terça-feira, 22 de junho de 2010

Quem tem medo do “Toque de Acolher”


Em todas as pesquisas e enquetes feitas por veículos de comunicação ou instituições interessadas no assunto, o “Sim” dá de goleada no “Não” em favor da implantação em Feira de Santana do “Toque de Acolher”, medida que foi adotada com sucesso no vizinho município de Santo Estevão e tem sido exemplo para outros municípios, inclusive de outros estados. Curiosamente, apenas as autoridades feirenses, relacionadas à infância e à juventude, têm se posicionado contra a medida, usando os argumentos mais estapafúrdios, deixando em segundo plano o desejo dos mais interessados, que são os pais dos menores.
Não dá pra entender. Em todos os municípios que adotaram a medida, o índice de criminalidade foi reduzido drasticamente. As autoridades feirenses, insensíveis ao apelo popular, focados apenas no que determinam as leis relativas aos menores (a maioria delas equivocadas), mostram-se incapazes de usar o bom senso, até mesmo para modificar tais leis, em benefício do bem comum.
Quem criou as leis de proteção à infância e à juventude estava muito bem intencionado. Afinal, as crianças pobres estavam sendo exploradas pelo mercado de trabalho escravo e de turismo sexual. Mas daí a entender-se que criança não deve trabalhar em qualquer situação, há um enorme equivoco. E dou aqui meu testemunho: comecei a trabalhar aos 13 anos de idade, e não carrego comigo qualquer trauma por isso. Pelo contrário, foram momentos felizes da minha vida, em que comecei a me sentir útil e responsável. Estudava pela manhã e trabalhava pela tarde. Que mais eu poderia querer?
Há leis também impedindo que os pais castiguem seus filhos quando incorrem em erros e desobediência. Há casos e casos. A sabedoria popular reza que “pé de galinha não mata pinto”. Um castigo, uma palmatória bem aplicada, ou uma básica palmadinha terapêutica, não faz mal ao moleque. Mas, daí ao espancamento, tortura física e moral, há uma grande distância. Eu nunca apanhei de verdade, mas levei muitos castigos, palmatórias e palmadas, e se querem saber, foram muito bem aplicados. Eu era o capeta em forma de guri. Se não tivessem botado um freio, eu não sei o que seria de mim hoje.
Longe de mim querer discutir direito com advogados, juízes, promotores e outras autoridades do poder judiciário. Não teria competência para tal. Mas uso o meu direito de cidadão, a minha responsabilidade de pai de família, e a minha responsabilidade de jornalista, para sugerir a abertura de um debate com a sociedade. Um plebiscito seria muito bem vindo.
Eu já faço uma idéia sobre porque tantos são contrários ao “Toque de Acolher”, mas não quero e expô-la. Ainda.

Karatê feirense terá representantes no Campeonato nacional











Sete atletas, dois de Feira de Santana e cinco de São Gonçalo dos Campos, participarão, de 1º a 04 de julho, no Ginásio de esportes Rio Vermelho, em Goiânia, capital do estado de Goiás, do Campeonato Brasileiro de Karatê Interestilos. Todos pertencem á academia Budokan, sediada em Feira de Santana.

Além do professor Jotaécio Gomes, faixa preta do 3º Dan, seis alunos, dois faixas pretas, três faixas marrons e um faixa verde, compõem a delegação que embarca na madrugada do dia 1º de julho, no aeroporto de Salvador, com destino a Goiãnia. O mais novo tem 10 anos e o mais velho tem 43.

A abertura do evento, com apresentação das delegações e manifestações culturais, será na parte da tarde do dia 1º. Na manhã do dia 02 têm início as competições de Kumitê (luta) e Kata (demonstração), individual e por equipe, envolvendo os três estilos predominantes da Confederação de Karatê Interestilos do Brasil (CKIB).
Além da disputa individual, a delegação da academia Budokan também disputara da competição de Kata com uma equipe composta por um faixa preta e dois marrons, da faixa etária de 10 a 14 anos.

Compõem a delegação o professor Jotaécio, e os alunos Jubiracy, Leno, Adriele, Everton, Lucas e Vitor.

sábado, 19 de junho de 2010




Cidadania negada
O cara sempre se impôs pela arrogância, truculência e vaidade, e ainda assim achou que a sociedade lhe prestaria uma homenagem. E quase recebe, porque na Câmara Municipal a outorga de honrarias é apenas uma troca de favores. Mas, havia lá algumas pessoas que não engoliam a situação, e, através de algumas manobras conseguiram derrubar o projeto, negando a homenagem ao sacripanta. O homem virou bicho e descarregou sua raiva e frustração no vereador Roberto Tourinho, seu desafeto político. Na sua cegueira, não percebeu que pseudos aliados também contribuiriam para o seu constrangimento. Azar dele.

Pagando mico
No Brasil todo a situação é a mesma. A população paga caro por serviços ruins e sem garantia. E querem saber? Não são só as telefônicas não. Aqui em Feira, notadamente, pagamos caro por uma gasolina de péssima qualidade, pagamos caro por um sistema de transporte péssimo, pagamos caro por tudo, inclusive por não sabermos eleger e cobrar dos nossos representantes no poder.

Conselho
O prefeito Tarcízio Pimenta deve ser partidário daqueles que entendem que “se conselho fosse bom, ninguém dava, vendia”. Talvez por isso passou por cima do Conselho de Transportes e decretou ele mesmo o aumento das tarifas dos transportes coletivos, inclusive sob os protestos da população. Se os membros do Conselho, que é apenas consultivo e não deliberativo, tivessem vergonha na cara, renunciavam. Mas, que nada. O cargo não rende nada, mas dá status, o alimento da vaidade humana. Vale salientar que o prefeito decretou aumento das passagens dos transportes coletivos às vésperas do São João. 60 dias após ter adiado o reajuste atendendo a classe estudantil, que nesse prazo deveria apresentar uma proposta alternativa. Findo o prazo e sem nenhuma proposta apresentada tai o presente que deveria ter sido dado às vésperas da Micareta.

Golaço
Grande sacada do governo municipal em colocar aquele telão em frente à Prefeitura para que o povo possa assistir aos jogos da Copa do Mundo, sem perder muito tempo. Também foi muito bom denominar o espaço de “Edinho Jacaré”, homenageando, em vida, um dos nossos desportistas de renome. Contudo, creio que Edinho merece mais que seu nome num espaço transitório.

Os horrores das drogas

O fato já é tão corriqueiro que tende a cair na banalidade e, assim sendo, ninguém mais vai se indignar, se sensibilizar, diante dos horrores que o consumo de drogas, notadamente o crack, produzem. Pais desesperados pedem socorro para os seus filhos viciados. Jovens viciados pedem ajuda para conseguirem se livrar dos vícios. A maioria não consegue e sucumbe vítima dos traficantes e até mesmo da polícia. “Mas, as pessoas na sala de jantar, estão ocupadas em nascer e morrer”. Fazer o que?

Epidemia de dengue

Em que pese os esforços das autoridades de saúde em esclarecer a população sobre os riscos da dengue, a doença está em alta escalada na cidade. E como ela é “democrática”, não escolhe entre brancos e pretos, ricos e pobres, crentes ou ateus. Somente numa rua de um bairro próximo ao centro da cidade, ocorreram mais de 40 casos em um curto período de tempo. Por falar nisso, por onde andam os carros fumacê?

Geddel e César Borges

“Hoje pra mim é um dia especial porque pela primeira vez eu sentei ao lado do futuro governador e de um senador na ativa e não precisei de intercessor, não precisei de pessoas para me levar a esses grandes homens”, declarou o líder da bancada governista municipal, vereador Ewerton Carneiro (Tom), esta semana na Câmara Municipal, referindo-se ao encontro que teve com o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o senador César Borges. Se apertou a mão não vai lavar tão cedo.

Passagem

Estudantes matriculados em cursos técnicos, reconhecidos pelo Ministério da Educação, poderão ter o benefício da meia-passagem no transporte urbano em Feira de Santana, à semelhança do que já ocorre com os outros estudantes, do ensino fundamental, médio e superior, que contam com desconto de 50% no valor da tarifa. É o que determina projeto de lei de autoria do vereador Marialvo Barreto, aprovado em primeira votação na sessão de terça-feira passada (15) da Câmara Municipal. Esperava-se a aprovação em segunda e ultima discussão na sessão de quarta-feira (16), no entanto, a apresentação de uma emenda acabou provocando o adiamento da discussão. A emenda foi apresentada pelo vereador Ewerton Carneiro. Ele propõe que a medida entre em vigor em um prazo de 180 dias após a publicação da lei, pelo Poder Executivo.

“Toque de Acolher”

O projeto de lei que dispõe sobre o “Toque de Acolher”, uma das mais polêmicas proposições em tramitação este semestre na Câmara Municipal, teve sua votação mais uma vez adiada. O pedido de adiamento, por uma sessão, foi feito pelo vereador Roque Pereira e aprovado por unanimidade.

Terra de Ninguém I

O jornalista Alex Ferraz escreveu em sua coluna Tempo Presente, da Tribuna da Bahia, que “ao que tudo indica, esses grupos estrangeiros que vêm invadindo a economia baiana acreditam que esta é uma terra de selvagens, de gente de terceira categoria”. Contou episódios que ocorreram com ele em uma empresa que antes tinha um serviço impecável e depois de vendida para um grupo estrangeiro passou a maltratar a clientela. Segundo ele, esses estrangeiros chegam aqui e a primeira coisa que fazem é acabar com a qualidade e o charme de atendimento que tínhamos nas empresas compradas por eles. “Duvido que tenham a coragem de fazer isso em São Paulo. Mas como, aqui, em termos de consumidor, somos mesmo uma terra de ninguém, deitam e rolam. Minha dica para os baianos maltratados: deixem imediatamente de comprar nesses locais cujo atendimento só faz piorar. Procurem alternativas, até que eles se manquem, ou não. E creiam: essas alternativas existem”.

Terra de Ninguém II

Meu caro Alex. Concordo com você. Aqui na nossa terrinha também tem disso. Eu procuro fazer a minha a parte. Não costumo comprar nestas tais empresas. Procuro valorizar as pequenas empresas do meu bairro porque, alem de estar ajudando os meus conterrâneos, sou muito bem tratado.

São João

Alguém ai sabe quais são as atrações do São João de São José? O site da Prefeitura Municipal não deu uma linha até agora falando da grade. Enquanto isso, municípios vizinhos estão divulgando suas festas há mais de um mês. Alguns começaram a divulgar o São João na Micareta de Feira. No site São João da Bahia se pode ver programação de vários municípios, Feira de Santana ta lá com a programação do “Arraiá da Cidade” que já terminou.

*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_
Por hoje é só que agora eu vou ali dançar um forró na roça. Lá em Retirolandia.

Violência X Estatuto da Criança e do Adolescente



Após a notícia de adolescentes mortos em decorrência das drogas, o pai de uma das vítimas deu um depoimento triste, de quem sabia que o fim de seu filho não seria diferente, pois era viciado em drogas. Confessou que dava dinheiro ao filho para que ele não “pegasse” nada de ninguém para sustentar o vício. Mas, o que mais me comoveu e me revoltou foi quando ele confessou ter procurado ajuda junto aos órgãos públicos e não conseguiu apoio algum. “Procurei juiz, delegacia, secretaria de saúde e muitos políticos, mas, ninguém me ajudou a salvar meu filho”.

Em seguida um outro pai entrou no ar e deu um depoimento idêntico. Tem um filho adolescente viciado e não encontra ajuda para tirá-lo do vício. Esse pai se disse revoltado com o Estatuto da Criança e do Adolescente que proíbe os pais de colocarem os filhos menores para trabalhar e até de dar-lhe um corretivo para fazê-lo obedecer. “O que eu faço? Não posso botar ele pra trabalhar nem dar-lhe um corretivo porque posso ser preso. Não posso vigiá-lo dia e noite porque tenho que trabalhar para não morrermos de fome”.

Eu concordo com esse pai com relação a essas leis que não protegem os jovens coisa alguma. Ao contrário, induz as crianças ao erro uma vez que elas não podem ser castigadas. Vejo crianças e adolescentes noite adentro nas ruas, nos bares, pedindo dinheiro ou vendendo qualquer coisa e o Conselho Tutelar, o Juizado de Menor, o que fazem? Fecham os olhos pra tudo isso, enquanto nossos jovens são mortos na calada da noite por traficantes, bandidos ou até mesmo pela polícia.

Concordo plenamente com o major Jader Martins, que em entrevista neste mesmo programa de rádio (Ronda Policial da Rádio Subaé) que noticiava as mortes dos jovens, disse que o problema é de todos nós. Disse também que os pais têm o poder pátrio, que podem sim exemplificar seus filhos para educá-los. O que não podem é espancar. Tenho um filho adolescente e procuro orientá-lo, converso, dou conselho, mas, se preciso, uso os métodos antigos. Castigo quando necessário e premio quando merecido.

Fico a me perguntar qual a razão das autoridades judiciais não concordarem com o Toque de Acolher que está dando certo em tantos municípios. Argumentam que é inconstitucional. Mas, é constitucional deixar crianças e adolescentes nas ruas em altas madrugadas? As estatísticas da policia mostram que estes jovens são mortos sempre após a meia noite. E que a grande maioria estava envolvida no mundo das drogas.

Não adianta dizermos que o problema não é nosso. Que quem tem que resolver é o Governo, A, B ou C. Uma hora poderemos ser vitimas. Não adianta ficarmos nos escondendo atrás de grades e cercas elétricas. Temos que agir. Então vamos colaborar, vamos denunciar o que vemos de errado, de suspeito, vamos orientar nossos filhos e, principalmente, vamos amá-los. Vamos amar nosso próximo, dar a mão aquele que precisa e rezar muito. Porque chegamos a um ponto que só muita oração, muita fé em Deus para sobreviver nesse mundo cão onde o ter supera o ser.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Os “Batateiros”


O termo é antigo, mas “bataeiros” era como eram chamados os sujeitos que, sem ter erudição para tal, tentavam utilizar linguagem rebuscada e palavras elegantes na sua oratória, visando impressionar seus interlocutores. Contudo, em geral, se davam mal, pois acabavam por soltar o que atualmente conhecemos como “cargas d’água”, ou sejam, idiotices. Por exemplo: Numa reunião de figuras proeminentes da sociedade, alguém comentou que o nível cultural, moral e ético dos politicos eleitos havia baixado. Presidente de importante instituição, do auto da sua pseudo sapiencia, declarou: É, meu caro. Isso acontece porque as pessoas de bem se “abstratam” de participar do processo político. Ele queria dizer, se “abstêm”.

Batateiros eram tolerados e viravam motivo de chacota entre a população, mas, no meio da imprensa, ninguém, em sã consciencia, admitiria um batateiro usando um microfone ou uma pena. Jornalistas e radialistas tinham a obrigação de escrever e falar bem, e, mais ainda, de ter responsalidade com as informações que passavam para a população, sob pena de perder a credibilidade junto aos leitores e ouvintes.

Mas, hoje em dia, o capitalismo selvagem praticado por jornais, emissoras de rádio e televisão, faz com que pessoas totalmente despreparadas, ou simplesmente mal intencionadas, disparem suas cargas d’água, com pose professoral. E o pior é que não aparece ninguém para corrigi-los ou desmenti-los, porque ninguém quer criar atrito com eles, ou simplesmente porque também não têm conhecimento para tal.

E é assim que ouvimos, diariamente, verdadeiros atentados contra a língua portuguesa. Eu não me conformo em ouvir o apresentador do jornal “Bom dia Brasil”, da TV Globo, despedir-se dizendo: “Voltamos amanhã”. Dá vontade de dizer: “Mas nós, não voltaremos”.

Outro dia ouvi um radialista desses que não têm o mínimo preparo para empunhar um microfone, referindo-se a um cidadão que havia ficado em estado de choque, dizer: “O cidadão ficou antâno”. Ele queria dizer atônito. O mesmo radialista, em outra oportunidade, disse que os bandidos causaram pavorosa. Ele queria dizer polvorosa. E por aí vai.

Mas, pior ainda, é a informação mal passada ou deformada. Depois de ouvir um apresentador, com nível superior, afirmar que relações sexuais consanguíneas (incesto) não causam problemas, que é invenção da igreja para justificar o pecado, eu fiquei pasmo. Mas essa semana eu ouvi um outro afirmar que “essa estória de se achar um objeto ou restos mortais muito antigos, e determinar a idade, é mentira”. Segundo ele, os cientistas “chutam” a idade e todo mundo acredita.

Alguém deveria apresentar o Carbono 14 pra ele. Indicar bons livros também seria uma boa forma de ajudar o rapaz.

Mas, deixa pra lá. No fim o impagável personagem de Waldir Moreira, o “Véio Zé”, penhoradamente agradece aos nossos “Batateiros”.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Festa e emoção nos 20 anos do Hiper Lojão Kamys


Antes das 08 horas desta quinta-feira (17) o povo já se aglomerava nas portas do Hiper Lojão Kamy’s para participar da festa de aniversário de 20 anos da empresa. Lá dentro artistas, profissionais da imprensa, convidados e familiares do empresário Nelson Roberto (Rei Nelsinho) iniciavam uma contagem regressiva para abrir as portas da loja.
Por volta de 09 horas o Rei Nelsinho e o cantor Paulo Bindá fizeram a contagem final de 10 a zero e as portas foram abertas ao som do “Tema da Vitória” da Fórmula 1. O povo invadiu as dependências da loja, não apenas para aproveitar das ofertas de aniversário, mas também para participar da festa. O Pastor Jonas fez uma mensagem cristã e depois o Rei Nelsinho falou da sua felicidade.
Emocionado, ele se lembrou da infância dura no sertão da Paraíba, a chegada a Feira de Santana e da luta para se firmar, primeiro como camelô e, depois, como lojista. Ele fez questão de ressaltar o apoio da sua família, principalmente da esposa Marilene. Além disso, ele lembrou um compromisso que, segundo ele, firmou com Deus, de que se alcançasse a graça pedida, sempre teria uma parte para os mais carentes, compromisso esse, que dentro do possível, ele afirma estar cumprindo.
Recentemente ele reuniu a Imprensa para informar da sua decisão de ser pré candidato a deputado estadual. “Como empresário já cheguei ao meu limite. Como deputado espero poder servir melhor ao povo de Feira de Santana e da região”, declarou.

sexta-feira, 11 de junho de 2010






Rei Nelsinho deputado
O empresário Nelson Roberto, o Rei Nelsinho da Kamy’s, anunciou nesta sexta-feira (11) que é pre-candidato a deputado estadual pelo DEM. A declaração foi dada a jornalistas em encontro nesta manhã.





Tracajantar

Acontece neste sábado (12), a partir das 20 horas, no Resenharia Cerveja &Prosa o Tracajantar dos Namorados, Ficantes, Prestadores de Serviços e Afins. A festa será animada pelos músicos Mairi Monte Alegre e Cessé Amorim.
É mais uma promoção das Organizações Tracajá, numa clara certeza de que “os brutos também amam”, numa alusão direta aos organizadores da festa, já que a casa é especializada em transmissão de futebol, um esporte direcionado a pegada forte. Informações no Resenharia Cerveja &Prosa ou pelo Telefone 9122 8051. Esta é realmente uma grande pedida. Por tanto, pegue seu par e vá curtir uma ótima noite.

Era só o que faltava
As companhias aéreas britânicas reivindicam uma indenização milionária do Ministério de Transportes do Reino Unido pelo fechamento do espaço aéreo por causa da nuvem vulcânica procedente da Islândia.

Devolva-me

“...o retrato que te dei/se ainda tens não sei/mas, se tiver, devolva-me”. Assim como na canção popular, o vereador Roque Pereira devolveu ao radialista Paulão o troféu com que o mesmo o havia homenageado.

“Arrupio”
O vereador Zé Curuca declarou que ficou todo “arrupiado” com o elogio que lhe fez uma radialista, deixando assim, arrepiado em seu túmulo, o crítico literário, lexicógrafo, filólogo, professor, tradutor e ensaísta brasileiro, Aurélio Buarque de Holanda. Pra quem não conhece, o autor do Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, o conhecido “Pai dos Burros”.

Morte
Diante da suposta ameaça de morte que o radialista Valter Vieira estaria sofrendo por parte do prefeito do município de Serra Preta, teve vereador na Câmara se posicionando a favor do prefeito. É o mesmo vereador que já recomendou a um colega dar um “corretivo” num jornalista. O homem é mesmo “de morte”.

Pergunta
Enquanto os vereadores vão agindo ao arrepio das leis e da língua portuguesa, nas ruas a população se pergunta pelo projeto de implantação do “Toque de Acolher”. Já que há gente contra o projeto, porque os vereadores não propõem a realização de um plebiscito para ouvir a opinião do povo?

Ai meu nariz

Noticiou-se esta semana que o procurador Geral do Município, Carlos Lucena, teria dito que não voltaria para a sede da Procuradoria, localizada à rua Libânio de Moraes, caso a Prefeitura não retirasse dali a feira-livre localizada em frente ao prédio. Mas ninguém citou o motivo. Não se sabe se ele não gosta do cheiro dos feirantes ou do cheiro que emana do local após a realização da Feira.

É difícil

O secretário de agricultura, Ozeny Moraes, me revelou que os seus projetos para tornarem o parque de exposições João Martins da Silva multifuncional, sendo utilizado o ano inteiro, esbarraram na falta de dinheiro. Mas a revelação que me surpreendeu foi a de que as associações de criadores recusaram os espaços que lhes foram oferecidos no parque para que montassem suas sedes. Entendo que seria uma “mão na roda” para as associações que, além de não ter custo com aluguel de salas, juntas poderiam realizar alguns eventos rentáveis no parque, como, por exemplo, leilões. Não entendi a recusa.

Equívoco I
Ouvi a diretora da Casa do Trabalhador dizer que existem vagas, mas que as pessoas não as querem ocupar por preconceito. Por exemplo: Ninguém quer ser costureira ou pedreiro, por sentir vergonha destas profissões. É verdade que existe o preconceito, mas é um equívoco pensar que é só isso. As empresas estão oferecendo vagas para mão de obra qualificada, mas ela não existe em Feira de Santana. Tem que trazer profissionais de fora. E o que é pior. Muita gente não quer trabalhar com carteira assinada para não perder o benefício do programa Bolsa Família. Podem perguntar aos dirigentes dos órgãos classistas.

Equívoco II
Ouvi um colega dizer no seu programa de rádio que a Copa do Mundo “é o maior evento esportivo do planeta”. É um equívoco. A Copa do Mundo não passa de um torneio de Futebol. O maior evento esportivo do planeta são as Olimpíadas, que reúne dezenas de competições das mais diversas modalidades esportivas, inclusive o futebol.

Palpite
Por falar em futebol fica aqui o meu palpite para as finais da Copa do Mundo: Vai dar África do Sul, Inglaterra, Portugal ou Espanha na Cabeça. Eu até cheguei a pensar em Argentina ou Itália, mas depois percebi outros fatores que me levaram a estes quatro países. Me cobrem depois.


*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_
Por hoje é só que agora eu vou ali der um corretivo em um vereador (na linguagem dele).

Celebridade



Há alguns dias gravei uma curta mensagem, coisa de poucos segundos, para a TV Subaé que fazia aniversário. Foi o suficiente para me tornar uma “celebridade”. As pessoas passaram a me olhar nas ruas e até a me cumprimentar. Algumas, mais afoitas, até me chamam de “amigo” e procuram demonstrar alguma intimidade. Lembrei de famoso jornalista, que foi abordado por um indivíduo na rua que o cumprimentou dizendo: “Olá amigo, que há de novo”? A resposta veio imediata: “Por enquanto só a nossa amizade”.

Eu não sou tão mal humorado e indelicado assim, mas é realmente esquisito como as pessoas forçam a barra para se aproximar de quem tem fama. Foi uma das razões que me levou a abdicar de ser cantor profissional. Convites não faltaram, e até hoje um ou outro ainda me aborda indagando por que não canto profissionalmente.

Acontece que eu canto por prazer. Canto quando quero, e não por obrigação. Quando eu vejo um jovem buscando desesperadamente a fama, às vezes, sinto pena. Sim. Porque a maioria não busca uma profissão por prazer, mas por dinheiro. Não avaliam que, uma vez alcançado o sucesso, pode perder tudo que mais preza. Os amigos, a individualidade, a privacidade, a liberdade. Sobre isso John Lennon disse uma vez: “Eu estava num trem em alta velocidade, mas sem poder descer. Queria, mas não podia. Embriagado em ouvir as pessoas à minha volta dizendo o quanto eu era grande, grudadas em mim, tentando tirar algum proveito da minha fama”.

Às vezes, sinto dificuldade em escrever este simples editorial. Eu tenho consciência de que sou bom no que faço, mas é que, às vezes, eu não quero fazer. Como diria Chico Buarque, chega a Roda Viva e carrega a minha vontade pra lá. Eu não sou dono da minha vontade, sou escravo do meu trabalho.

Eu fico imaginando uma adolescente vendo a novela na TV e pensando que daria tudo para estar no lugar daquela atriz famosa. Coitada. Se ela soubesse o trabalhão que dá gravar uma simples cena. Quantas vezes teria que repetir apenas porque o diretor quis, e sem maiores explicações. O pouco tempo que ela teria para fazer as coisas que gosta. Certamente pensaria duas vezes.

O jornalismo me rende o suficiente para sobreviver, levar uma vida digna e decente. Às vezes apertada, mas feliz. Acreditem, às vezes me divirto com os meus próprios apuros, e me divirto mais ainda quando me safo e me ponho a pensar neles.
É isso aí rapaziada. Eu bem que poderia estar agora num palco, fazendo uma coisa que gosto, e com uma gorda conta bancária. Mas, vejam. Eu prefiro estar aqui, escrevendo. E quando quero aplacar a chama na garganta, peço a ajuda de um amigo que saiba tocar um instrumento, ou corro para o Karaokê mais próximo. Assim, sou feliz. Pensem nisso!

Horário especial para comércio


O comércio de Feira de Santana está funcionando em horário especial desde domingo (6), em virtude das comemorações dos festejos juninos. Decreto nesse sentido foi publicado na sexta-feira (4). Desde segunda-feira passada (7) até esta sexta-feira (11) as lojas do comércio vão funcionar até às 19 horas. No sábado (12), funciona até às 16 horas, e no domingo (13), o comércio funciona das 9 às 15 horas.

Na segunda-feira (14), as lojas voltam a abrir até as 19 horas, enquanto no dia 15 abre até às 15 horas (por causa do primeiro jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo). As lojas voltam a abrir até às 19 horas entre os dias 16 e 18 de junho. No sábado (19), o funcionamento é até às 16 horas, e no domingo (20), o comércio funciona das 9 às 15. No dia 23, as lojas abrem até às 17 horas, fecha no dia 24, e volta a abrir dia 25, das 8 às 10h30; e das 13h30 às 18 horas.

A extensão do horário do funcionamento do comércio de Feira de Santana foi autorizado pela Prefeitura de Feira de Santana, mediante solicitação conjunta do Sindicato do Comércio e Sindicato dos Empregados do Comércio.

Aposenta-se o “Torcedor Símbolo” do Flamengo em Feira de Santana



Em Feira de Santana ele está para o Flamengo como “Marcelo Dinamite” está para o Vasco. Foram vizinhos e eternos rivais. Carlos Freire, ou “Carlinhos Ceguinho”, como é chamado pelos amigos, é sem dúvida o “Torcedor Símbolo” do Flamengo, como Marcelo, proprietário do bar “Roberto Dinamite”, o é do Vasco. No domingo passado, ao completar 60 anos de idade e 50 como torcedor do Flamengo, ele decretou a sua aposentadoria como torcedor, com um churrasco entre familiares e amigos, na sua residência, no conjunto Milton Gomes.

O pai de Carlinhos, Carlito, não era muito ligado em futebol, mas em 1950 foi ao Maracanã assistir aos jogos da Copa do Mundo. Com a derrota do Brasil na final, ele se decepcionou e nunca mais quis saber de futebol. Mas, ao voltar do Rio de Janeiro, trouxe na bagagem uma camisa do Flamengo para o filho de 10 anos. Ali começava uma eterna paixão flamenguista.

“Eu já ganhei tudo com o Flamengo. Fui campeão carioca dezenas de vezes, hexa campeão Brasileiro, conquistei libertadores, fui campeão mundial de clubes, venci diversos torneios no exterior, e tivemos um dos maiores jogadores brasileiros de todos os tempos, o Zico. Não me falta mais nada. O Flamengo já me deu todas as alegrias que eu queria ter”, diz Carlinhos.

Com a “aposentadoria” como torcedor, ele espera que os amigos não o venham mais importunar com brincadeiras e gozações. “Eu acho que eles vão entender que eu já ganhei tudo, e que agora, se meu time perder, vou encarar com naturalidade. Então, não precisa mais fazer carreata e vir fazer buzinaço na porta da minha casa, até em respeito à minha idade e à minha aposentadoria como torcedor”, diz

Torcida familiar

Além de Carlinhos, toda a sua família, começando pela esposa, Lurdinha, os três filhos e os netos, todos torcem pelo Flamengo. Dois genros: Um é vascaíno e outro é botafoguense. Apenas a nora é flamenguista. Mas nada que impeça a família de se reunir para assistir os jogos do “mengão”.

Lurdinha explica que “os meninos cresceram vendo a casa cheia de amigos torcendo pelo Flamengo, e foram seguindo naturalmente os caminhos dos pais. O filho Marcelo é casado com uma flamenguista e o filho segue a mesma linha. Patrícia, é casada com um botafoguense, mas, segundo ela, “o Botafogo não atrapalha nada”. Carol, a mais nova, é casada com um vascaíno e, segundo ela, “nem tudo é perfeito”.

sábado, 5 de junho de 2010

Onde estão “As Meninas do Jô”? Suspensas pela “democradura”.

O primeiro jornalista a sofrer cerceamento do direito de bem informar, em consequência dos seus verdadeiros, contundentes e procedentes comentários contra os desmandos do atual governo, foi o Boris Casoy. De acordo com o noticiário da época, ele foi demitido a pedido do próprio Lulla. Entretanto, longe dos olhos dos menos atentos, a coisa vem se agravando de maneira avassaladora e perigosa. Senão vejamos:
O Programa do Jô tirou do ar (sem dar qualquer satisfação ao público) o quadro "As Meninas do Jô" que era apresentado às quartas-feiras, em que as jornalistas Lilian Witifibe, Ana Maria Tahan, Cristiana Lobo, Lúcia Hippólito e, por vezes, outras mais, traziam à público e debatiam todas as falcatruas perpetradas por essa corja de corruptos que se apossou do país. As entrevistas sobre temas políticos não têm sido mais levadas a efeito atualmente. Virou um programa de amenidades e sem qualquer brilhantismo.
O jornalista Arnaldo Jabor, considerado desafeto pelo governo atual, vem sofrendo, de forma velada e sistemática, todo tipo retaliação. Já foi processado, condenado, amordaçado e por aí vai. Sua participação diária, às 08:00 na Rádio CBN tem se limitado a assuntos sem a relevância que tinha, haja vista que está impedido de falar sobre assuntos que envolvam a política nacional e o atual governo.
A jornalista Lúcia Hippólito, que tinha uma participação diária, às 07:55 na Rádio CBN, não está mais ocupando o microfone da emissora como fazia e nenhum comunicado foi feito pelo âncora do horário, o jornalista Heródoto Barbeiro. Sorrateiramente, colocaram-na como âncora em outro horário, onde enfoca matérias mais amenas e sem a habitual, verdadeira e procedente contundência.
Diogo Mainard, da Revista Veja, além de processado, vem sofrendo várias ameaças de morte por parte do jornal do MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de Outubro, que faz parte da base aliada ao Lulla) e de integrantes dos chamados “Movimentos Sociais”.
O jornal “Estadão” de São Paulo está sob forte censura governamental desde março passado.
Pelo que se vê, Fidel Castro está fazendo escola na América do Sul. O primeiro a colocar em prática estes ensinamentos, aniquilando o direito de imprensa, foi Hugo Chavez, e pelo andar da carruagem o nosso PresiMENTE está trilhando pelo mesmo caminho.
* Aonde está o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO?
* Aonde está o LIVRE DIREITO DE MANIFESTAÇÃO?
* Aonde está a LIBERDADE DE EXPRESSÃO?
* Aonde está a LIBERDADE DE UMA NAÇÃO?
E-mail recebido pelo Blog. Desconheço o autor do texto.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

É neste sábado o grande Forró do Amendoim

Passe sebo de carneiro nas canelas, escolha seu par e corra para o Roque’s Buffet, neste sábado (5), a partir das 22 horas, onde ao som da sanfona, da zabumba e do triângulo do grupo Kixote é Esse e Quincas dos 8 Baixos, você vai arrastar o pé até o dia raiar. É o grande Forró do Amendoim, promovido pelo Sindicato dos Radialistas de Feira de Santana (Sitrert), onde também se apresentará a quadrilha Princesa do Sertão, comandada por Vilma Soares.
O presidente do Sitrert, Valter Vieira, afirmou que das 800 camisas confeccionadas, restam somente um lote de 50 e das mesas colocadas a disposições, apenas cinco. Por tanto, quem pretende participar deve se apressar e ligar para (75) 3221.5400 ou ir até a sede do sindicato no Edifício Anna Muller, sétimo andar, para adquirir camisas, ao preço simbólico de R$ 15,00 ou mesas, R$ 80,00 com direito a quatro camisas.
O Forró do Amendoim foi idealizado pela atual diretoria do Sindicato dos Radialistas, com intuito de promover a confraternização da categoria e seus familiares, com a imprensa de um modo geral.
A homenagem especial deste ano vai para a equipe de esportes da Rádio Sociedade de Feira de Santana, a 970, que estará transmitindo mais uma copa do mundo. Sob o comando do decano do rádio, o também advogado Dílson Barbosa, a 970 está fazendo sua oitava transmissão de copa do mundo e receberá o Troféu Amendoim.



Zona Azul
Quem paga Zona Azul tem direito à segurança do carro. 'Optando o Poder Público pela cobrança de remuneração de estacionamentos em vias públicas de uso comum do povo, tem o dever de vigiá-los, com responsabilidade pelos danos ali ocorridos'. Assim, a empresa que administra a Zona Azul de São Carlos (SP), foi condenada a pagar indenização no valor de R$ 18,5 mil ao motorista Irineu Camargo de Souza de Itirapina/SP, que teve o carro furtado quando ocupava uma das vagas do sistema de Zona Azul, serviço explorado pela empresa. A decisão é da 1ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmando sentença da comarca de Itirapina. Agora já existe jurisprudência firmada!
Fonte: Revista Consultor Jurídico.

Radiologista

A Câmara aprovou e segue agora para o Senado, projeto que cria o dia do médico radiologista, a ser comemorado em 8 de novembro. Foi sugerido pelo ex-deputado Eleuses Paiva. O relator na CCJ, deputado Colbert Martins (PMDB-BA), recomendou a aprovação da proposta. Mais uma data para fazermos festa na Granja do Torto, com Dr. Cezar ‘Ção’.

É minha...

Durante a entrevista coletiva da seleção brasileira, na quinta-feira (03), em Johanesburgo, Dunga rebateu as críticas da imprensa feitas após a vitória por 3 a 0 sobre Zimbábue em amistoso. “...Se vocês observarem a nossa seleção... ou a minha, não é? Porque a seleção é minha, não é de vocês”, disse o técnico da seleção em resposta às críticas recebidas recentemente por parte da imprensa. Ora essa! Ele queria que fosse de quem? Minha eu sei que não é.

Policiais
Em conversa com membros da Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMAM) confirmei o que eu já sabia. As blitze contra poluição sonora deixaram de ser efetuadas em conjunto com a Polícia Militar porque a maioria dos poluidores sonoros são policiais à paisana. E quando são abordados, os colegas pedem para que o pessoal da SMT e SEMMAN relaxe o flagrante, a multa, a apreensão do veículo e do equipamento, como manda a Lei.

Segurança
Uma ironia feita pelo deputado Fernando Torres não está longe da realidade. Ele disse que vai chegar o momento em que se votará um projeto que obriga os cidadãos a permanecerem em prisão domiciliar para que não sejam vítimas dos bandidos, que estão soltos e armados. Já houve caso de delegado acusando gerente de banco de não ter facilitado as coisas para os assaltantes. Segundo o tal delegado, isso irrita os bandidos que podem cometer algum ato violento contra clientes e funcionários dos bancos. Só faltou dizer: deixe o cofre aberto e oriente o bandido sobre como chegar até ele. Brasil, sil, sil, sil...”

Câmara
Está difícil de conter a violência na Câmara Municipal. Um vereador já recomendou a um colega, no plenário, que mandasse dar um “corretivo” num jornalista. Outro vereador foi acusado de ter mandado dar um “corretivo” num sindicalista. Agora surge a denúncia de que tem vereador portando arma de fogo no plenário da Casa da Cidadania. Eu, hem!

Vota Brasil I

Antigamente mulher não votava. Reivindicaram o direito e prontamente foram atendidas, até porque o contingente de votantes estava diminuindo. Analfabeto também não votava, mas os políticos abocanham mais esta fatia da população para aumentar o contingente de votantes, que continuava baixo, e também porque os pobres e analfabetos, são fáceis de manobrar. Por último, concederam direito de votar a adolescentes, também fáceis de manobrar. Mas o pior é que o voto é obrigatório. Se fosse facultativo ninguém iria às urnas, que o brasileiro não é besta de perder um feriadão destes paparicando políticos.

Vota Brasil II
A respeito da obrigatoriedade do voto, vejam o diz Alex Ferraz, editor e colunista do jornal Tribuna da Bahia: “Ao contrário do que alardeiam políticos e comentaristas do ramo, o voto obrigatório é essencialemente negação da própria democracia, onde vota quem quer votar. E ponto final”!
Assino em baixo.

Vota Brasil III
Eu sou contra o voto nulo ou branco, porque entendo que, em não votando, deixo de participar do processo de escolha dos governantes e, por isso, perco o direito de opinar, reivindicar e criticar sobre o desempenho deles. Mas, sinceramente, diante dos candidatos que se apresentam, eu me limito a escolher entre os menos ruins. Às vezes dá vontade de não votar em ninguém e exigir que apresentem candidatos melhores.

Cultura I
Não pude comparecer. Sei que perdi um grande espetáculo. Fiquei sabendo que foi um sucesso a apresentação da Orquestra Sanfônica, assim como o Festival de Sanfoneiro. Concordo plenamente com o Dr. César Oliveira, quando diz que ‘Feira precisa orgulhar-se, reconhecer-se, incorporar e recolher os dividendos de sua cultura de sertaneja”. Parabéns a UEFS, parabéns a Selma Soares que faz cultura, preenchendo a lacuna que a Secretaria do Município deixa.

Cultura II
Por falar em Secretaria de Cultura, continuo defendendo seu desmembramento, pois, nos moldes atuais, só faz esporte e lazer priorizando a Micareta e o São João e São Pedro.

Sorte

Por que o Governo não proíbe de uma vez os jogos de azar e deixa só os que dão sorte?

*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*_*
Por hoje é só que agora eu vou ali ver se dou sorte num joguinho de azar (trocadalho do carilho).

As luzes dos sons iluminando a alma




O nome dele é Gilvan Santana e chegou a Feira de Santana em abril passado, durante a Semana Santa, vindo do município de Capim Grosso. Ele é deficiente visual, para usar um termo “politicamente correto”, mas é cego mesmo. Não vê nada, só a escuridão absoluta. Para se locomover ele conta com a ajuda de um cunhado, Marinaldo, em cuja casa, situada no entroncamento de Tanquinho, ele se abriga. Marinaldo o acompanha e protege em todos os lugares.

Ele toca violão, guitarra, teclados e sanfona, mas não consegue sobreviver da sua arte. “Eu tocava nas bandas lá da região de Capim Grosso, mas o dinheiro era muito pouco”, lamenta.

Em Feira de Santana ele teve uma idéia: pegou uma tábua comprida, colocou trastes, como num braço de violão, esticou um arame, como se fosse um berimbau, e colocou uma bacia de alumínio emborcada numa das extremidades, como se fora uma cabaça.

Com o auxílio de um pequeno frasco de vidro e uma baqueta de metal, ele tira sons do rudimentar instrumento, como se fosse de um alaúde, e o resultado sonoro é agradável aos ouvidos dos passantes, que deixam moedas no prato, estrategicamente colocado á sua frente.

Segundo ele, vai voltar para sua terra natal, para “resolver problemas”. Dizem que os olhos são as janelas da alma. Para Gilvan, as luzes da sua alma são os sons que tira dos instrumentos que toca e que despertam e tocam os sentimentos das pessoas.

“Rei Nelsinho” decide até o dia 17 de junho sobre candidatura




“Antes do dia 17 de junho, data em que o Hiper Lojão Kamys completa 20 anos, eu vou reunir a Imprensa para comunicar a minha decisão sobre uma possível candidatura a deputado estadual”. A afirmação foi feita pelo empresário Nelson Roberto, na semana passado, ao jornal NoiteDia.
Segundo ele, se for eleito “pela graça de Deus”, irá trabalhar 20 horas por dia. “Eu já estou acostumado a isso, como empresário, e como político não vai ser diferente”, afirmou.
Ele disse ainda que, como empresário, já chegou no seu limite para ajudar as pessoas. Mas, se caso se candidate e seja eleito, terá uma margem maior e aumentará a ajuda que sempre deu a todos que o procuram.
Segundo ele, numa enquete feita por um blog local, sobre se as pessoas votariam nele para deputado estadual, o resultado apontou 58% sim e 21 %, vou pensar. Ele disse ainda que em outra enquete, feita por um programa de rádio, sem citar nomes, o seu apareceu em primeiro lugar.
“Caso eu não seja candidato, eu vou apoiar alguém. Mas tem que ser alguém que abrace os meus projetos, que não são pessoais, são para servir ao povo da Bahia, principalmente, ao povo de Feira de Santana. Eu tenho muitos projetos”, diz o empresário, acrescentando que deverá apoiar também um candidato a deputado federal.

Meio Ambiente



No dia 25 do mês passado comemorou-se o “Dia da Indústria”. Neste sábado (05), comemora-se o dia do Meio Ambiente. Duas coisas aparentemente antagônicas, mas que só o são por culpa nossa, seres humanos, mal educados, mal orientados, egoístas e gananciosos. Não todos, é claro, mas a grande maioria, e, por isso, o desastre que se aproxima.

Através dos séculos vimos produzindo gente, aumentando a população terrena. E para alimentar tanta gente, é preciso produzir mais alimentos. Também é preciso produzir bens de consumo, para dar mais conforte e lazer às pessoas, porque ninguém é de ferro. É aí que entra a indústria.

Como o planeta não dispõe de um manual de instruções sobre uso e conservação (e se tivesse ninguém se preocuparia em ler), vivemos às cegas, tateando para descobrir as coisas, como são e onde estão. Fazemos experimentos diversos, alguns bem sucedidos, outros nem tanto e muitos desastrosos. Brincamos com coisas perigosas, forças que não entendemos e nem podemos dominar completamente.

Na pressa de chegar primeiro, de conquistar mercados, vamos perdendo coisas pelo caminho. Perdemos, por exemplo, muito do que poderíamos ter aprendido com os indígenas, o povo da Terra que mais convive com a natureza, com ela vive em harmonia, dela tira o seu sustento, dela conhece muitos segredos. Com o extermínio e a aculturação dos indígenas, perdemos muito do que eles poderiam nos ensinar. E agora tateamos no escuro para descobrir.

E nós, seres humanos, produzimos muito lixo. Não só o nosso lixo orgânico, que pode ser facilmente reciclável, pela própria natureza. Mas, lixo sintético, que não se decompõe facilmente e intoxica o planeta. Exploração de petróleo, aquecimento global, mudanças climáticas, derretimento da calota polar, tudo isso traz enchentes, terremotos, maremotos, tsunamis e outras catástrofes naturais que poderiam muito bem ser evitadas, não fosse a nossa ignorância e pressa.

Sabemos como produzir energia limpa, que não empesteia o planeta. Mas a Opep não iria gostar disso. Sabemos como produzir medicamentos naturais e praticar medicina preventiva. Mas os laboratórios não querem. Sabemos com coletar, armazenar e reciclar o nosso lixo, mas nenhum governo está disposto a gastar com isso. Sabemos como educar o povo, mas nenhum governante está disposto a fazer isso. Tecnologia nós temos. O que não temos é vergonha na cara.

Fazer o que? Os países mais ricos são os mais poluentes e não estão dispostos fazer nada a respeito. No nosso país, uma ministra disse que as árvores atrapalham o progresso. Infelizmente, é esse o mundo em que vivemos.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Celebração de Corpus Christi



Nesta quinta-feira (3 de junho), a Igreja Católica realiza mundialmente a celebração de Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo), “uma retomada da Quinta-Feira Santa, dia em que foi instituída a Eucaristia”, como diz o arcebispo metropolitano de Feira de Santana, dom Itamar Vian.

Nesta cidade, haverá a tradicional missa campal, às 8h30 h, ao lado da Catedral Metropolitana de Senhora Santana, na praça Padre Ovídio, seguida da solene procissão conduzindo o Santíssimo Sacramento por sobre “tapetes coloridos” feitos em ruas e avenidas do centro da cidade.

Na concelebração, presidida pelo arcebispo dom Itamar Vian e com a presença de vários sacerdotes, devem participar estimadas oito mil pessoas, oriundas das 15 paróquias que formam a sede arquidiocesana.

A Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria de Transportes e Trânsito e da Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) proporciona todas as condições para a interdição do trânsito de veículos durante a procissão.

Sábado acontece mais um Forró do Amendoim



Neste sábado (05), a partir das 22 horas, no espaço Roque’s Buffet, acontece mais um Forró do Amendoim, numa realização do Sindicato dos Radialistas de Feira de Santana. A animação ficará a cargo de Kixote é Esse e Quincas dos 8 baixos. Também vai acontecer a apresentação da quadrilha Princesa do Sertão, comandada por Vilma Soares.

O Forró do Amendoim foi idealizado pela atual diretoria do Sindicato dos Radialistas, que tem a frente Valter Vieira e Pedro Justino, com intuito de promover a confraternização da categoria e seus familiares, com a imprensa de um modo geral. As camisas, com padrão da seleção brasileira, estão sendo repassadas por R$ 15,00 enquanto as mesas terão custo de R$ 80,00 com direito a quatro camisas. Os interessados podem adquirir camisas através do telefone (75) 3221.5400 ou com Jailza Alcântara, na Rádio Subaé de Feira de Santana, 3603.6969.

Conforme Valter Vieira, a homenagem especial deste ano vai para a equipe de esportes da Rádio Sociedade de Feira de Santana, a 970, que estará transmitindo mais uma copa do mundo. Sob o comando do decano do rádio, o também advogado Dílson Barbosa, a 970 estará fazendo sua quinta transmissão de Copa do Mundo e receberá o Troféu Amendoim.