões acreditam que será o fracasso do fim do mundo. Bares e restaurantes de Melbourne, na Austrália, até Flórida Keys faziam divulgação de eventos alusivos ao fracasso das previsões do fim do mundo, segundo informações da agência norte-americana de notícias Associated Press. (Correio do Brasil)

sábado, 21 de maio de 2011


Inguinorança

CLÓVIS Rossi

SÃO PAULO - Não, leitor, o título acima não está errado, segundo os padrões educacionais agora adotados pelo mal chamado Ministério de Educação. Você deve ter visto que o MEC deu aval a um livro que se diz didático no qual se ensina que falar "os livro" pode.
Não pode, não, está errado, é ignorância, pura ignorância, má formação educacional, preguiça do educador em corrigir erros. Afinal, é muito mais difícil ensinar o certo do que aceitar o errado com o qual o aluno chega à escola.
Em tese, os professores são pagos -mal pagos, é verdade- para ensinar o certo. Mas, se aceitam o errado, como agora avaliza o MEC, o baixo salário está justificado. O professor perde a razão de reclamar porque não está cumprindo o seu papel, não está trabalhando direito e quem não trabalha direito não merece boa paga.
Os autores do crime linguístico aprovado pelo MEC usam um argumento delinquencial para dar licença para o assassinato da língua: dizem que quem usa "os livro" precisa ficar atento porque "corre o risco de ser vítima de preconceito linguístico".
Absurdo total. Não se trata de preconceito linguístico. Trata-se, pura e simplesmente, de respeitar normas que custaram anos de evolução para que as pessoas pudessem se comunicar de uma maneira que umas entendam perfeitamente as outras.
Os autores do livro criminoso poderiam usar outro exemplo: "Posso matar um desafeto? Claro que pode. Mas fique atento porque, dependendo da situação, você corre o risco de ser vítima de preconceito jurídico".
Tal como matar alguém viola uma norma, matar o idioma viola outra. Condenar uma e outra violação está longe de ser preconceito. É um critério civilizatório.
Que professores prefiram a preguiça ao ensino, já é péssimo. Que o MEC os premie, é crime.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Salvador sedia IV Parada do Orgulho Louco


O orgulho louco mostra sua cara e pede passagem, porque “de perto ninguém é normal”. No próximo sábado, dia 21 de maio, a Avenida Presidente Vargas, em Salvador, será ocupada por usuários de saúde mental de todo o Estado. Essa é a quarta edição da Parada do Orgulho Louco, que começa logo pela manhã, às 9 horas, com a caminhada guiada por trio elétrico que seguirá pela avenida, das imediações do morro do Cristo até o Farol da Barra. Essa atividade faz parte da programação que celebra o dia 18 de maio, quando se comemora a data nacional da Luta Antimanicomial.
A Parada traz às ruas as pessoas que se cuidaram e superaram suas dificuldades, exibindo seus jeitos diferentes de ser. Assim, “com força e ousadia, enfrentam-se os preconceitos que ainda encarcera o insano e exclui o alienado, proporcionando-lhe um espaço para que se exponha e ocupe seu lugar”, declara Josuéliton Santos, usuário do serviço de saúde mental e diretor-presidente da Associação Metamorfose Ambulante de usuários e familiares do sistema de saúde mental do estado da Bahia (Amea) uma das instituições responsáveis pela organização da parada.
Também estão na organização o Conselho Regional de Psicologia (CRP-03), o Núcleo Estadual pela Superação dos Manicômios (NESM) e estudantes do Grupo de Trabalho Eduardo Araújo (GTEA). O evento reúne ainda os usuários (as), familiares e trabalhadores (as) do sistema de saúde mental do Estado da Bahia, que, organizados (as) como um movimento social coletivo, buscam propagar as conquistas e comemorar os êxitos da “Reforma Psiquiátrica Antimanicomial”.
Segundo o usuário do serviço de saúde mental e membro da Amea, Sérgio Pinho, a Parada tornou-se uma das marcas da luta antimanicomial - que defende “o cuidado integral à pessoa em sofrimento mental, diferente da cultura dos manicômios que concebe a internação, aliada à contenção física e química, como alternativas únicas para o tratamento do transtorno mental”. “Por isso, uma das palavras de ordem é ‘Manicômio Não Cura, Manicômio Tortura’”, completa Pinho.

Atrações culturais
Diversas atrações musicais serão apresentadas na Parada, como a banda de pop-rock “Sombra Sonora” e o grupo de samba “Barlavento”; o “Fanresol” e o “Neologia”; além do cantor Gerônimo, que fará um show na apoteose do cortejo, no Largo que circunda o Farol da Barra.
Poetas farão suas performances e atores circenses e teatrais são convidados a exibir suas artes. Grupos de capoeira e rodas de samba estarão no trajeto, além de uma feira de artesanato que será montada nas imediações do Porto da Barra, com os objetos produzidos nas oficinas dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps).

A atenção do cuidado
“Para nós, a reabilitação psicossocial é possível, enquanto mantivermos o cuidado, tanto com o uso constante dos medicamentos, quanto com práticas terapêuticas”, afirma o presidente da Amea que acrescenta, como imprescindível, que haja atividades culturais, físicas e desportivas, além de capacitação para o trabalho, porque, essa pessoa que apresenta o sofrimento psíquico, também é um cidadão. “E ainda que mereça a atenção permanente de um cuidado especializado, pertence à diversidade desse organismo vivo que chamamos de sociedade”, conclui Josuéliton Santos.






Armadilha
A carne é fraca, eu sei, mas essa estória do diretor do FMI que foi preso por ter abusado sexualmente de uma camareira de hotel em Nova York tá me cheirando a armadilha. Tudo bem, ele tem um passado que o condena, e é tido por todos como mulherengo. Mas, analisemos os fatos: O sujeito é um dos homens mais poderosos do planeta, dono de uma brilhante carreira política, e, segundo as pesquisas, virtual presidente eleito da França. Será possível que ele iria arriscar tudo por um pouco de sexo com uma camareira? O preço a pagar é muito alto e nenhuma prostituta vale tanto.

Sexo caro
Continuando o raciocínio, eu diria que ele poderia pagar muito menos se contratasse uma prostituta de luxo, dessas que custam cerca de R$ 50 ou 100 mil a transa (sim, elas existem e ele pode pagar) e ainda assim o sexo sairia muito mais barato. Mas, como eu disse, a carne é fraca, e os inimigos dele muito poderosos também.

Site
As coisas estão bem encaminhadas. Creio que nos próximos 60 dias este blog vira site. E uma das melhores atrações será a Rádio Sempre Livre On Line. Você ouve a música, recebe informações sobre ela e, inclusive pode ter a cópia da letra. Aguardem! Muitas novidades virão por aí.

Homofobia
“Bolsonaro vai ser bem mais vitorioso nas próximas eleições, justamente porque tem expressado energicamente sua homofobia e sua natureza racista. É, porque boa parte dos brasileiros é homofóbica e racista. Só não tem coragem de assumir, até porque racismo é considerado crime. Jair Bolsonaro também está fadado a fazer cada vez mais sucesso como político porque os que o combatem o fazem somente com a emoção, com a mesma raiva e com o mesmo ódio que o deputado diz ter dos gays e dos pretos. Alguém aí sabe que o deputado é integrante da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, na Câmara Federal? Pois é, mas ele sapateia até na emoção da grande imprensa aparecendo como homofóbico! A imprensa que deveria também estar cobrando do deputado ações no que ele se propôs a fazer no Legislativo! Bolsonaro é o político mais falado no Brasil todo, porque sabe como usar o furor coletivo desembestado”! Edson Borges www.farinhanosaco.com.br .

Deputados
Os deputados estaduais de Feira de Santana sempre estão dando o ar da sua graça, seja defendendo projetos, comentando assuntos relevantes, enfim, demonstrando alguma movimentação política. Mas os federais têm deixado muito a desejar. Quando muito, suas assessorias enviam releases á imprensa para dizer que tal deputado apóia este ou aquele projeto de algum colega. Ações partidas deles mesmos não temos notícias, à exceção de emendas orçamentárias cujas verbas nunca são liberadas pelo governo federal.

Divide sim
Volta à cena discussões sobre dividir o estado da Bahia, agora em dois e não mais em três, como desejavam anteriormente. Fui a favor da divisão antes e sou a favor agora. Não vou entrar nos discursos e argumentos de políticos e seus interesses mesquinhos e pessoais. Entendo que a Bahia poderia ser dividida sim, em três estados menores, mais fáceis de administrar e, o que é melhor, três estados ricos. Só quem não viaja, não conhece a realidade da Bahia, não entende isso. No além São Francisco, por exemplo, os baianos têm mais afinidade com Goiânia do que com Salvador. Esse é só um dos aspectos. Há muito mais a se considerar. Deixemos pois de ufanismos inúteis e oportunistas, e vamos discutir o assunto com seriedade.

Soltando as frangas
Com os seus direitos cada dia mais reconhecidos os gays estão mais alegres (desculpem a redundância) e saindo dos armários. Esta semana foi a vez de um radialista feirense admitir no ar que é gay. Segundo ele, ativo, mas gay. Não existe essa de ativo ou passivo, porque a história é pródiga em ativos que se tornaram passivos com o decorrer do tempo. Eu só peço aos neoliberados que respeitem os heterossexuais da mesma forma com que eles lhes respeitam e reconhecem os seus direitos. No mais, é só alegria.

Batmacumba I
Rapaz! Eu queria ter a R$ 1 Real cada grão de farinha que foi gasto nas encruzilhadas da cidade na sexta-feira passada, dia 13. O cablocos nunca trabalharam tanto.

Batmacumba II
Por falar em macumba, creio que alguns ebós da sexta-feira 13 foram dirigidos para mim. Se eu temesse estas coisas, tava ferrado. Mas eu tenho o corpo fechado. Como diria Mário Quintana: “Esses que aí estão, barrando o meu caminho. Vocês passarão. Eu, passarinho”.

Pára choque de caminhão
“Deus cura e o médico manda a conta”. (coletado pela professora Lélia Vitor)

Philosopher I
“Evangelho: É um livro que só se lê bem com o coração”. (Luiz Gonzaga Pinheiro in, “O Homem que Veio da Sombra”)

Philopher I I
A maldade de um ser humano pode até separar dois corpos, mas, nunca duas almas, dois corações que se amam. O amor eterno não acaba jamais, adormece para acordar mais intenso! Eu que o diga!

_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*
Por hoje é só que agora eu vou ali numa festa de casamento gay.
Vem aí a Rádio Sempre Livre On Line
(rádio como você nunca ouviu)

         Uma das propostas da Rádio Sempre Livre On Line será fornecer algumas letras de músicas para os internautas, que inclusive, poderão solicitá-las por e-mail. Música de qualidade para todos os gostos, de todos os tempos, inclusive clássicos.
Pra quem gosta de curtir uma dor de cotovelo, por exemplo, podemos garimpar algo como este clássico composto por Bia e Bolinha, imortalizado na voz de Cascatinha e Inhana, além de muitos outros intérpretes da Música Popular Brasileira:

Boneca Cobiçada

Quando eu te conheci/do amor desiludida
Fiz tudo e consegui/dar vida a tua vida
Seis meses de ventura/o nosso amor viveu
Seis meses com ternura/beijei os lábios teus

Porém eu já sabia/que perto estava o fim
Pois tu não conseguias/viver só para mim
Eu poderei morrer/mas os meus versos não
Minha voz hás de ouvir/ferindo o coração

Boneca cobiçada/das noites de sereno
Teu corpo não trem dono/teus lábio têm veneno
Se queres que eu sofra/é grande o teu engano
Pois olha nos meus olhos
Vê que não estou chorando.

Bote mais uma aê, menino! KKKKKKKKKKK
As máscaras que usamos


“As máscaras que usamos são as maneiras como a nossa personalidade se apresenta. A pessoa altruísta, a autossuficiente, a pessoa carinhosa, a que está sempre desconfiada, a egoísta, a briguenta, a honesta, a pessoa carente ou parasita, a que se faz pai ou mãe de todos, a mentirosa, narcisista, a otimista ou pessimista, a pessoa colaboradora ou individualista, a pusilânime fraca de ânimo e sem firmeza, a religiosa, a sofredora, a solitária, a sonhadora, são alguns exemplos de máscaras que usamos. Não se trata, portanto, de negativo ou positivo, de bom ou mau. São maneiras de ser que compõem a personalidade de alguém e fazem parte da alma, isto é, da essência da pessoa”. Essa é a afirmação dos estudiosos do assunto.
Mas a coisa se complica quando a gente se deixa envolver pela máscara, afastando-nos da nossa própria essência, perdendo o foco na nossa busca pessoal, esquecendo dos nossos próprios projetos pessoais de aprendizado, crescimento e formação de caráter. Ou seja, passamos a viver a vida de outra pessoa. É aí que nos deixamos influenciar pelas opiniões alheias, perdendo o nosso próprio senso crítico. É muito bom colher opiniões de outras pessoas, principalmente as mais experientes, quando temos que tomar decisões importantes. Mas, a decisão tem que ser a nossa, e não a dos outros. Caso contrário, a gente se sente infeliz mediante qualquer comentário que não aprove as nossas ações, decisões e escolhas.
Sentimos insegurança com medo de ter que enfrentar a realidade de que necessitamos dos desejos e preferências, idéias ou opiniões, escolhas ou pontos de vista, mesmo que não coincidam com o que os outros gostam. Escolher os próprios caminhos é a maior tarefa de quem caminha.
Porque fingimos sempre ser quem não somos? Em alguma parte da nossa vida, em relação a alguma coisa dela, acabamos por nos mascarar de uma personagem que em nada tem a ver conosco. Tentamos mostrar-nos mais independentes do que realmente somos, sem mostrar nossas carências e nossas fraquezas, só para que não tenhamos de lidar com a preocupação e o cuidado de outros. Mas depois sentimo-nos sozinhos por os outros nos verem assim, e realmente não nos apoiarem mais vezes.
Ou então mostramo-nos mais frágeis do que realmente somos, só para que andemos sempre levados pelas mãos dos outros. Assim, se algo corre mal, sempre podemos culpar quem nos “carregou” no caminho que seguimos. A verdade é que nos mascaramos a nós mesmos. Acabamos por acreditar na pessoa que vemos no espelho e não vemos a que está por trás.
Mas é também real que com essas máscaras nos sentimos mais confiantes e mais seguros em determinadas circunstâncias. Porém, o pior é quando nos vemos claramente e sentimos o engano em que vivemos.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Vivendo com uma sombra

Anônima **


Há algumas semanas soube por uma amiga que uma menina da família dela tinha sido molestada pelo padrasto, e que a mãe não fez nada porque não acreditou na garota. O sentimento de revolta me consumiu naquele momento foi tão intenso, que desejei bater muito naquela “mãe”. Não posso conceber uma mãe ouvir de uma filha que ela está sendo molestada e simplesmente achar que a garota está mentindo, sem sequer averiguar, sem desconfiar, sem dar um mínimo de crédito à história. Sei que, neste caso específico, a menina resolveu ir morar com o pai. É adolescente já, então tem este poder de escolha. Mas, e se ela fosse uma criança ainda, com menos de 10 anos? E as que não tem essa opção que ela teve? Eu odiei (e ainda odeio) profundamente essa mãe, que sequer conheço, por conta disto.

No entanto, foi justamente este caso que me estimulou a escrever sobre o assunto. Nunca escrevi sobre isto, um verdadeiro tabu nos temas dos meus textos, justamente porque eu também fui vítima um dia.

Sempre se ouve falar de casos e mais casos de pedofilia onde a criança terminou morta ou muito ferida fisicamente, além claro do fator psicológico. Mas são poucos os casos onde se escuta/lê relatos de pessoas que passaram por isso e superaram, seguiram em frente, formaram família. O que fazem as vítimas quando se tornam mães e pais? A blogueira Mari Hart, mãe de 3 filhos, teve a coragem de falar abertamente que passou por isto, e como lida com o problema hoje. (Leia aqui.)

Os relatos que já li sempre estão permeados de muito medo e traumas, além da mágoa em si, e dão a entender que a pessoa não está sabendo seguir adiante. Como o caso de um rapaz que não consegue namorar ninguém, ou da moça que deixou de casar com o grande amor de sua vida, por medo de que um dia eles tivessem filhos e o pai os molestasse, como aconteceu com ela, embora o rapaz nunca tivesse dado qualquer indício de ser uma pessoa mentalmente perturbada para fazer algo do gênero. Daí vocês podem perguntar: “E como alguém pode saber?” Olha, quem passa por isto acaba percebendo quando topa com um. Porque passamos a confiar menos, porque procuramos ler especialistas sobre o tema pra entender como pedófilos se comportam e como reconhecê-los (e fazemos isso com mais afinco que a maioria) e porque, talvez por defesa, acabamos desenvolvendo um “faro” pra reconhecer estes doentes à distância e correr milhas deles. Já me deparei com pedófilos aí pela vida, e alertei como pude a quem de interesse que por Deus observasse melhor e não confiasse.

Mas, voltando à questão das sequelas psicológicas, eu – assim como a Mari – me sinto privilegiada por ter seguido em frente. Na verdade, o meu caso foi “light” (se é que se pode classificar essa abominação), em relação a muitos que ouço. Não fui violentada fisicamente, não aconteceu por muito tempo. Tinha entre 5 e 6 anos, e uma empregada me obrigou algumas vezes a fazer sexo oral nela. Lembro que quando eu reclamava, ela passava açúcar e mandava eu lamber. Pesado? Então nem queiram saber de outros relatos que já ouvi por aí... E eu encontrei meu mecanismo de defesa: aprontei e infernizei ela, quando meus pais estavam em casa, até eles cansarem e demitirem ela. Foi arriscado? Foi. Mas eu não tinha noção de risco assim tão clara, e sabia que quando eu encrencava com alguém, minha mãe não tinha tempo ou paciência pra lidar com a situação e mudava de empregada. Usei um defeito da minha mãe em meu favor. E eles nunca ficaram sabendo o que realmente aconteceu... No começo, eu tinha medo dela voltar. Depois, eu tinha vergonha porque achava que eu tinha 'culpa' pelo que acontecia. E mais depois, porque eu bloqueei a lembrança.

Não me tornei homofóbica, não tive nojo ou medo de sexo, tive namoros normais, segui a minha vida de forma relativamente saudável. Mas, uma coisa é certa: eu sempre tive muito mais malícia pra sacar as situações do que a maioria dos meus amigos. Com a lembrança bloqueada, eu não sabia o motivo disso, mas hoje eu sei.

Os anos se passaram e eu me tornei mãe. Um dia, quando tive que contratar uma babá a coisa toda voltou à tona. Aí veio o pânico. Não conseguia ficar muito tempo com uma babá, jamais deixei a bebê sozinha com a babá, e até me atrasei algumas vezes para o trabalho, porque só saia de casa quando chegava um dos meus pais pra ficar de olho na babá. Quando comecei a ter pesadelos, não dormir bem e não render no trabalho por neurose, procurei ajuda. Então, pela primeira vez na vida, procurei o meu pai e contei o que tinha acontecido. Meu pai chorou. Vi em seu rosto o quanto ele ficou frustrado por não ter podido me defender, por não poder procurar a pessoa pra buscar justiça (pois eu sequer lembro mais o nome dela), frustrado por eu ter passado tantos anos com aquilo guardado sem saber e sem poder fazer nada a respeito. Foi como alguém que chega 1hs depois que o último trem partiu.

Naquele momento eu compreendi que, como mãe, preciso lutar para ter uma relação de muita confiança com as minhas crianças e tentar, de algum jeito, fazê-las acreditar que podem me contar absolutamente qualquer coisa e confiar em mim, pois estarei lá por elas. Diferente dos meus pais, eu não trabalho fora, estou sempre em casa, o que me dá uma vantagem nesse processo. Eu não falava pra eles, porque achava que quando eles saíssem, eu seria castigada por ter contado. E eles não tinham culpa. Nunca os culpei por isso. No meu caso, eu tive a sorte de não precisar trabalhar fora pra ajudar no sustento da casa, então posso ficar por perto full time.

Depois de conseguir me abrir sobre isto com meu pai, me senti mais leve e finalmente consegui lidar com o fato. Transformei ele numa 'paranoia diferente' que, honestamente, eu acho até benéfica. Por exemplo, eu nunca deixei e nem pretendo deixar meus filhos irem a passeios escolares, ou dormir em casa de amigos, ou saírem pra festinhas e passeios sem a presença de um dos pais ou de alguém da minha absoluta confiança, antes que tenha idade e discernimento para entender o que é pedofilia e as formas que podem se prevenir um pouco disto. Não deixo que peguem o elevador com pessoas estranhas, a não deixar ninguém ajudar na hora de ir ao banheiro na escola (nem mesmo outros coleguinhas), a não sentar no colo de ninguém fora de casa e longe de mim, ensino a não confiarem em ninguém de fora, e ainda estimulo a me contar tudo sobre como foi o dia e falamos sobre cada fato que aconteceu. Observo mínimas alterações de humor e converso sobre o assunto para saber se há algo de errado. Enfim... medidas que talvez todos devessem tomar, mas que eu tenho uma necessidade um tanto maior que a maioria em fazer, devido à minha preocupação exacerbada e mais que justificada. Este é, definitivamente, um ponto onde eu prefiro pecar pelo excesso.

Resolvi falar sobre isso como forma de dar a minha contribuição pela campanha de prevenção do abuso e exploração sexual infantil, promovida pela "Childhood Brasil", para que de alguma forma também sirva como mais um alerta para outras famílias. Confiem nos seus filhos, observem eles, orientem, protejam. Busquem informação, aprendam a entender e reconhecer os sinais para se precaverem deste tipo de gente, porque, infelizmente, o mal pode estar em qualquer lugar. Qualquer lugar MESMO.


** Anônima é mãe de 3, foi vítima de pedofilia,
mas não consegue ainda mostrar o rosto em
público e falar “foi comigo”, mas quer muito
contribuir para que não aconteça o mesmo
com seus filhos, nem com os dos outros.

Fernando Torres no CQC - Danilo Gentilli - Controle de Qualidade com Políticos

Homem tenta embarcar em trem com pônei no País de Gales


Um homem tentou embarcar em um trem junto com um pônei na cidade de Wrexham, no País de Gales.

Depois de ter sua entrada recusada no vagão, o passageiro tentou comprar duas passagens - uma para ele e outra para o animal.

Mesmo assim, eles não foram liberados para viajar e deixaram a estação. O caso ocorreu no último sábado.

Imagens das câmeras de segurança mostram o homem e o pônei juntos dentro do elevador da estação.
BBC





Passageiro foi impedido de embarcar com o animal no vagão

Uma porta-voz da empresa ATW, que administra o serviço de trens, disse que animais de grande porte, como cavalos e pôneis, não são permitidos nos vagões, por trazerem risco para os passageiros.

A Sociedade Britânica para a Prevenção contra a Crueldade com Animais afirmou que esta não é uma "maneira aceitável de transportar um equino" e disse que vai analisar os vídeos do sistema de segurança da estação.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Casal negro dá à luz menino branco e loiro no Reino Unido

Por essa nem Genival Lacerda esperava. O casal Francis e Arlette Tshibangu, que vive no Reino Unido, tomou um susto quando nasceu o pequeno Daniel, um “galeguin do zói a\zul”. O menino, segundo filho do casal que já tem um menino de dois anos, é branco e loiro. No entanto, tanto a mãe quanto o pai são negros.
“A primeira coisa que pensei foi 'uau, será que ele é mesmo meu filho", disse Francis Tshibangu, coçando a testa, em entrevista ao jornal Daily Mail. De fato, o garotinho é mesmo seu filho. Daniel não é albino. Uma mutação genética explica a cor de sua pele. “Estou com minha mulher há três anos e nunca questionei sua fidelidade, mas a cor branca da pele do meu filho foi uma surpresa”, afirmou ele, conformado, acrescentando que “ele tem meu nariz e os lábios da minha mulher. Ele é nosso pequeno milagre. E é lindo também”. Os médicos e as enfermeiras também estranharam.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Intenção e gesto


Conta e história que certo dia, durante os Jogos Olímpicos em Atenas, na Grécia, uma senhora procurava assento entre a torcida ateniense. Sem encontrar lugar e ninguém disposto a lhe ceder lugar, foi procurar entre a torcida espartana. Tão logo chegou lá, alguém se levantou e lhe cedeu o lugar, gesto este que mereceu aplausos dos atenienses. Os espartanos, laconicamente, comentaram: “Sabem. Mas não praticam”.
Isso é que vemos acontecer diariamente no cotidiano dos dias atuais. Pessoas que detêm muito conhecimento, mas não o empregam na prática. Sabe-se que a gentileza deve ser praticada e cultivada diariamente entre gente dita civilizada. No entanto, quem vê, nos dias de hoje, alguém se levantar para dar lugar a uma senhora, a um idoso, ou simplesmente tomar uma criança no colo para dar descanso à mãe que se encontra em pé?
Hoje em dia ser gentil é sinal de fraqueza. Se por uma questão de educação doméstica, cedemos o nosso lugar no ônibus, cedemos a nossa vez na fila para um idoso ou uma gestante, somos vistos, no mínimo, como “otários”. Se você vive em harmonia com sua família, não toma decisões importantes sem ouvir sua mulher e filhos, é corno, viado ou pau mandado. Se você acha algo valioso e devolve ao dono, é um idiota.
E assim seguimos o nosso cotidiano julgando aos outros de acordo com o que nós mesmos somos e pensamos. Não há lugar para gentilezas, pois são vistas como fraquezas, idiotices. Até mesmo aqueles que receberam dos pais uma educação caseira de qualidade, hesitam em praticar o que aprenderam para não se sentirem envergonhados diante da maioria das pessoas que não recebeu a chamada “educação de berço” e, por isso mesmo, julgam os outros por si mesmos. É preciso praticar o que aprendemos. Não adianta andar rezando pelas igrejas e dizendo a Deus o quanto somos bonzinhos e merecedores das suas Graças. A quem estamos enganando? A Deus é que não é.
Mas a hipocrisia e cretinice reinantes faz com que as pessoas saiam por aí pregando e exigindo dos outros a prática dos bons princípios e da boa educação doméstica. Porém, tudo na base do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Eu tenho o direito de ser grosso, mal educado e violento com os meus semelhantes, mas, eles não podem agir assim comigo”. Esse é o pensamento geral.
Furamos as filas, invadimos os sinais, portamos armas, roubamos, matamos, praticamos pedofilia e turismo sexual, espancamos mulheres e crianças, esbanjamos o dinheiro público, damos jeitinhos para burlar concursos, não respeitamos pedestres, discriminamos as minorias étnicas, os gays, e, principalmente, os pobres. Todos se sentem superiores a todos e acima das leis dos homens e de Deus.
Não vou nem falar aqui das conseqüências de tal comportamento. Afinal,Deus nos deixou o livre arbítrio para que vivamos de acordo com a nossa consciência. E cada uma é única, individual. Exigimos tudo dos outros, mas não damos nada. Há muita distância entre intenção e gesto.
Mas, um dia, tão certo quanto Deus existe, nesta ou em outra vida, neste ou em outro planeta, nesta ou em outra dimensão, um preço será pago por isso. Todo mal e sofrimento que impomos aos nossos semelhantes, nos será cobrado.
Se você não acredita nisso, o problema é seu, não meu.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Piadinhas infames sobre o Bahia de Feira Campeão

Bahia: Nasceu para vencer!
Vitória: Nasceu para ser vice!



Todo mundo tenta, mas só o Bahia é Penta!



Torcedores do Bahia de Salvador e do Fluminense de Feira queriam comemorar o título do Tremendão como se fosse deles; Foram barrados no baile. Ou melhor, na churrascaria.



Bahia 1 X 0 Vitória. Colo Colo 4 X Vitória 2. Bahia de Feira 2 X Vitória 1. E os torcedores do Vitória ainda acham que o Barradão é “Casa” deles.


O zagueiro do Bahia de Feira escorregou na lama e deu vantagem ao atacante do Vitória. Mas a mesma lama atrapalhou o seu chute a gol. Jogar dentro de um chiqueiro dá nisso.


O Vitória é um gatinho que quando se olha no espelho vê um leão.





domingo, 15 de maio de 2011

De virada, o Bahia de Feira é o Campeão Baiano de 2011

Dou a mão à palmatória. Mas não dava para acreditar que o Bahia de Feira fosse campeão baiano. Não por falta de técnica e raça da equipe. Mas, de tanto ver trambiques no futebol, eu tinha certeza de que mais uma vez o campeonato seria decidido no apito, contra a equipe considerada menor, no caso, o Bahia de Feira.
Nesse caso, ponto para o árbitro da partida que não se deixou levar por pressões, ameaças e subornos, e levou o jogo com mão firme. Aí, prevaleceu a melhor técnica e a garra dos jovens jogadores do Bahia de Feira que, de virada, levantou um título inédito.
Vale salientar que o Bahia de Feira, adquirido pelo empresário Jodilton Souza e presidido pelo filho do mesmo, Thiago Souza, nessa nova fase da sua existência faz uma carreira meteórica. O clube tem mais de 70 anos, mas apenas três anos iniciou esse trabalho como “clube empresa”
Disputou a segunda divisão e foi campeão. Disputou o seu primeiro campeonato na primeira divisão, e conquistou o título.
Alguém haverá de dizer que é sorte. Mas não é. O nome desse sucesso chama-se competência e planejamento. E o futuro haverá de comprovar isso.

Hino do Bahia de Feira


Lançado o primeiro volume do livro: "Como entender as mulheres".
Muito bem escrito, fruto de muita pesquisa.
UEFS: Posse do reitor e vice

A Universidade Estadual de Feira de Santana convida a comunidade para a posse do reitor e do vice-reitor, respectivamente José Carlos Barreto de Santana e Genival Corrêa de Souza. A solenidade será realizada nesta segunda-feira (16), às 19 horas, no Auditório Central, campus universitário. José Carlos Barreto, reitor reeleito, e Genival Corrêa de Souza, que substitui ao atual vice-reitor Washington Almeida Moura, serão empossados para administrar a UEFS no quadriênio 2011/2015.


O que significa a palavra “Família”?

Se morrêssemos amanhã, a empresa onde trabalhamos nos substituiria rapidamente. Mas a família que deixamos para trás, sentirá a nossa falta para o resto das suas vidas. Pensando nisto o meu amigo Walter Oliveira pesquisou e achou o significado da palavra Família em inglês.
FAMILY = (F)ATHER (A)ND  (M)OTHER   (I)   (L)OVE (Y)OU
Pai e Mãe Eu Amo Vocês.

sexta-feira, 13 de maio de 2011






Tracajá

O Bloco Tracajá vai entregar neste sábado (14) 500 pacotes de fraldas geriátricas ao Lar do Irmão Velho, resultado da troca por camisas na micareta deste ano. A direção do Tracajá (leia-se Reginaldo Pereira) está convidando os tracajanianos para comparecer ao local às 10 horas.

Cidadão feirense

No próximo dia 27 o empresário Sebastião Soares estará recebendo o titulo de cidadão feirense. A solenidade vai ocorrer às 19 horas, na Casa da Cidadania. Homenagem mais do que justa a este cidadão que muito tem contribuído para o desenvolvimento da cidade, gerando emprego e renda para os feirenses, além de ter muitos serviços prestados na área social.

SPC

O mês de abril registrou um menor número de pessoas inclusas no SPC. Foram 11.124 inclusões, o equivalente a 4% em relação ao mesmo período de 2010. O índice de recuperação de crédito teve alta de 14%. O acumulado de registros e recuperações, equivalente ao período de janeiro a abril deste ano é de 13% e 17%, respectivamente.

Desfaçatez

“Na semana passada o presidente da Embasa teve a desfaçatez de dizer que tinha uma ótima notícia para os deputados. A ótima notícia era dizer que tinha derrubado a liminar que impedia o aumento de quase 14% nas contas de água. Um estado onde o governo deu menos de 6% de aumento ao servidor, abaixo da inflação. É um governo que vive tentando engabelar o eleitor e infelizmente consegue engabelar até deputado dessa Casa” – Palavras do deputado Carlos Geilson na Assembléia Legislativa esta semana.

Chuteiras

O senador João Durval declarou esta semana que pretende “pendurar as chuteiras” na política como prefeito de Feira de Santana. Para tanto, ele pretende se candidatar no próximo pleito tendo o seu filho, Luiz Alberto, como candidato a vice na chapa majoritária do seu partido. É lamentável ver um político da envergadura do senador, que tanto já fez por Feira, encerrar a carreira de forma tão melancólica.

Civilidade

Esta semana ouvi Dílson Barbosa falar de um nobre europeu que, ao sair de uma reunião de alta cúpula política, deixou o local pilotando a sua bicicleta. Na Europa, o transito é seguro, os motoristas são responsáveis, as ruas são bem pavimentadas, limpas e sinalizadas e não tem um ladrão em cada esquina. No Brasil, como na maioria dos países latino americanos, os políticos criaram as pocilgas e hoje vivem com medo de caminhar por elas. Por isso se escondem atrás de grandes muralhas e vidros blindados, com medo dos porcos que eles mesmos criaram.

Jornalismo

Assistindo na TV ao jogo entre Bahia de Feira e Vitória, vi de relance, nas arquibancadas do Jóia da Princesa, um torcedor vestindo uma camisa que era metade Bahia de Feira e metade Fluminense. É o amor pela cidade dividindo o coração dos torcedores. Dava uma matéria legal. Mas não vi ninguém entrevistando o cara, nenhuma foto dele estampada em nenhum jornal. E aí me lembrei do repórter que foi cobrir uma exposição de flores, mas voltou sem nada, porque no caminho uma ponte caiu, vários carros foram parar dentro do rio, muita gente morreu, e ele não pode passar para cobrir o evento para o qual estava pautado.

Lembrando Taiguara

A falta de criatividade na MPB tem levando os diretores de filmes e novelas buscarem no passado trilhas sonoras para suas obras. Aliás, se tem recorrido muito a músicas estrangeiras, até mesmo em comerciais. Mas, aqui e ali a gente ainda garimpa uma jóia rara, como estes versos de Taiguara em “Piano e Viola”: “...quem canta, fala consigo, quem faz o amor nunca quer ferir, quem não fere vive tranqüilo, vê muita gente sorrir. E quem não tiver do seu lado quem ama e quer ver feliz, não diga que não se importa, diga só o que o amor lhe diz. Essa mentira é uma espuma que se desmancha no ar, deixa na água um espelho pra você se ver chorar. Sorriso bom só de dentro, ninguém é bom sendo o que não é. Eu, pra ser feliz com mentiras, melhor que eu chore com fé”. Perfeito!

Quem não procura, acha

É curioso. Quando procuramos algo intensamente, não encontramos, ou então encontramos algo que não estávamos procurando. Quando desistimos de procurar, encontramos o que estávamos procurando. E estava bem ali, ao nosso lado, diante dos nossos olhos, a um abraço de distância.

Replay Futebol I

Como todo feirense eu também estou contente pelo Bahia de Feira ter chegado aonde chegou. Mas não acredito que venha a ser campeão baiano. Não por falta de técnica e raça, mas porque não acredito nos dirigentes de futebol de um modo geral. A arbitragem vai arranjar um jeito desonesto para o Vitória ser campeão. Já começou no jogo passado.

Replay Futebol II

Repito: Se os dirigentes de clubes baianos de futebol tivessem vergonha na cara há muito tempo teriam se unido e pedido licença da Primeira Divisão, passando a disputar a Segunda Divisão, deixando Bahia e Vitória jogar BA X VI toda semana.

Pára choque de caminhão

“Depois que colocaram álcool na gasolina... hic... o carro está soluçando”. (coletado pela professora Lélia Vitor)


Philosopher

“Maldade: É quando arrancamos as asas do anjo que deveríamos ser”. (Luiz Gonzaga Pinheiro in, “O Homem que Veio da Sombra”)

PhilosopherI

Amor verdadeiro é aquele que resiste as ações dos maldosos, invejosos e egoístas. (Maura Sérgia)


*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*


Por hoje é só que agora eu vou ali tomar um chá de “Mesquece”